Cultura / Curiosidades / Japão

Como é a xenofobia, racismo e preconceito no Japão?

xenofobia, preconceito
Compartilhe nas redes sociais:


Preconceito e racismo é algo que existe em qualquer lugar ou país. Não importa a nacionalidade, religião, cor, cultura, tradições e estilo de vida, as pessoas sempre vão passar por situações frustrantes. Falar sobre isso é delicado, visto que os japoneses são conhecidos por sua educação, hospitalidade, além de serem tradicionais. Neste artigo vou tentar abordar diversos pontos com respeito ao preconceito ou racismo no Japão. Antes de começar vamos saber o que é preconceito, racismo e xenofobia:

  • Preconceito é um sentimento hostil, assumido em consequência da generalização apressada de uma experiência pessoal ou imposta pelo meio; intolerância. É uma opinião crítica, uma atitude discriminatória perante pessoas, culturas, lugares ou tradições.
  • Racismo é uma crença e ideia baseada na hierarquia de raças e etnias, onde pessoas se consideram superiores ou puros.
  • Xenofobia é a desconfiança, temor ou antipatia pelo que é incomum ou vem de fora do país;

Infelizmente as pessoas acabam confundindo o comportamento cultural dos japoneses com preconceito. E também acabam generalizando casos isolados e dizendo que japoneses são preconceituosos. Japoneses acabaram ganhando essa fama, sendo que eles que são vitimas de preconceito e piadinhas aqui no Brasil. Preconceito existe em qualquer lugar, dizer que um povo é preconceituoso na realidade é como dizer: Eu sou preconceituoso.

Os japoneses são preconceituosos?

Quem realmente conhece o Japão, sabe que ele é famoso por sua hospitalidade, educação e respeito com próximo. Ser estrangeiro no Japão, pode acabar sendo uma experiência mais que positiva. Mesmo que você acabe se deparando com uma pessoa preconceituosa ou racista, você vai acabar se tornando uma atração, exatamente por ser diferente. O grande problema é que os japoneses são tímidos, muitos vão acabar te encarando, basta você ter a iniciativa de conversar com eles, principalmente se você souber japonês, vai acabar descobrindo como os japoneses são bons amigos.

racismo

Apesar do Japão ser um país louco por coisas novas e diferentes. Infelizmente muitos japoneses são tradicionais e gostam do padrão. Pra alguns, quando algo é diferente eles acabam evitando e até excluindo. Isso não significa que eles não gostam de estrangeiro, essa forma de preconceito acontece entre eles mesmo, alguns japoneses tradicionais demais e de mente fechada acabam tratando diferente pessoas que não tiveram um ensino superior, desempregados, otakus, pessoas com tatuagem e etc.

Podemos notar isso através de acontecimentos de ijime (bully) nas escolas. Às vezes a pessoa pode ficar sem emprego decente o resto da vida apenas por um erro cometido. Algumas empresas ou pessoas levam a sério as coisas e estilo de vida de alguns. Por outro lado, a maioria dos japoneses não se importam nem um pouco, por isso o Japão é um país cheio de loucuras e coisas estranhas, porque a maioria não se importa com seu estilo de vida. A maioria dos japoneses não costumam se envolver na vida dos outros nem deixa outros se envolver.



Confusões sobre preconceito

A maioria desses casos pode acabar sendo inveja. Até mesmo garotas de peito grande acabam sofrendo preconceito de outras garotas que são tábua… Dessa forma chegamos a conclusão que não existe um padrão para ser aceito por certos tipos de pessoas na sociedade. O melhor a se fazer é ignorar esse tipo de pessoa. Se os próprios japoneses acabam sofrendo esse tipo de preconceito, é normal esperar que possa acontecer conosco.

Vale lembrar que às vezes alguns insultos podem até não ser intencional. Da mesma forma que fazemos brincadeiras sem graça com outros brasileiros e eles não levam a sério, algum japonês pode levar a sério e ficar magoado. O contrario também acontece, às vezes você pode ouvir algo ou ser tratado de uma maneira que se sinta magoado.

preconceito, xenofobia

Outra coisa que faz as pessoas pensarem que japoneses são racistas é o simples fato do Japão ser bem rígido na entrada de estrangeiros para morar. O Japão rejeitou até mesmo entradas de refugiados. O Japão se sente inseguro com os estrangeiros, graças aos inúmeros incidentes que acontece.

Algumas pessoas nos trens acabam não sentando perto de estrangeiro, alguns é por medo de não conseguir se comunicar. Outros costumam conversar entre si e você pode acabar ouvindo a palavra gaijin (abreviação de estrangeiro). Pessoalmente acho normal, quando vejo um estrangeiro aqui eu falo, ele é estrangeiro, sem medo ou vergonha de nada.

