Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

, ESCRITO POR

Hoje vamos ver algumas generalizações e estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam dos brasileiros e outras nacionalidades. Será que os japoneses são preconceituosos ou o contrário?

Muitos questionam o fato de japoneses serem racistas, preconceituosos ou xenofóbicos, porém não possuem argumentos. Muitos acabam taxando os japoneses de preconceituosos apenas pela sua timidez e dificuldade de socializar.

O que as pessoas sempre esquecem é que o preconceito e racismo se encontra no mundo inteiro. As pessoas que taxam os japoneses de preconceituosos estão apenas provando que eles mesmos são preconceituosos.

Neste artigo vamos mostrar alguns pontos que mostram o preconceito que os japoneses enfrentam no Brasil e no mundo inteiro, mostrando assim que o erro está exatamente do lado oposto.

Sumário do Artigo
- Japoneses só gostam de orientais? 
- Órgão Genital Masculino e corpo das japonesas
- Gritar palavras aleatórias que não existem
- Sem respeito a nacionalidade, todos iguais
- Não conhecem a culinária, só pensam em sushi
- Pastel de Flango - Não falam o R
- Suposições erradas - Vou inventar coisas


A ideia de que japoneses só gostam de orientais

Alguns acham que os japoneses gostam de se relacionar apenas com asiáticos. Criam uma ideia de que japoneses querem apenas uma raça pura e ter amizade apenas com japoneses. Uma ideia totalmente errada, que resulta em diversas situações constrangedoras e causa a ideia de que japoneses são racistas.

Muitos japoneses não se relacionam com ocidentais por causa da timidez, e as vezes a introversão dos ocidentais podem assustar alguns japoneses. Ainda assim, esse julgamento é um erro completo, japoneses gostam de conhecer pessoas e expandir seu circulo de amizade.

Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

Como esse mito surgiu? Infelizmente os japoneses sofreram muito preconceito dos brasileiros depois da segunda guerra mundial, por isso muitos descendentes que moram no Brasil ficaram de cara fechada.

Com certeza devem existir aquelas famílias tradicionalistas e nacionalistas. Só que muitos orientais sonham em casar com ocidentais, alguns focam totalmente nisso, principalmente as gaijin hunter.

Obsessão pelo corpo e órgão genital dos japoneses



Infelizmente, alguns fazem piadas e críticas com respeito a altura, ao órgão genital masculino ou o tamanho do corpo ou dos seios das japonesas. Considero uma grande ofensa e falta de respeito!

Não é nenhuma competição de tamanho. Falar de um assunto tão inútil só mostra o tanto de merda que as pessoas têm na cabeça.  Eu mesmo prefiro mil vezes os corpos das japonesas, do que essas toneladas de gordura presente no ocidente.

Na verdade, eu até escrevi um artigo que mostra que os seios das japonesas são grandes e proporcionais ao tamanho do corpo delas. Aqueles que zoam, fazem piadas ou se importam com coisas assim são pessoas tão vazias.

Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

Gritar palavras aleatórias ou que não existem

Se você considera dizer: takakara nomuro uma brincadeira, você está sendo insensível. Pessoas infelizmente zombam do idioma oriental, falam palavras aleatórias tipo arigatou apenas como zombaria.

Outros chamam o idioma de esquisito, feio e colocam uma dificuldade que não existe. Eu pessoalmente estou cansado de estudar o idioma, e as pessoas ignorantes chegarem com brincadeiras e criticas.

As pessoas simplesmente não fazem ideia do quão rico o idioma japonês pode ser. Por perderem tempo com essas piadinhas que muitos brasileiros não conseguem aprender nem se quer inglês.

Sem respeito a Nacionalidade, são todos olhos puxados



Primeiramente os japoneses enxergam perfeitamente bem, e até melhor, visto que os olhos puxados servem de proteção a radiação ultravioleta refletida pela neve.

Mandar o japonês abrir os olhos, ou categoriza os asiáticos, trocar nacionalidade por serem parecidos, são atitudes degradantes e pura inveja da beleza dos olhos puxados. Acha bom mandar brasileiro deixar de ser bandido?

