Situação atual e questões sobre educação no Japão

Procurando um curso de Japonês? Veja um comparativo dos melhores cursos gratuitos e pagos clicando aqui!

O Japão é conhecido como um país bem desenvolvido, com forte orientação tecnológica. Assim, pode parecer que seu sistema de ensino é impecável, podendo formar especialistas de referência mundial em diversas esferas. Ainda assim, está longe da realidade. A educação no Japão sofre de uma série de desigualdades e condições que tornam difícil para as crianças obterem educação adequada. Com relação ao seu potencial, a educação japonesa deve ser remodelada para melhorar as condições e os resultados educacionais para os alunos no país. Aprenda mais sobre as peculiaridades e questões do sistema educacional japonês.

Situação atual e questões sobre educação no japão

Peculiaridades da educação japonesa

O Japão teve seus altos e baixos após a Segunda Guerra Mundial e se tornou um líder independente e confiante em muitas esferas do mundo. Seu sistema educacional também conheceu tempos diferentes. Os pontos mais cruciais são os seguintes:

  • A rápida recuperação após a Segunda Guerra Mundial permitiu um desenvolvimento educacional estável e sólido;       
  • A abordagem holística garantiu a alta qualidade do sistema educacional japonês;       
  • O sistema educacional é centrado principalmente em engenharia, tecnologias e ciências;       
  • O Japão foi listado como o segundo país com maior nível de educação em 2015;       
  • A lei japonesa garante e apóia possibilidades educacionais iguais para alunos de diferentes origens socioeconômicas.       
Anúncio
Situação atual e questões sobre educação no japão

Ainda assim, apesar das garantias da educação japonesa de incorporar harmonia, igualitarismo e igualdade social, o estado real das coisas difere. O sistema educacional no Japão luta para acompanhar os desafios modernos e limita os alunos, mais do que lhes dar oportunidades de construir um futuro próspero.

Questões Relevantes da Educação no Japão

A educação no Japão tem sérios problemas que precisam ser resolvidos e modificados para complementar os alunos com condições de estudo confortáveis ​​e resultados frutíferos. Aqui estão os problemas comuns do sistema educacional japonês hoje em dia:

Situação atual e questões sobre educação no japão
Situação atual e questões sobre educação no Japão
Anúncio
  • Educação centrada no exame – a característica mais brilhante do sistema educacional japonês, que também é considerada como sua maior desvantagem, é o caráter centrado no exame. Para se inscrever em instituições de ensino superior, o aluno deve passar no vestibular com a maior pontuação possível. Além disso, o desempenho do aluno na escola, bem como as realizações de suas atividades de classe superior, não são levados em consideração. Isso significa que os professores prestam mais atenção à memorização enfadonha de materiais, pulando discussões, projetos e outras atividades interativas. Como resultado, os alunos não têm possibilidades de desenvolver habilidades analíticas, criativas e outras habilidades vitais.       
  • Cronograma lotado – a maioria das escolas, colégios e faculdades têm exames e testes semanais. Isso não deixa tempo para liberdade e descanso para os alunos. Eles têm que estudar muito durante os finais de semana e férias para acompanhar o currículo. Como muitos alunos ficam rapidamente para trás com um horário tão lotado, eles não têm outra opção a não ser usar um serviço barato de redação e frequentar aulas suplementares, organizadas pelas escolas. Isso leva à escassez de tempo livre, ao esgotamento dos alunos e à deterioração da qualidade da educação em geral.       
  • Sem orientação profissional – o sistema centrado no exame tem outro efeito negativo na educação japonesa. Universidades de prestígio no Japão admitem apenas alunos com as melhores pontuações nos exames de admissão unificados. Respectivamente, o prestígio da escola depende do desempenho de seus alunos nos exames de admissão. Isso significa que os professores das escolas estão mais do que interessados ​​em preparar seus alunos para passar bem nos exames e ir para universidades de prestígio. Essa pressão sobre os alunos não deixa tempo nem a possibilidade de pensarem em uma carreira futura, mas de se concentrarem apenas na educação superior. Isso significa que a educação, em geral, não cumpre sua função principal e não prepara o aluno para um futuro profissional de sucesso.       
  • Limitações do currículo nacional – sendo criado em nível nacional, o sistema educacional falha em atender às necessidades e expectativas dos alunos. Os erros cometidos a nível legislativo e nacional não podem ser corrigidos a nível regional ou por iniciativas de escolas privadas, uma vez que não são legítimas para o fazer. Isso significa que as escolas e outras instituições educacionais devem seguir o currículo unificado, independentemente dos resultados e condições. Isso leva a outro problema: os alunos não têm opções a não ser estudar em um ritmo e condições semelhantes aos ditados pelo currículo.       
  • Materiais educacionais desatualizados – com a economia japonesa se desenvolvendo em um ritmo rápido e o sistema educacional sendo controlado e ditado em nível nacional, a educação japonesa falha em fornecer aos alunos materiais e condições de estudo atualizados.       
  • Aumento da lacuna social – embora o sistema educacional japonês seja garantido como igual e unificado para todos os alunos com diferentes origens socioeconômicas. Na realidade, a situação é oposta. O custo da educação está aumentando junto com o prestígio e a agiotagem em torno das faculdades e universidades, de modo que as classes mais baixas dificilmente têm dinheiro para se matricular.       

Apesar do rápido desenvolvimento do sistema educacional do Japão no século anterior, seu estado atual desejava ser melhor. Sendo centrado nos exames, o sistema japonês de educação carece de relevância, abordagem personalizada, habilidades práticas ensinadas e resultados vitais. Não atende aos princípios previamente declarados e garantidos de igualdade, abordagem prática e equilíbrio.