Japão mostra que não tolera racismo

, , , ,
Post by // Imagem de Vecteezy.com Free Vector



[Total: 1 Nota: 2]

Infelizmente coisas como preconceito e racismo existem em grande escala no mundo, principalmente nas redes sociais. O Japão também é uma grande zona de preconceito, principalmente pela sua gigantesca diferença cultural e pelo fato dos estrangeiros se destacarem facilmente no meio de milhares de japoneses com traços parecidos.

Os japoneses tradicionais não vão com a cara do ocidentalismo, sempre existem alguns japoneses resmungando e encarando os estrangeiros. Apesar desses inúmeros casos, podemos trata-los como uma minoria e considerar que assim como qualquer país, a nação se esforça em acabar com esse pensamento racista e preconceituoso. Vamos falar exatamente sobre isso neste artigo.

O Japão é um país rígido que promove padrões de morais, uma educação e respeito elevado. Querendo ou não os japoneses precisam tratar os outros da melhor forma possível, se não seu fracasso social vai acontecer uma hora ou outra. Dependendo da situação, pessoas ruins podem ter sua carreira e vida inteira arruinada por causa de um simples ato.



Mídia Japonesa mostra que não da trégua para racistas

Foi o que aconteceu recentemente com o autor de Light Novel com pseudônimo de Mine. Ele escreve uma obra chamada “Nidome no Jinsei o Isekai de” que já estava com adaptação de anime em produção e marcada para outubro. No começo de junho de 2018 as coisas começaram a desmoronar completamente para o autor Mine.

No começo da semana, os dubladores que estavam na equipe de produção do Anime divulgaram uma nota no twitter dizendo que estavam se retirando da produção. Logo depois as agências de dublagem, o estúdio de produção do anime anunciaram que a adaptação tinha sido totalmente cancelada. Até mesmo a Hobby Japan decidiu parar de mandar os Light Novel para livraria, que provavelmente também será cancelado.

Por que isso aconteceu? Apenas porque o autor Mine nos anos de 2013 a 2015 postou eu seu twitter alguns comentários racistas contra chineses e coreanos. Ele chegou a chamar a China de país dos insetos e fez diversas outras ofensas e eufemismos depreciativos a Coreia e China. Em sua obra um personagem chegou a matar 3000 chineses na guerra.

Outros autores fizeram atrocidades piores como Nobuhiro Watsuki, autor de Samurai X que foi pego com pornografia infantil. Por que apenas o autor de Mine perdeu toda sua carreira por comentários antigos no twitter? Não era normal xingar e criticar um ao outro na internet?

O autor chegou a pedir desculpas no twitter com as seguintes palavras: “Eu peço desculpas por alguns tweets meus do passado, eu estou profundamente arrependido que existiu uma expressão inapropriada minha que fez muitas pessoas se sentirem desconfortáveis”.



O esforço da mídia japonesa em eliminar o racismo e preconceito é suficiente?

O Japão raramente bate nessa tecla de preconceito e racismo, tanto que se você for pesquisar sobre racismo e preconceito no idioma japonês, vai acabar caindo em artigos falando sobre o preconceito e racismo dos americanos (EUA). Grande parte da mídia tenta apenas manter as aparências de um país liberalista e hospitaleiro, mas que tem muito a melhorar.

Não importa se o país faz leis ou tenta acabar com os casos de preconceito ou racismo, infelizmente toda lei é falha e a maioria da população costuma quebrar essas pequenas leis. Para o preconceito e racismo diminuir, as pessoas precisam fazer mudanças individuais, algo um pouco complicado para os japoneses.

Apesar de parecer que os japoneses são isolados e individualistas, a sociedade japonesa funciona de forma coletiva. Os japoneses seguem o que a maioria diz ser certo ou errado, raramente questionam a atitudes daqueles que estão no poder. Os bullying nas escolas japonesas acontecem exatamente por causa disso, mesmo que algum aluno não concorde com o que está acontecendo com colega, ele não tem a coragem de se intrometer ou ajudar por medo de ir contra o grupo.