Na realidade a dificuldade que brasileiros tem de diferenciar japoneses, acontece também ao contrário. Orientais tem dificuldades de diferenciar ocidentais, isso acontece por causa de um bug no cérebro pela falta de convivência com certas características raciais.

Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

Vocês comem aquelas comidas esquisitas? só comem sushi?

Outro problema é a ignorância de achar que japoneses comem insetos, cachorro e outras coisas que se consideram nojentas, ou imaginam que sushi é um prato diário no Japão.

Na verdade, comer sushi no Japão é a mesma coisa de comer Pizza no Brasil, você come Pizza todos os dias? No Japão se come arroz, carne, macarrão, legumes e verduras como em qualquer lugar. Os japoneses só não costumam comer feijão.

No Japão não se come insetos nem coisas que parecem nojentas aos olhos dos ocidentais, já que é um país rico, enquanto esses países que consomem certas coisas estranhas, na maioria das vezes é devido a pobreza.

Antes de insultar as pessoas devem estudar um pouco. Outra coisa que Infelizmente japoneses têm que aturar são perguntas idiotas como:

  • Você sabe comer de pauzinho né?
  • Na sua casa tem garfo?

Pastel de Flango com catupili



Essa é a famosa frase, e um dos maiores insultos tanto para os chineses como para os japoneses. Primeiramente isso é um insulto ao Idioma chines, mostrando a gama de ignorância das pessoas.

No idioma japonês não existe o “L“, veja o vídeo abaixo mostrando que japoneses na verdade falam PASUTERU DE FURANGO.

não sei nada sobre japoneses, vou inventar coisas

Por ser japonês, as pessoas acham que eles tem que ser super inteligentes, fazer equações matemáticas enormes, construir robôs, tem que ser higiênico, educado… Acham que todos são iguais, e que não há diversidade cultural entre eles.

Junto com os diversos motivos citados acima, japoneses ainda tem que aguentar apelidos como japa, ou com palavras do português que parecem japonesas. Sem citar nas milhares de críticas sobre a cultura e costumes japoneses que eles nem conhecem.

Essas brincadeiras nada mais são do que racismo disfarçado. Dificuldade de aceitar o descendente oriental como um cidadão brasileiro comum. Antes de taxar japoneses de preconceituosos, olhem para seus próprios umbigos.

Esses foram apenas alguns dos fatores que mostram quem realmente sofre discriminação, será os brasileiros ou japoneses? É obvio que todo esse assunto é delicado e relativo.

Por isso antes de tirar conclusões precipitadas também devemos entender um pouco sobre o preconceito dos japoneses em relação aos ocidentais. Comente e Compartilhem se possível, para que as pessoas possam refletir sobre essas atitudes.

Compartilhe Nosso artigo:

80 comentários em “Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam”

  1. Parabéns pelo tópico. Eu ouvi muita ladainha na infância do tipo “japonês garantido come cebola e peida fedido”. Mas depois que atingi 1,90 de altura com ombros muito largos e 93 kg de massa, curiosamente acabou. Isto porque minha mãe é descendente de guarani. O que sobrou é a imagem de que todos somos ricos. Todo mecânico quer me esfolar, por exemplo. Quando foi a uma oficina tenho que vestir o pior trapo que tenho e é claro, tive que entender mais de mecânica.