No Japão é raro mais você pode encontrar pessoas que odeiam ocidentais, por diversos motivos além de cultural, o que aconteceu na guerra, bomba nuclear e etc. Por outro lado você encontra diversas tendências que surgiram do ocidente. O Japão ainda está em um longo processo de ocidentalização.

Ultrapassando limites

Outra coisa que levanta bastantes questionamentos com respeito a xenofobia, é o fato de alguns lugares separarem ou proibirem a entrada de estrangeiros. E alguns estrangeiros não conseguirem certos tipos de serviços e atividades. Exclusividade em algumas coisas pode existir em qualquer país, o melhor a se fazer é dar a volta por cima.

Alguns brasileiros fizeram isso e tiveram sucesso no Japão. Muitos brasileiros abandonaram serviços em fábrica e montaram seu próprio negocio. Diversos outros aprendem a cultura e idioma e conseguem um emprego e estilo de vida que até mesmo japoneses não tiveram condição de alcançar. Ricardo Cruz é outro exemplo, ele se tornou cantor de uma banda japonesa mostrando que não existem limites para o sucesso no Japão. Por isso corra atrás dos seus sonhos e tenha sucesso! Não fique se preocupando com coisas idiotas tipo preconceito de alguns invejosos.

casamento

Brasileiros e o preconceito

Brasileiros acabam reclamando de preconceito, porém de maneira exagerada. Já alguns brasileiros reclamam que sofrem mais preconceito de próprios brasileiros que moram no Japão do que de japoneses. Infelizmente isso é compreensível, visto que ao cometer um delito ou crime, o brasileiro acaba aparecendo na TV manchando o nome de todos os brasileiros.

Isso acabou gerando uma má fama para os brasileiros. Até em algumas lojas, japoneses ficam atentos ao se deparar com estrangeiros, principalmente brasileiros devido aos roubos que alguns cometem. É até aceitável a reação de alguns japoneses sentirem desconfiança, temor ou antipatia por estrangeiros que não seguem a mesma cultura ou possuem os mesmos conceitos de educação e moral.

Antes de brasileiros falarem de preconceito ou xenofobia, eles deveriam pensar se não estão tratando de forma diferente os asiáticos que moram no Brasil. O vídeo abaixo retrata bem isso, claro que muitàs vezes não é intencional.

O Brasil tem mais 500 anos de historia, multicultural e com pessoas de todos os tipos, ainda não conseguiu resolver esse problema de preconceito, seja religioso, racial ou social. Agora, por que reclamar de um país que não tem nem 200 anos que se abriu ao mundo, e que passou por diversas dificuldades?

Negros no Japão

A cor não vai fazer diferença no tratamento que os japoneses hospitaleiros e educados tem com o próximo. Muitos afirmaram que o Japão ama negros, alguns disseram que nunca foram tão bem tratados e nunca tiveram problemas com discriminação. Paulo, um brasileiro disse que ao andar nas ruas do Japão as pessoas o observavam, não com olhar de desprezo mais de admiração, eles sorriam, cumprimentavam. Paulo chegou a dizer que o Brasil tem muito a aprender e crescer.

Outro exemplo de que Negros podem se dar bem no Japão foi do Brasileiro Roberto Casa Nova. Em 2010 ele foi eleito como o melhor cantor de karaokê de todo Japão dentre 85.000 candidatos. Alguns negros que moram no Japão, disseram ter medo de voltar ao ser país de origem devido ao racismo, e afirmaram que se sentem mais confortáveis e seguros no Japão.

Vou citar um caso que aconteceu com respeito ao Japão ser racista contra negros. Alguns anos atrás surgiu uma imagem de um pudim de chocolate chamado Nigga que é uma gíria em inglês que significa negro. Porém não passava de uma montagem e o verdadeiro nome do produto era giga. Se algo assim aconteceu, imagina o número de casos generalizados ou inventados que surgiram e foram espalhados?

racismo

O Japão é mais preconceituoso que outros países?

O Japão está longe de ser um país preconceituoso e racista em comparação com diversos outros países. Alguns lugares como EUA, Reino Unido, Rússia e até a Australia são apontados como os países mais racistas e preconceituosos do mundo, dominando o ranking. Pessoas ruins existem em qualquer país, eu acho uma idiotice sem tamanho pessoas definirem países inteiros como racistas e preconceituosos.

Principalmente eu que passei a minha vida inteira no Brasil sofrendo preconceito e sendo tratado diferente devido a meu estilo de vida, aparência, religião e gostos. E o pior, sou tratado diferente por não gostar ou não fazer coisas que considero erradas.