Atitudes preconceituosas e racistas vão continuar acontecendo, seja em público, no trabalho ou nos trens. Os japoneses não vão ter coragem ou atitude de se intrometer, dar lições de moral ou criticar a pessoa que está fazendo o errado. O máximo que eles vão fazer é lamentar nas redes sociais ou quando é um caso de pessoa famosa, massacra-la e prejudicar sua carreira.

xenofobia, preconceito


Os japoneses estão observando! Você não pode ficar calado!

Naturalmente, não são apenas os japoneses que cometem preconceito ou discriminação não intencional (ou deliberadamente), você vai se deparar com essas situações em qualquer parte do mundo. A relação entre os chineses, coreanos e japoneses não é muito boa, devido a muitos acontecimentos do passado. Nem mesmo os japoneses costumam aceitar as diferenças entre eles mesmos.

Da mesma forma que brasileiros dizem não terem preconceito, serem acolhedores e que na maioria das vezes é uma brincadeira, os japoneses pensam a mesma coisa. Felizmente alguns mostram que estão conscientes de que o preconceito e discriminação é real e tem um impacto negativo na reputação de seu país.

Um japonês comentouAs pessoas sem conhecimento podem estar cheias de preconceito. Pessoas que têm preconceito contra estrangeiros são basicamente aquelas que não conhecem países estrangeiros. Porque se baseia apenas no que escuta, tem uma imagem deturpada, não entende os valores diferentes, difama, se considera normal e trata os outros como “estranhos”. 

Esse mesmo japonês comentou que sofre preconceito de outros países, não apenas por ser chamado de olho puxado. Basicamente todos os fatores culturais do país são motivos de criticas como as gueixas e até o sushi. Ele citou como exemplo as caças as baleias, que não representam nem 0,00000001% da população, mas existem diversos discursos de ódio contra toda raça japonesa por causa disso.

Infelizmente tanto os japoneses como os brasileiros possuem uma visão estereotipada um do outro, uma impressão clichê cheia de pensamentos e ideias pre-definidas. Infelizmente as pessoas esquecem que cada ser humano é diferente um do outro e ficam sem parar brigando em redes sociais cutucando o olho um do outro.

O caso citado neste artigo serve de exemplo para mostrar que podemos sim acabar com as ideias deturpadas que os japoneses possuem dos estrangeiros. Primeiramente divulgando na mídia japonesa para ganharmos apoiadores japoneses, já que lamentar nas redes sociais brasileiras só vai gerar mais ódio e estereótipos.

Depois devemos nos esforçar em fazer nossa parte e mudar essa visão distorcida que os japoneses possuem dos estrangeiros. Se esforçar em entender a cultura, idioma e se comunicar de forma alegre e amigável. Muitos japoneses desconhecem totalmente os estrangeiros, muitos japoneses já admitiram ter medo e preconceito até que chegou a conhecer um estrangeiro de verdade. Vai fazer sua parte?

Fontes: Asahi, Yahoo

Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:

1 comentário sobre “Japão mostra que não tolera racismo

  1. Esse tipo de agressões verbais do Mine eu vejo o tempo todo nos comentários do Youtube e é recíproco ou seja, ataques de ambas as partes. Em plena era da Internet, não vejo como isso vai parar, aliás a Internet contribuiu pra aumentar ou no mínimo, pra mostrar a realidade como ela é.
    Vejam por exemplo as agressões gratuitas que a atriz Kelly Marie Tran está sofrendo nas redes sociais só por ter origem oriental (Vietnamita). Ela é uma das atrizes do filme “Star Wars – Os últimos Jedi”. Parece que as pessoas formam uma espécie de clube do ódio nas redes sociais e escolhem a pessoa a ser atacada.
    Vejam também o caso da Gaby Amarantos que fez críticas a Silvio Santos e agora está sofrendo ataque de todos os tipos, inclusive raciais.
    É lamentável mas eu acho que as pessoas não mudaram com o tempo, apenas se esconderam devido ao surgimento de regras e leis contra o racismo.

Comentários do site