Curiosidades / Nihongo

Por que aprender japonês e não inglês?

Por que aprender japonês e não inglês?
Compartilhe nas redes sociais:

Japonês? Por que japonês? Por que um idioma tão inútil? Por quê não inglês, espanhol, francês…”. Essa é uma das respostas que você recebe das pessoas quando você diz “Eu estou aprendendo japonês”.

Para as pessoas, inglês é um idioma insubstituível, que tem que ser considerado mais importante do que qualquer outro idioma. Hoje, vamos descobrir alguns motivos que podem te motivar a aprender japonês, e não se deixar levar pelos comentários.

Por que você aprende o idioma?

Pergunte para alguém que esteja aprendendo inglês o motivo dela estar estudando o idioma. Ela dirá coisas como:

  • Porque quero ter um bom trabalho;
  • Porque eu preciso entrar em uma faculdade;
  • Porque meus pais me obrigam;
  • Porque esse é um idioma útil;
  • Porque é o idioma mais falado no mundo todo;
  • Outros.

Se você prestar atenção, vai ver que esses motivos estão totalmente ligados a algo externo à você.

japonês



A motivação dessas pessoas para aprender inglês não vem de dentro delas. A motivação delas não tem como base um forte sentimento dentro delas. Elas apenas aprendem por obrigação. Agora, pergunte para alguém que está aprendendo japonês o por que dela estar aprendendo o idioma. Ela dirá algo como:

  • Porque gosto de animes;
  • Porque gosto da cultura;
  • Porque acho interessante;
  • Porque as japonesas são bonitas;
  • Porque quero entender RPGs e novels em japonês;
  • Porque tenho uma namorada japonesa;
  • Porque gosto de J-pop (ou vocaloid);
  • etc.

Todos esses motivos estão ligados à um sentimento forte dentro da pessoa, uma motivação interior, você!

japonêsVeja bem: a primeiro ver, a frase “aprendo japonês porque gosto de animes” pode parecer algo “ridículo”, não parece ser um motivo para aprender um idioma, não é?

Porém, se a pessoa gosta de animes, isso significa que ela tem um sentimento forte pela cultura otaku. E pela cultura japonesa também, já que a maioria dos animes retratam muito bem a cultura japonesa. O mesmo acontece com J-pop, vocaloid, RPG, Cultura japonesa, etc.

São coisas que temos um forte sentimento por elas, que nos motivam bastante a seguir em frente no aprendizado.

A palavra “gostar” tem um sentido muito mais profundo do que você imagina. Creio que gostar pode ser sinônimo de “amar”, só que a palavra “gostar” não dá uma intensidade tão forte quanto a palavra “amar”.

Eu também gostei muito das palavras da professora de coreano 바보 (AiLeen), que diz:

“Se o incentivo para fazer algo foi genuíno e vier de dentro para fora, as chances de a empreitada ser um sucesso aumentam exponencialmente!”

Não existe idioma inútil

As pessoas dizem que japonês é inútil, não lhe ajudará para nada. Porém, elas estão completamente erradas! Não existe idioma inútil, essa ideia é um absurdo.

Todo idioma tem alguma utilidade. O idioma catalão por exemplo:

O idioma catalão é muito pouco falado (Pouco mais de 11 milhões de falantes). Derivado do espanhol, latim e francês, ele é falado em Barcelona e em algumas partes da Espanha e em outros lugares da Europa. O que você pode fazer falando catalão? Muitas coisas. Você pode viajar para Barcelona, estudar a origem do catalão, além de estar estudando uma língua bem antiga. Catalão foi um idioma que dominou muitas regiões na Europa.

japonês

Então, lembre-se de que para aprender um idioma, temos que ter um motivo forte, profundo. Não basta encarar o idioma como uma simples obrigação. Sabendo japonês, você pode até concorrer à bolsas de estudo no Japão! Isso seria uma oportunidade única.

Claro que, inglês também é indispensável. Sabendo inglês, muitas portas serão abertas, além de ajudar no aprendizado de outros idiomas. O problema é que a maioria das pessoas aprende este idioma apenas por obrigação, e não porque gostam do inglês. Se você não gosta do inglês, raramente vai ter resultados!

