A indústria de videogames no Japão: tradição e futuro

, ESCRITO POR

Salas de arcade, empresas multimilionárias e uma visão inovadora do futuro são alguns dos fatores que moldaram a gigantesca indústria de videogames que é o Japão na atualidade.

A indústria de videogames no Japão: tradição e futuro

O começo de uma cultura separada

O país do sol nascente é conhecido em todo o mundo pela sua rica cultura em entretenimento e pela criação de tendências ao nível mundial. É neste contexto que as décadas dos anos 80 e 90 deram origem à revolução do entretenimento de hoje. Durante esse período, os salões de fliperama e os consoles de entretenimento começaram a ter um crescimento que moldou a indústria de videogames do país. Ao mesmo tempo, algumas empresas começaram a se abrir para o mercado e se tornaram populares em todo o mundo, crescendo junto com a economia japonesa.

Isto pode ser visto hoje com o exemplo da Nintendo, que segundo o site Eurogamer.pt, é a empresa mais rica do país asiático, ultrapassando grandes nomes como Toyota, Honda ou Sony. Ao mesmo tempo, também começaram a se expandir os salões de Pachinko, que oferecem uma versão de jogos de azar e que compõem uma indústria que ainda está bastante ativa, gerando cerca de 225 bilhões de dólares por ano.

Esta forma de entretenimento semelhante às máquinas caça-níqueis encontradas nos cassinos ocidentais, ou nos cassinos online recomendados por plataformas online como o Galobonus.pt, também foi adotada para versões móveis, e continua a ser impulsionada por alguns dos mais populares desenvolvedores de videogames do país oriental. Um exemplo disso é mostrado pelo site pt.ign.com, com a Konami adaptando histórias de Metal Gear Solid e Castlevania para máquinas de Pachinko na atualidade.



O futuro da indústria de videogames no Japão

O Japão é um país que mistura tradições e costumes com uma visão sempre criativa para o futuro, e embora consoles e fliperamas tenham tido um grande sucesso global nas últimas décadas, estes podem desaparecer em breve para abrir o caminho para novas tendências. Parques temáticos que aproveitam o foco na realidade virtual, estão se tornando comuns no país asiático na atualidade, por exemplo, e a imersão em mundos digitais está ganhando território também no contexto físico.

Por outro lado, a Nintendo sabe muito bem que o futuro do entretenimento começa a se separar do plano físico, e como mostra a seção de games do site uol.com.br, a maior empresa do Japão poderia se afastar do mercado de consoles a longo prazo. Foi o próprio presidente da maior empresa do Japão, Shuntaro Furukawa, que revelou em janeiro passado que a Nintendo poderia se dedicar completamente ao mercado dos games para smartphone, ao cinema e aos parques temáticos, se a indústria do entretenimento assim o exigir. O objetivo é converter os personagens do mundo digital em parte da vida cotidiana de milhões de pessoas.

A indústria de videogames no Japão: tradição e futuro

Enquanto o futuro do entretenimento busca romper as barreiras entre os plano físicos e digital, a atual indústria de videogames no Japão continua sendo uma referência em termos de inovação em todo o mundo.

Compartilhe Nosso artigo:

Comentários do site