Festival Obon – O dia dos mortos no Japão

, ESCRITO POR


A maior parte da população japonesa é budista, tornando seus rituais parte da tradição nacional. Um dos costumes mais difundidos é o Obon, conhecido como o dia de todas as almas. No Brasil o festival costuma acontecer com nome de Bon Odori, já que o festival foca bastante na dança.

Obon também pode ser chamado apenas de Bon ou Urabon, que é derivado de Avalambana em sânscrito (dia de todas as almas). Um evento similar ao dia de finados, mas com clima de danças alegres e gratidão.

Esse festival ocorre em diversas datas dependendo da região do país, sendo a mais comum em agosto (estação do verão). Essa variação entre três datas ocorre a partir da chegada do calendário gregoriano no início da era Meiji.

Festival Obon - O dia dos mortos no Japão

Passa a existir no leste do Japão em meados de 15 de julho a comemoração baseada no calendário solar. Em 15 de agosto é a data mais comemorada no país e é baseada no calendário lunar na região de Kanto. E no décimo quinto dia do sétimo mês do calendário lunar, o que modifica anualmente a data, ocorre a comemoração da parte norte da região de Kanto.



RITUAIS DO FESTIVAL OBON



O festival foi criado para honrar os ancestrais, por isso é muito comum que as pessoas recebam licenças do trabalho ou organizem as férias para esses três dias de celebração. Durante esse período todos retornam às suas cidades natais para o festival.

Muitos preparativos são necessários. Os túmulos precisam ser limpos e são colocadas oferendas (comida, bebida, flores) para os antepassados em altares. É realizado tudo com muito cuidado e atenção, pois acredita-se que os ancestrais venham do mundo dos mortos especialmente para que se reunam com a família neste período de confraternização.

Festival Obon - O dia dos mortos no Japão

Existem uma série de rituais que fazem parte do Obon. Tudo começa no primeiro dia, quando são acesas lanternas dentro das casas para ajudar a família a trazer os ancestrais do túmulo para a residência. Já no último dia são pintadas lanternas com o brasão da família para guiar os antepassados aos túmulos. Tudo isso com muito incenso nos cemitérios, assim como nas casas japonesas. O fogo marca o início e o fim do festival.

Durante esses três dias têm outros eventos. Um deles é o ritual das lanternas flutuantes (Tooro Nagashi), o qual ocorre com lanternas feitas à mão, com uma vela iluminando seu interior. Essas são colocadas em um rio para serem levadas ao oceano e representam as almas dos antepassados.

A dança Bon Odori



O Bon Odori (dança típica) ocorre durante as noites ao som de tambores em santuários, templos e parques. Essa dança é realizada com o intuito de simbolizar tanto o acolhimento quanto a comemoração dos vivos com os mortos através da dança.

Ela varia de região para região, cada uma tem um estilo de dança e de música diferente. A forma como a dança é executada também difere, tipicamente é realizada com pessoas em círculo ao redor do yagura (coreto de músicos e cantores da música Obon).

Também podem girar ao redor do yagura no sentido horário ou anti-horário, às vezes enfrentam o yagura e se afastam dele, ou ainda dançam em linha reta pelas ruas da cidade. A coreografia da dança é diferente em cada região, assim como seu significado.

Festival Obon - O dia dos mortos no Japão

Por exemplo em uma região mineradora pode ter movimentos simbolizando cavar minério, carregar e empurrar os carrinhos de minério cheios. E cada dança tem um objeto que é usado pelos participantes, exemplificando, chapéus decorados com flores, toalhas ou pequenos badalos de madeira. Como o festival acontece no verão os participantes usam yucata, quimonos de algodão leve.

Ocorre durante as noites ao som de tambores em santuários, templos e parques. Essa dança é realizada com o intuito de simbolizar tanto o acolhimento quanto a comemoração dos vivos com os mortos através da dança. Ela varia de região para região, cada uma tem um estilo de dança e de música diferente.

A forma como a dança é executada também difere, tipicamente é realizada com pessoas em círculo ao redor do yagura (coreto de músicos e cantores da música Obon).Também podem girar ao redor do yagura no sentido horário ou anti-horário, às vezes enfrentam o yagura e se afastam dele, ou ainda dançam em linha reta pelas ruas da cidade.

A coreografia da dança é diferente em cada região, assim como seu significado. Por exemplo em uma região mineradora pode ter movimentos simbolizando cavar minério, carregar e empurrar os carrinhos de minério cheios.E cada dança tem um objeto que é usado pelos participantes, exemplificando, chapéus decorados com flores, toalhas ou pequenos badalos de madeira. Como o festival acontece no verão os participantes usam yucata, quimonos de algodão leve.

Surgimento DO FESTIVAL OBON

O budismo é uma religião e filosofia criada a partir dos ensinamentos de Buda, que viveu no norte da Índia. Foi difundido da Índia à Ásia central e então para a China, Coréia e Japão. Por essa razão as escrituras e doutrinas foram desenvolvidas em sua maioria em Pali e Sânscrito, línguas literárias ligadas à antiga Índia.

Festival Obon - O dia dos mortos no Japão

Esse é o motivo de um festival japonês derivar de um sutra indiano, o Avalambana-sutra (Urabon-kyo em japonês). Ele conta a história de um discípulo de Buda que utiliza seus poderes sobrenaturais para identificar onde está sua mãe falecida. Descobre que ela está no reino dos fantasmas famintos sofrendo muito.

Então pergunta à Buda como pode tirar sua mãe de lá, que o orienta a realizar oferendas aos monges budistas que haviam completado o retiro de verão no décimo quinto dia do sétimo mês. Ele realiza a tarefa e consegue libertar sua mãe do inferno.

Ele reflete sobre a vida de sua mãe e percebe toda sua abnegação e sacrifícios feitos por ele. Como estava muito feliz com a libertação de sua mãe e grato pela sua bondade, então dança de alegria. Assim nasce Bon Odori, em que os antepassados e seus sacrifícios são lembrados e festejados.

Compartilhe Nosso artigo:

Comentários do site