Enfim, não interessa que idioma você está estudando, independentemente do número de falantes do idioma, se você tem uma motivação forte, será o suficiente para te gerar motivação para aprender e estudá-lo. Bons estudos 😉

Compartilhe nas redes sociais:
  • Gabriel Sena

    Eu comecei a aprender japonês nem foi por causa dos animes, mangás, músicas ou outras coisas relacionadas ao universo pop do Japão. Foi mais pelo Japão e sua escrita, comecei assistir os vídeos do JNDCD e gostei muito do estilo de vídeo deles e também deles. Eu ficava vendo a escrita japonesa(pensando: Nossa que legal), vi eles falando e os japoneses também, a cultura, os lugares e então me apaixonei. Comecei a assistir mais animes depois que comecei a estudar japonês <3

  • Nishi

    Comecei a ler seu blog recentemente e gostei do conteúdo.

    Com relação a indagação do porque “você aprende japonês?”, apesar de estudar japonês nunca passei por isso. Acredito que por ser descendente as pessoas automaticamente pensam que é normal eu aprender japonês, embora isso seja discutível.

    Mas para não fugir do tópico da conversa, sim, considero que gostar do que se aprende tem grande peso. Já tentei aprender inglês diversas vezes, e os motivos para que nunca tenha seguido a frente foi o fato de que não gosto da língua. Não nego a utilidade e a importância do inglês, mas estudar o idioma por causa disso é outra história.

    Já vi pessoal tirando sarro do pessoal que aprende só por causa de anime, mas se for pensar, qualquer idioma que não é “útil” na visão da sociedade, na grande maioria das vezes é aprendido por conta de alguma paixão.

    Atualmente estou no Japão e já tive uma ou outra experiência de ensinar português para os japoneses. Considerando que o português, apesar da quantidade de brasileiros no Japão ser alta, é visto como uma língua de “pouca utilidade” na sociedade japonesa, o que percebo é que quem aprende, o faz porque gosta da cultura brasileira, seja o samba, a bossa nova, a culinária ou mesmo por querer conversar com os brasileiros.

  • Gabriel Pinheiro SmallWorlds

    Que história legal :3
    Parabéns, bons estudos (^-^)/

  • Gabriel Pinheiro SmallWorlds

    Interessante. Eu também já tentei aprender inglês porque meus pais diziam que era importante. Então quando eu tinha 9 anos, fui começar a aprender no duolingo (mas foi chato…).

    Agora, no japonês, sempre foi MUITO DIVERTIDO. Eu lembro que eu já tentei aprender a escrita de uns 100 kanji num caderninho. Foi um método completamente tradicional, mas foi divertido. Isso porque eu sempre gostei do idioma, o que me fazia ter força de vontade.

    Todavia, eu descobri que não era um bom método.

    Eu achei muito legal a sua visão do português no Japão. Eu já ouvi falar de alguns brasileiros que dão aula no Japão.
    Para mim, a procura do português no Japão era maior do que a procura do japonês no Brasil, mas eu acho que vou descobrir isso com o tempo :p

    Obs: Eu não sou o dono do blog, eu só mandei este artigo como voluntário, rsrsrs

  • Igor Ornellas

    Kevin,

    Estou tentando aprender não só o inglês e o japonês mas como também entender também idiomas neutros como:

    russo, alemão, francês, espanhol, italiano, coreano, chinês, búlgaro, árabe, dialeto de Cambodja, macedônio, chinês, taiwan, camaronense, holandes, romeno, espanhol latino, franco-canadense, domênica (Rep. Dominicana) e até quichua.

    Meio poligrota no caso. Poligrota mesmo costuma praticar até 30 idiomas seja rico num simples livro, seja pobre nos programas de computador tendo que aprender digitação. A vontade que tenho de trocar de idioma de prioridade (não sendo mais o português e sim o japonês) foi uma opção difícil por ser nascido e criado em Niterói. Aqui no site Suki Desu foi o que mais me senti a vontade.

    Aqui aonde moro (Niterói, RJ) o pessoal quando me ve praticando o idioma japonês fica todo bobo.