  2. faltou a zoeira de que japoneses tem pênis pequeno

  3. Sou descendente de japoneses e enfrento situações chatas em locais públicos onde pessoas de ambos os sexos fazem comentários racistas dentro de bancos, cartórios, shoppings, etc.
    Aquele vídeo do Kim Kataguiri em que o mesmo refere-se às piadas de mau gosto da sociedade brasileira para os asiáticos, não menciona comentários racistas e pesados contra os japoneses.
    Não tem haver com ser de “direita” ou “esquerda” ou “asiáticos fazendo mimimi”. Ouvir de uma pessoa desconhecida coisas do tipo: “aff que ótimo por que não cheguei mais cedo? Agora tenho que esperar esses caras atenderem pessoas vindas do Japão”. Por que eles não voltam pro Japão?” Foi o que ouvi hoje pela manhã de uma mulher medíocre no cartório quando estive na presença de minha estimada mãe.
    Até situações onde pessoas mudam o lado da calçada ou seguem por outro caminho para não cruzar comigo na rua, pessoas que nem conheço e situações esta que negros costumam passam no seu dia a dia.
    A sociedade brasileira em geral é medíocre, preguiçosa, não se esforça para conseguir o que quer, vivem na zona de conforto e sempre se dão mal, ficam na pior. Os asiáticos aprenderam da pior maneira a se esforçarem, e sem trabalho duro, dedicação ninguém consegue obter riquezas durante a vida. O Japão que até o final da 2ª guerra era um país extremamente pobre, com ajuda dos EUA conseguiram se reerguer tendo a educação como base para o crescimento do país, que em meio século se tornou uma das potências mundiais e referência pela sua cultura e esforço.
    Se no Brasil estas pessoas que tem ranço das diferenças físicas e culturais de seus semelhantes, fizessem o esforço de estudarem e se dedicarem às suas carreiras, talvez o número de empreendimentos e empregos fosse mais abundante, no entanto é mais fácil para esta mesma população medíocre, preconceituosa, jogar a culpa no governo e nas pessoas descendentes de outras raças que não fizeram parte da colonização do Brasil.
    Os medíocres usam o racismo como arma para atacar e a desculpa de “é brincadeira viu” para se defender, no entanto, chamar um negro de negro é crime inafiançável, pudera estas leis terem o mesmo peso as “minorias” existentes no Brasil, Asiáticos, Refugiados e Muçulmanos. Talvez assim a sociedade pensasse 2 x antes de ofender um oriental, um negro, um sírio, etc.

  4. Às vezes um comentário ou piada não tem intenção de ofender, porém, infelizmente, há casos em que tem o intuito de serem ofensivas sim. O comentário do Branquelao, dizendo para o Kevin ir embora para o Japão, demostra um dos preconceitos que descendentes sofrem aqui no Brasil, pois fica visível que algumas pessoas não aceitam descendentes orientais como brasileiros. Já presenciei situações onde as “piadas” foram: “volta para o Japão, olhos puxados” ou “para passar em uma faculdade pública precisa matar um olho rasgado”, e, em alguns cenários fazem até gesto (esticando os olhos com os dedos), e claro que, muitas vezes, acabam com a frase: “foi uma brincadeira”. Ou seja, algumas piadas, na verdade, são ofensas disfarçadas.

    Sobre o uso de palavras japonesas aleatórias, concordo, em partes, com o comentário da Luana Dementa sobre o uso de palavras aleatórias de outros idiomas, mas já presenciei várias cenas em que pessoas gritaram “arigatou”, “sayonara”, quando se depararam com algum oriental, e logo em seguida começam a rir. Isso é um exemplo de que existem casos de preconceito.

    E Bruna, sobre o seu comentário de que mulher brasileira é conhecida como “fácil, gostosa e garota de programa”, eu posso dizer que, infelizmente, é assim que somos conhecidas no exterior, mas isso não quer dizer que a piada do “pastel de flango” não seja preconceito. Um fato não anula o outro.

  5. Há casos de brasileiros sem descendência japonesa morando e trabalhando no Japão por intermédio das multinacionais em que trabalham, como Toyota, Honda, Mitsubishi e Nissan, onde esta pessoas são convidadas a trabalhar por um período no Japão para terem mais experiência sobre a empresa, sua linha de produção e seus objetivos. Enfim alguns destes brasileiros são racistas, zombam dos japoneses a torto e a direito, até fazem canais no Youtube e outras redes sociais para destilarem o veneno contra os japoneses, fazem piadas preconceituosas e racistas, comentários sobre os dizeres racistas mais comuns o que estimula as pessoas a nutrirem este racismo contra os japoneses.
    Casos como o canal “Uma dani”, segue link do video de teor racista: https://www.youtube.com/watch?v=BWVzaLZkg1o
    há muitos outros que ela faz zombando dos japoneses descaradamente sendo que ela e o maridinho moram no Japão e vivem a cultura.
    São este tipo de pessoas que abomino, gente medíocre, hipócrita que resolve morar num país para ficar falando mal de sua população e dos descendentes que moram no Brasil.

Comentários do site