Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

, ESCRITO POR


O Japão até hoje tem a fama de ser um dos países com a maior taxa de suicídio, mas será que isso é verdade? Neste artigo vamos mostrar que isso não é mais verdade e como o Japão acabou com metade dos suicídios.

Sempre que uma notícia boa sobre o Japão é publicada nas redes sociais, algum infeliz comenta coisas como “no Japão as pessoas se suicidam” ou “no Japão as pessoas se matam de trabalhar“.

Revoltado com essa desinformação e noticia generalizada, resolvi escrever esse artigo que vai mostrar detalhadamente como o Japão deixou de ser um dos países com maior número de suicídios.

Antes de começarmos eu gostaria de destacar que o Japão tem sim um índice de suicídio elevado, mas não como as pessoas pensam. Na verdade, o ponto que queremos destacar é como o Japão cortou pela metade esse número.

Esse artigo é muito grande, quis fazer uma pesquisa completa e compartilhar toda minha opinião e dados aqui. Pensando nisso, vou deixar abaixo um Sumário e um Resumo do ponto que vou destacar:

Esse artigo vai destacar como o Japão diminuiu a taxa de suicídios por 100.000 habitantes de 35 para 17 e como ele caiu dos dez primeiros para a trigésima posição no ranking de suicídios mundial.

Sumário do Artigo
- Por que o Japão tem fama de ser um país suicida? 
- Como os japoneses encaram o suicídio? 
- Como o Japão se tornou um dos países com maior número de suicídios? 
- Japão cortou pela metade os suicídios
- Japão no Ranking de suicídios 
- Suicídios no Brasil é maior que no Japão?

Por que o Japão tem fama de ser um país suícida?



Antes de falarmos de dados e história, precisamos desfazer uma confusão que muitos rankings e pesquisas na internet fazem. Existem duas formas de calcular o número de suicídios num país, com o total e com a proporção.

Já vou adiantando que existem dezenas de países com um índice de suicídio muito maior que o Japão. A diferença é que a maioria desses países são pequenos, o que resulta num total de suicídios bem menor.

Já o Japão está entre os 10 países mais populosos do mundo, apesar de ser uma ilha pequena, que incrivelmente tem 80% de florestas e montanhas, e muitas casas gigantes, já que a maioria se acumula em Tokyo.

Logicamente, mesmo que o Japão tenha uma média proporcional de suicídios baixa, seu país vai se destacar no valor total por ter 127 milhões de pessoas. Sem mencionar que o Japão é um país de primeiro mundo.

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

É obvio que a mídia vai sempre usar o Japão como exemplo de suicídios, por ter uma média razoavelmente alta, por ser um país de primeiro mundo e por ser um país pequeno onde as coisas circulam.

Teve um ano recente que o Japão esteva com 17 na média de suicídios por 100.000 habitantes. O que são 17 pessoas entre 100.000? Isso resulta num total de 21.000 suicídios por ano. Será que esse é um valor alto?

Claro que é um valor alto e infeliz, mas das 17 pessoas temos 99.983 pessoas que vivem no Japão normalmente com sua vida sem querer se matar. Não tem porque usar tal número para denegrir a imagem do país.

Como os japoneses encaram o suicídio?



Culturalmente os japoneses tem um histórico suicida. Os japoneses geralmente acreditam em vida após a morte, reencarnação e livramento, então meio que pra eles o suicídio acaba sendo uma opção.

Enquanto os cristãos que dominam o ocidente acredita que o suicídio seja um pecado e desrespeito com a vida. Os Samurais do Japão se suicidavam com honra e orgulho perfurando a barriga no seppuku.

Seguindo a cultura dos samurais, os homens japoneses ao perderem o emprego ou se divorciarem acabam se sentindo que desonraram a si mesmos e suas famílias e que o suicídio é a maneira mais honrosa de sair da situação. 

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

Tanto que atualmente o problema em si nem é a taxa de suicídios mas as pessoas que suicidam. O Suicídio é o principal culpado pelo número de mortes entre os jovens de 20 a 40 anos.

Acredito que a taxa possa ser bem menor se os japoneses fossem um pouco mais sociáveis e não sofressem tanta pressão e fossem um pouco mais despreocupados com as coisas. Felizmente hoje o cenário tem ficado assim!

A falta de apoio psicológico é outra coisa que falta no Japão. Eles não tem o costume de consultar com psicólogos e psiquiatras, nem de fazerem terapias. Essa ausência também pode afetar negativamente os japoneses.