  • kevin

    Obrigado xD 頑張って

  • Olá Gabriel!

    O “problema” é que o inglês é conhecido como o idioma/língua dos negócios por isso é quase , ou é, uma obrigação ser fluente nele.Parei o japonês e ainda estou ensaiando em estudar inglês, o motivo para aprende-lo é porque tem muito mais material em inglês no mundo do que outro idioma, s e não me engano.Isso já é um bom motivo.

    Mas o motivo é algo muito pessoal , que serve como motivação também, e não importa muito qual idioma escolhemos estudar/aprender primeiro o que realmente é importante é se o motivo não vai deixar aquilo como uma obrigação, assim como você diz no texto.Ai fica chato e não traz motivação rsrs.

    Abraço!

  • Allan Duarte

    Eu peguei um bom nível no inglês de uns tempos para cá porém nunca gostei da língua e sigo não gostando apesar de usar para tudo.

    Confesso que ter o domínio do inglês tem sido de muita valia ao estudar outras línguas principalmente o japonês uma vez que temos as palavras em Katakana em inglês, o que já agrega algum vocabulário, fora isso a maior disponibilidade de sites em inglês para aprender japonês é notável além dos muitos canais no youtube em inglês ensinando o japonês.

    Estou longe de ter qualquer nível no Japonês, tenho procurado o melhor método mas até agora nada foi notavelmente efetivo no estudo do japonês isso pois minha habilidade sempre foi na leitura e na escrita e como sabemos a escrita do japonês é bem complicada, enquanto que facilmente ligo os pontos de um texto em espanhol e inglês para deduzir significados ou mesmo entender as construções no japonês fico a ver navios.

    É engraçado que fiz umas aulas de francês a 4 meses atrás e quando fui revisar sem interesse algum eu lembrei 90% isso pois a língua é parecida com o português e espanhol por ser uma língua romantica e tem muitas palavras de igual com o inglês pro questões históricas e tudo fica simples de decorar, porém no japonês eu fiquei 1 mês sem estudar para testar e bizarramente esqueci a maioria dos kanji que eu estive decorando pelo significado simples em um app, também lutei para acertar pelo menos metade no Japanese level 1 do app memrise, é notável que colocar o Japonês na memória de longo prazo é uma tarefa árdua.

  • kevin

    Obrigado pelo comentário, é um longo caminho aprender idiomas, ainda mais quanto se aprender milhares de palavras, você sabe praticamente tudo, mas não consegue dialogar naturalmente eu enfrento esse problema tanto no inglês como no nihongo.

  • Taina Psilva

    Eu aprendi e estudei Inglês porque gosto, o único que aprendi sem nenhum motivo forte foi espanhol, que não gosto muito mas se mostra muito util então ele me é bom e as vezes encontro ele em NVL.
    Japonês cai no mesmo que inglês, eu gosto, tenho mais motivos mais o principal é esse.

    No entanto vantagens de saber inglês e ate mesmo o pouquinho que sei de japonês me ajudam muito: Como vê uma serie inteira sem legendas em pt, le noticias, traduzir coisas algo que faço muito. Já no japonês eu sei mais de sons, então sei boa parte do Hiragana eu confundo alguns e aprendi jogando sem estudar ano passado alguns kanjis. e para minha surpresa quando foi traduzir uma imagem do japonês eu percebi que conseguia ler palavras como Mendokusai, e outras que são bem comuns mas sei mais de ouvido, meu objetivo e aprender o Hiragana e mais 10 kanjis no minimo esse ano, ja que ano passado sem estudar aprendi isso.

  • 横畠徳男Marcos

    Eu estudo inglês e 日本語 faz uns 4 anos. E atualmente uso o japonês para aprender coreano e o inglês para aprender francês.

    Depois que você adquire um certo nível no nihongo é muito fácil aprender o coreano 韓国語 pois a gramática é muito parecida. Inclusive tem alguns cognatos como:
    가구 Kagu 家具
    구두 Kudu 靴
    기차 Kicha 汽車
    Acredito que no futuro, o diferencial será um poliglota que domine línguas asiáticas além das indo-européias.