Kintsugi – A arte de recuperar-se de cicatrizes e imperfeições

,
ESCRITO POR //
MATRÍCULAS ABERTAS - PJO - CLIQUE AQUI

No Japão existe uma técnica japonesa que transforma tanto objetos como pessoas que estão quebradas em algo valioso e belo. Neste artigo vamos falar sobre o Kintsugi [金継ぎ] a arte japonesa de curar cicatrizes com ouro.

Na realidade Kintsugi é uma arte que consiste em restaurar vasos e cerâmicas quebradas com ouro derretido. Para ser mais exato, uma mistura de laca e pó de ouro. As vezes essa restauração deixa o objeto tão valioso quanto o original.

De forma simbólica isso mostra pessoas que estão quebradas podem facilmente aprender dessas situações, tornando-se mais fortes e valiosas. Isso também mostra que não devemos nos envergonhar de nossas feridas expostas.

A palavra [金継ぎ] é derivada do ideograma de ouro [金] e de ligar [継ぎ] onde representa literalmente a ligação ou reparação usando ouro. É claro que a liga não é totalmente feita de ouro, mas sim misturada com uma laca ou resina.

Kintsugi - A arte de transformar cicatrizes e imperfeições

A ORIGEM DO Kintsugi

Objetos laqueados [ligado, juntado] são bem tradicionais no Japão, existem diversas técnicas envolvendo laca que provavelmente deu origem a técnica. Uma dessas técnicas é a maki-e que consiste em usar laca de pó de ouro ou prata para fazer decorações com um pincel.

As origens do kintsugi são incertas, mas é provável que a prática tornou-se comum no Japão durante o século 16 e 17. É provável que a tradição começou na época da ascensão das taças de chá, que era um objeto muito valioso para seus donos.

Alguns acreditam que o kintsugi surgiu quando o Shogun Ashikaga Yoshimasa quebrou sua tigela de chá preferida e enviou para reparação na China no século 15, ele mandaram ela toda remendada com grampos.

Insatisfeito com o resultado ele procurou artesãos japoneses que concertaram usando uma resina polvilhada com ouro. Os artesãos influenciados por ideais budistas de desapego e aceitação deram destaque as cicatrizes ao usarem essa técnica.

A primeira referência do kintsugi fala de um guerreiro no século 17 que estava quebrando taças de chá baratas e usando a técnica de reparação para depois vender e gerar uma boa quantia em dinheiro.

Kintsugi - A arte de transformar cicatrizes e imperfeições

A filosofia do Kintsugi

Kintsugi se tornou uma filosofia de vida semelhante ao wabi-sabi que consiste em aceitar o imperfeito e defeituoso. Logo essa técnica se popularizou e se espalhou para outros objetos e países como China e Coreia.

Os japoneses constantemente buscam se manter perfeitos, mas na realidade todos cometem falhas, alguns tentam esconde-las. A filosofia do Kintsugi consiste em não esconder essas falhas mas considera-las de maneira positiva e valiosa.

Acredita-se que Kintsugi está relacionado com a filosofia japonesa mushin [無心] que significa “não importância” e engloba os conceitos de não-apego, aceitar mudanças e o destino.

Outra filosofia além do wabi-sabi e do mushin presente no kintsugi é o sentimento mottainai que descreve o arrependimento por desperdiçar alguma coisa. Existem diversas coisas que podemos aprender com essa arte e aplicar em nossa vida.

Kintsugi - A arte de transformar cicatrizes e imperfeições

Outro fator interessante está no processo do Kintsugi onde leva um longo tempo (semanas e até meses) até a resina secar. Isso representa que o processo de cura pode ser demorado e exige certa paciência.

Enquanto outras formas de reparação acabam de deteriorando com um tempo, o kintsugi é muito resistente, tão resistente quanto o objeto original. Mostrando assim que as feridas nos deixam cada vez mais forte, por isso não devemos esconde-las.

Tipos de reparo do Kintsugi

Existem três métodos ou tipos de reparo que utilizam a técnica de laca com ouro:

  • Hibi [ひび] – Consiste em concertar rachaduras e anexar peças quebradas com mínima sobreposição ou preenchimento de peças que faltam.
  • Kake no kintsugi rei [欠けの金継ぎ例 ] – Quando se utiliza a resina e ouro para preencher peças que faltam.
  • Yobitsugi [呼び継ぎ] – Quando se usa retalhos ou peças de outros objetos para concertar ou criar um novo.

A resina usada no kintsugi se chama urushi e é feita da deiva de uma árvore. Esse material é usado por cerca de 9000 anos como uma cola, massa e pintura. Alguns acabam achando que apenas o ouro é usado, mas as vezes misturam a prata e usam o outro apenas na superfície.

Kintsugi - A arte de transformar cicatrizes e imperfeições

A influência do Kintsugi no Mundo

Antigamente o kintsugi era visto apenas como uma maneira bonita de concertar as coisas, até porque usar ouro é bem valioso. Hoje em dia a prática da restauração com ouro é popular entre os principais artistas contemporâneos.

Existem até mesmo cursos e livros de auto-ajuda e bem-estar que usa essas cerâmicas como uma metáfora para abraçar as falhas e imperfeições. Essas obras de arte costumam atrair pessoas do mundo todo e são usadas até pra fazer marketing.

O que você pensa sobre essa tradicional reparação de vasos japonesa? Você conhecia esse termo? Acha interessante sua aplicação na vida? O que pensa sobre o assunto? Aguardamos seus comentários e compartilhamentos.

Compartilhe nas redes sociais:




Comentários do site