Revolta do Arroz de 1918 – História do Japão

ESCRITO POR

Quando falamos do Japão, a última coisa que imaginamos é violência, revolta, caos e motim. O Japão atual é bastante civilizado e moderno. Ao contrário do Brasil, o Japão não passa por nenhuma crise política e/ou social.

Mas nem sempre foi assim.

A revolta do arroz de 1918 foram uma série de distúrbios populares que surgiram no Japão em 1918. Os tumultos resultaram no colapso do governo Terauchi Masatake (primeiro-ministro do Japão na época).

De julho a setembro de 1918, o Japão foi varrido por uma onda de revoltas de aldeias de pescadores rurais para grandes centros industriais e campos de carvão. Foi a maior turbulência no Japão até hoje, desde a agitação durante a Restauração Meiji de 1868.

A revolta foi uma resposta à inflação em tempos de guerra, baixos salários e especulação de commodities. O preço do arroz dobrou em um curto espaço de tempo, e os preços de outros bens de consumo também aumentaram, enquanto os salários permaneceram baixos. O Japão também foi sujeito a uma pandemia de gripe em 1918-1919 como grande parte do resto do mundo.

Causa da revolta do Arroz



revolta

O começo do século XX para o Japão foi uma época drástica. Ao mesmo tempo que o Japão colonizava a Coréia e a Manchúria e estava no meio de uma guerra mundial, a nação passava por situações econômicas complicadas. Um aumento vertiginoso no preço do arroz causou extrema dificuldade nas áreas rurais, onde o arroz era o principal consumo.

Os agricultores começaram a agir com hostilidade contra os comerciantes de arroz e funcionários do governo que permitiam que o preço ao consumidor saísse do controle.

O aumento do preço do arroz veio no auge de uma espiral inflacionária pós-Primeira Guerra Mundial. A crise inflacionária afetou a maioria dos bens de consumo e aluguéis. Portanto, moradores urbanos também começaram a agir agressivamente contra comerciantes e funcionários do governo.

A Intervenção da Sibéria agravou ainda mais a situação, com o governo comprando estoques de arroz, para alimentar os soldados japoneses. Isso elevou ainda mais os preços do arroz. Eventualmente, a intervenção do governo nos assuntos econômicos fez com que os protestos rurais se alastrassem para as cidades.

O protesto inicial ocorreu na pequena cidade pesqueira de Uozu, na província de Toyama, em 23 de julho de 1918.

Iniciou-se com petições pacíficas. Mas, a perturbação rapidamente se transformou em tumultos, greves, saques, explosões incendiárias de delegacias de polícia e escritórios do governo e confrontos armados. Em 1918, houve 417 disputas separadas envolvendo mais de 66.000 trabalhadores.

Resultados da revolta do Arroz



Revolta do Arroz de 1918 - História do Japão - show photo 1
Terauchi Masatake

Cerca de 25.000 pessoas foram presas. 8200 pessoas foram condenadas por vários crimes, com penas que iam desde multas menores até a pena de morte. No entanto, tumultos não ocorreram necessariamente nas áreas mais pobres. Nem entre os trabalhadores mais pobres.

Assumindo a responsabilidade pelo colapso da ordem pública, o primeiro-ministro Terauchi Masatake e seu gabinete renunciaram em 29 de setembro de 1918.

Compartilhe Nosso artigo:

Comentários do site