Como o Japão se tornou um dos países com maior número de suicídios?

Foi depois da segunda guerra mundial que o Japão se ergueu das cinzas. Muitos japoneses traumatizados com a guerra acabaram cometendo suicídios nesse meio tempo. Algo que acontece até hoje, com muitos ainda vivos.

Infelizmente isso não é exclusivo do Japão. Nos Estados Unidos pesquisas relatavam que milhares de ex-soldados cometeram suicídios aos longos dos anos. As consequências da guerra levam séculos para sumir.

Além do trauma da guerra, japoneses sofriam o trauma da bomba nuclear, escassez de alimentos, crise económica, devastação e alguns terremotos e tsunami que tiravam a vida de pessoas amadas.

Antes dos anos 40 o Japão tinha uma taxa de suicídios muito baixo, isso porque o país estava bem em diversas questões até a chegada da guerra. Logo nos anos 60 o Japão teve a maior taxa de suicídios.

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

Para acabar com os problemas económicos, o Japão começou uma intensa campanha e investimento em educação e trabalho. Isso o transformou na terceira maior economia do mundo, mas com consequências.

No começo isso funcionou bastante, o Japão conseguiu se manter com a taxa baixa entre a década de 90 até chegar em uma recessão econômica em 1998. Isso fez a taxa de suicídios disparar subindo mais de 35%.

Foi assim que o Japão provavelmente ganhou a fama de ser um dos países com maior taxa de suicídio do mundo. Nessa época o número em algumas pesquisas ultrapassava 30 suicídios por 100.000 habitantes.

Teve anos que o número de suicídio no Japão chegou próximo dos 40.000 por ano. Nesses anos de crise o Japão sempre se destacava em primeiro nos rankings de suicídio, mas ainda nunca foi o maior.

Japão cortou pela metade os suicídios



Enquanto a taxa de suicídios do Japão beirava os 30 no começo do século, hoje a taxa está entre 14 e 16 segundo algumas pesquisas como WHO. Como o Japão foi capaz de fazer tal façanha?

Isso não tem acontecido apenas com suicídios, o Japão tem abaixado a cada ano o índice de criminalidade, morte e violência. As únicas coisas que ele não tem conseguido diminuir são os assédios sexuais e roubos de bicicleta.

Tudo isso é graças as ações do governo que lançou um plano de nove etapas em 2007 chamada de “Livro Branco contra o suicídio“. O plano foi um sucesso e desde 2009 o Japão conseguiu derrubar a cada ano o número de suicídios:

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

Foram investidos mais de 10 bilhões por ano afim de diminuir a taxa de suicídios do país afim de abaixar em 20% a taxa. Os resultados foram claros, o Japão conseguiu diminuir quase que pela metade o número de suicídios.

O investimento treinou médicos, criou uma formação de consultores jurídicos para cuidar daqueles que foram endividados injustamente, tomou medidas fortes contra sites, sala de bate-papo e boletins sobre suicídio e deu ênfase nos tratamentos contra depressão.

A carga horária de trabalho também tem diminuído cada vez mais. O governo e algumas empresas tem desincentivado os viciados em trabalho a tirar suas férias e não fazer muitas horas extras.

Foi até estipulado uma medida que limita a quantidade de horas extras trabalhada na semana e no mês. Infelizmente algumas fábricas e escritórios acabam burlando tal lei usando algumas brechas como trabalho não remunerado.

É comum encontrar na maior parte do tempo japoneses atoa sem fazer nada. Essa ideia de que japoneses morrem de trabalhar, apesar de ter um fundo de verdade, também afirmo ser um pouco exagerado e não abrange a maioria.

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

Ainda resta um longo trabalho pela frente, mas as condições financeiras melhoraram no Japão ao longo dessa década. Não sabemos como a população vai reagir diante de outra crise financeira.

Apesar do número estar caindo, existem países pobres como Filipinas que tem uma taxa de suicídio muito menor abaixo dos 5. Infelizmente o Brasil não serve de exemplo, já que a taxa do Brasil beira os 12.

Japão no Ranking de suicídios

Antes de falar dos rankings eu queria destacar que eles são imprecisos. Pesquisando diversos rankings encontrei números bem diferentes no mesmo ano em relação a alguns países. Trabalhar com estimativas é meio estranho.