Preconceito, Racismo e Xenofobia na mídia japonesa – Animes e Dramas

O preconceito, racismo e xenofobia é bastante abordado de forma direta e indireta na mídia japonesa. Na maioria dàs vezes é abordado em filmes, doramas e principalmente em animes e mangas onde a realidade não é valida, então se utiliza esse tema de forma discreta utilizando robôs ou raças alienígenas. Muitos animes também mostram esse tema de forma direta através do bullying nas escolas. Veja a lista de alguns animes que abordam temas sobre preconceito, xenofobia e racismo:

  • Aldnoah.Zero – Mostra o ódio e diferença entre os humanos e os aliens(aparência de humanos).
  • Ghost in the Shell – Mostra crise de refugiados no Japão.
  • Code Geass – Mostra o preconceito e o racismo que os japoneses sofrem.
  • Nagi no Asukara – Aborda bem o tema racismo.
  • Yamada Taro Monogatari – Dorama que aborda a diferença de classe social.

A lista é muito grande e se extende muito mais. Vale lembrar que os animes e doramas também mostram que não existe preconceito, apresentando assim diversos personagens com personalidade peculiar, homens afeminados, mulheres poderosas e etc. Muitos estrangeiros também aparecem nessas obras, mesmo que às vezes eles acabam exagerando no sotaque estrangeiro. Animes também mostram imparcialidade pelas inúmeras cores, tamanhos e estilos de cabelo, pele, roupa e etc. Além disso muitos animes e filmes acabam retratando historias que se passam fora do Japão, e costumam apresentar diversos elementos culturais de outros países.



Recomendamos também: 

Compartilhe nas redes sociais:

10 Comentários

  1. Li em um site de uma empresa de viagens o seguinte ditado: JAPÃO, O MELHOR PAÍS DO MUNDO PARA FICAR ATÉ 90 DIAS, E, O PIOR PARA FICAR MAIS DE 90 DIAS…
    Em tempo, os 90 dias são o período máximo como turista…

    Resposta
    • Acho que depende do tipo de pessoa, se ela é sensível demais, se ela trabalha em fabrica, se ela sabe japonês ou não. Eu mesmo não moraria se fosse pra trabalhar em fabricas, e mesmo assim milhares fazem isso e ainda se sentem satisfeitos e não tem do que reclamar, na verdade estava conversando com um amigo que mudou pra lá, ele fez 2 faculdades no Brasil (direito e historia) e escreveu 2 livros e disse que a melhor coisa pra ele foi ir lá trabalhar de operário em fabrica. Essas pessoas que reclamam demais de preconceito são aquele tipo de pessoas que olham pra uma pequena mancha preta em um papel enorme todo branco.

  2. Adorei o texto. Finalmente uma visão equilibrada sobre o tema. Só mesmo quem é negro e morou no Japão é capaz de estabelecer um padrão comparativo entre esta sociedade brasileira, que a meu ver, tem muito, mas muito mesmo a aprender com o nosso amado Nihon.

    Aliás…após morar por anos no Japão tive pânico só de pensar em voltar ao Brasil. Pois a experiência em terras nipônicas foi simplesmente surreal.

    Nunca, nunca mesmo, em minha vida inteira fui tão bem tratado, recebido, como fui no Japão.
    Ao contrário do que muita gente pensa, isso não tem só a ver com o fato de eu ser uma “atração” por ser um estrangeiro. O fato é que acabei descobrindo que para muitas pessoas bacanas que conheci no Japão, o que realmente importa é o caráter de uma pessoa.

    No Japão me deram de tudo…mas talvez a coisa mais marcante foi esperança na raça humana…sim…acreditem…foi no Japão pela primeira vez (após 35 anos anos de vida) que pude me libertar do constrangimento de uma pessoa simplesmente mudar de calçada ao me ver. No Japão eles não mudam de calçada:) Preciso dizer mais?

    Racismo, claro existe em toda parte, inclusive no Japão. Mas francamente…Para quem era “casca grossa” como eu e já tinha visto de tudo aqui no Brasil, o Japão converteu-se em um verdadeiro passeio.

    Resposta
    • Vlw comentário, vou até colar no meu mural kkkk…

  3. Valeu suki desu, amei sua matéria(assim como amo qualquer outra rsrs) sobre um assunto que não só está relacionado ao Japão, mais à uma escala global de preconceito, seja xenofóbico, racista ou homofóbico, esse é um tema muito delicado a tratar, coisa que dificilmente nós vemos com um ponto crítico mais humanista( como o do suki desu), já que geralmente a mídia global fala de um jeitinho mais belo se é que me entende.