Para desmentir a posição do Japão no ranking de suicídios, vamos analisar um pouco os rankings mundial. Atualmente existem mais de 30 países com suicídio maior que o Japão segundo WHO. Segue a lista abaixo:

1 Guiana30.2
2 Lesoto28.9
3 Russia26.5
4 Lithuania25.7
5 Suriname23.2
6Costa do Marfim23.0
7Cazaquistão22.8
8Guiné Equatorial22.0
9Bielorrússia21.4
10Coreia do Sul20.2
11Uganda20.0
12Camarões19.5
13Zimbabwe19.1
14Ucrânia18.5
15Nigeria17.3
16Letônia17.2
17Suazilândia16.7
18Taiwan16.65
18Togo16.6
19India16.5
19Uruguai16.5
21Serra Leoa16.1
22Benin15.7
22Belgium15.7
24Chad15.5
25Quiribati15.2
26Cabo Verde15.1
27Burundi15.0
28Burkina Faso14.8
29Estonia14.4
30Japão14.3

É incrível, o Japão já esteve na casas dos 32 e agora está com 14.3. Claro que ainda não é motivo de se orgulhar, esse número precisa diminuir ainda mais, se possível ficar menor que 10 a cada 100.000 habitantes.

Podemos notar que apesar do Japão estar em trigésimo na lista, ele é um dos países mais ricos presente nela. Ainda assim existem países desenvolvidos na lista como Coreia do Sul e Rússia.

Devemos destacar que existem países ricos e desenvolvidos que estão arrastando do lado do Japão. Estados Unidos tem 13.7, Finlândia tem 13.8 e diversos outros países da Europa estão por volta dos 13.

Na verdade, a Europa é o continente com maior número de suicídios, mesmo a maioria dos países do ranking se localizando na Africa. Até as Américas aparece antes da África no ranking de maior taxa de suicídios por continente.

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

Suicídios no Brasil é maior que no Japão?



Apesar do Japão ter cortado pela metade o número de suicídios, ele ainda é alto, sendo um dos mais altos entre países de primeiro mundo. Felizmente, vamos torcer para ele continuar abaixando, logo passa os EUA.

Agora eu quero comentar sobre algo que me incomodou e fez eu escrever este artigo. As pessoas amam citar o fator do suicídio para denegrir a imagem do Japão e dizer que japoneses não são felizes.

É claro que é inegável que os suicídios no Japão ainda ocorram em um número elevado, cerca de até 30% a mais que no Brasil. Ainda assim, se compararmos o valor total de suicídios, o Brasil pode ter um maior número.

Não que o valor total faça algum sentido, já que o Brasil tem quase o dobro da população do Japão. Ainda assim, o Brasil não está em condições de criticar o Japão por seu alto índice de suicídios quando se está numa situação pior.

Os brasileiros cometem suicídio de outras maneiras, se entregando a práticas violentas e vícios em drogas que resultam na própria morte ou na morte de outros inocentes. Apesar de todos os problemas relacionados a segurança no Brasil, milhares de brasileiros vivem felizes no país.

Da mesma forma que muitos brasileiros amam seu país e não o abandonariam apesar das terríveis condições e a pequena probabilidade de ser assasinado, não tem porque os japoneses encararem a vida no país de forma negativa por causa do número de suicídios.

Como o Japão acabou com metade dos suicídios?

Da mesma forma que brasileiros estão acostumados com tantos problemas e não sentem tanto impacto com as tragédias recorrentes, os japoneses acostumaram com os suicídios que ocorrem na sociedade.

Acho que cada país tem seus problemas, mas não podemos deixar que algo negativo afete nosso modo de vida, nem que isso se torne um medo ou fraqueza. Cada um tem sua realidade, não devemos nos basear nos outros.

Imagina se os japoneses tivessem medo de terremoto e tsunami igual os brasileiros tem ao se falar do Japão? Existe um ditado que diz que é mais fácil alguém morrer atropelado por uma vaca no Japão do que num tsunami.

Da mesma forma que ninguém gosta quando taxamos brasileiros de bandido, não tem porque taxar japoneses de suicidas, já que isso não abrange a realidade da maioria dos cidadãos que vivem suas vidas pessoas felizes e boas.

De qualquer forma, o Brasil precisa parar de olhar para os outros e tentar resolver os problemas crescentes de depressão, números de suicídio, roubos e assassinatos que tem subido a cada ano no país.

Espero que esse artigo não tenha ficado um pouco tendencioso ou confuso, meu único objetivo é acabar com a generalização que as pessoas disseminam na internet. Espero que tenham gostado, se possível compartilhem com maior número de pessoas possíveis e deixe seus comentários.

Compartilhe Nosso artigo:

Comentários do site