    Resposta
  4. Muito bom texto e concordo com algumas opiniões e discordo de outros. De fato tratar desse assunto delicado é complicado, principalmente quando sentimos na própria pele constrangimentos nunca antes passados na vida. Morei muitos anos no Jp (onda dekassegui) convivi a maior parte desse tempo tendo vizinhos japoneses, sendo muitos educados e muitos mal-educados. Por eu ser descendente de japoneses nato inicialmente era tratado como igual a “eles”, porém quando abria a boca as coisas mudavam….muitos não me cumprimentavam mais e para poucos eu era indiferente. Já para os não descendentes (brancos e negros) o tratamento era diferente, pois estava na cara que eram estrangeiros, percebia-se que a aproximação ou abordagem “deles” à essas pessoas era de forma mais polida……talvez achassem que fossem estados unidenses (que adoram) ou europeus……sei lá. Culpo isso os historiadores japoneses que se negam a contar a verdadeira história da migração japonesa aos países ocidentais e a verdadeira face do seu papel na 2a. guerra mundial. Nos anos 80 estagiei por +- 8 meses nos Estados Unidos, na época nas gigantes de computadores de grande porte IBM e Unysis, inicialmente fui hostilizado por acharem que eu fosse japonês em razão do ato, segundo eles, covarde em Pearl Habor. Explicado que eu era brasileiro o nível da conversa melhorou de péssimo para razoável, pois eles também odeiam latinos americanos(rs). Portanto é de se esperar que estados unidenses, australianos, russos, chineses e coreanos não recebam bem os descendentes e japoneses natos nos países que entraram em confronto bélico contra o Jp. Em suma, a meu ver abaixar a cabeça em seus cumprimentos não significa humildade……humildade terá abaixando (e muito) a sua arrogância e sua prepotência perante os outros povos.

    Resposta
    • amei a sua crítica quanto ao ponto racismo. Se o problema antes já era grande, imagina só hoje em dia com a globalização da informação, e o desconhecimento de muitos sobre o assunto,
      certeza que isso gera coisas nada legais; por exemplo, esse ano já começamos com a generalização lá de Trump, coisa que pra min o que ele está fazendo, e pior o que os internautas estão compartilhando e comentando não passa de infantilidade, coisas que começam a falar sobre petróleo ou seja lá o que for vão acabar por se transformar em uma guerra de informação e xenofobia( coisa que temos e muito já).

    • Vlw pelo comentário, tb percebo q a comunidade americana e europeia é tratada melhor do que a brasileira ou até descendentes… Mas não é atoa, e eu não culpo os nihonjin pela falta de informação ou opinião, já que da mesma maneira que os brasileiros não conhecem os japoneses ou generalizam eles fazem isso com brasileiros, apenas nois que aprofundamos em conhecimento de outra cultura conseguimos ver de outra forma. Tanto que se estudarmos outras culturas vamos ver podres e boas.

    • Verdade mesmo… fui decasegui de 1991 a 1995, hoje sou Procurador da Fazenda, fui a turismo em 2005 e fiquei 1 mês lá… Lembro dos meus tempos de decasegui que os japas tratam muito bem qlqr caucasiano, negro, pq pensam que é ianque ou europeu… mostrou o passaporte brazuca, os sorrisos e a simpatia desaparecem… já, nós, que somos nikkeis, somos mal tratados desde o início… em 2005 fui a passeio e ao entrar nas lojas e ao perceberem que era brasileiro, a desconfiança era geral… só ficavam simpáticos quando falava em japonês fluente que estava a turismo e mostrando o passaporte e o visto de turismo, queria comprar para presente… Foi interessante a experiência, ir como mão de obra barata e depois como turista…

    • ..Posso ser sincera? foi extremamente certo em sua observação,muitos não estudaram sobre o japão imperial na segunda guerra mundial,sobre o massacre de nanquim e similares,das casas de conforto durante a segunda guerra mundial na china ( usadas para prostituição tanto de chinesas e coreanas também ),e adoravam cortar as cabeças de soldados prisioneiros com katanas,fora os livros raros e outros tipos de mercadorias que roubaram dos coreanos e estima se que roubaram mais ainda que os próprios nazistas na segunda guerra mundial e nas escolas certamente mentem,falando que eles morreram como heróis de guerra e tem um vídeo no youtube denominado ( japanese racist in action ) a legenda é em inglês porém, percebe se as palavras de ódio gritadas pela japonesa no microfone falando para matar os coreanos e os japoneses gritando :estuprem estas coreanas e similares e a policia? nada fez para variar….Isso é para vermos que não existem povos perfeitos igual muitos julgam.Falam isso devido a expressão de arte japonesa os clássicos anime e mangá é arte excelente não nego, ainda se denominam como otakus no qual não sabem nem a origem da palavra….

Comentários do site