Seppuku e Harakiri – Fatos desconhecidos

, ESCRITO POR

Inscreva-se para baixar nossos livros e receber contéudo exclusivo

[AVISO!] Clique e participe do Workshop de Viagem ao Japão

Compartilhe com seus Amigos!

Talvez você já saiba que Seppuku ou Harakiri é a arte japonesa de suicidar e morrer com honra, preferível pelos samurais ao invés de uma execução. Neste artigo vamos além, investigando cada detalhe dessa cultura do suicídio e alguns fatos desconhecidos.

Você sabia que a lâmina mais usada em Seppuku não era uma Katana? Sabia que mulheres também tinha um ritual semelhante? Conhece todos os processos do Harakiri? Conhece os mais famosos que cometeram tal ato?

Sumário do Artigo
- O que significa Seppuku e Harakiri? 
- A complexidade de um seppuku ou harakiri 
- Qual a origem e história do Seppuku? 
- Como funcionava o ritual Seppuku?
- Kaishakunin - Seppuku não é feito sozinho
- Jigai - Harakiri Feminino 
- Seppuku e o Bushido - Código de Honra dos Samurais 
- Japoneses que cometeram seppuku
- Jumonji Giri - Sem cortes na cabeça 
- Como o Seppuko Influenciou o Japão?

O que significa Seppuku e Harakiri?

seppuku é um ritual suicida japonês, que faz parte do Código de honra dos samurais. A palavra seppuku [切腹] significa “cortar o ventre”. O Seppuku é usado em situações extremas como falha ao servir seu mestre ou perder em uma guerra.

No Ocidente esse ato é conhecido mais como harakiri [腹切 ou 腹切り] onde samurais ou guerreiros suicidavam-se de forma honrosa, pelo amor; honra e pátria. Esse ato é usado voluntariamente como escolha de fugir das mãos dos inimigos.

O Seppuku também é uma forma de pena capital para os samurais que cometeram crimes graves e outros motivos de vergonha. Na sua forma mais básica, o seppuku é um suicídio honrado, cometido ritualisticamente. 

A faca usada para o ritual se chama Tantō ou Kozuka. Essa faca é muito mais fácil de manejar do que uma katana ou espada, permitindo cortes de maneira rápida, precisa e limpa.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

A complexidade de um seppuku ou harakiri

O Seppuku adequado era tão complexo que exigia até mesmo um mestre espadachim. Alguns rituais tornaram-se tão complexos que o ato poderia levar dias para ser planejado e horas para se decretar.

O corte no intestino não é o golpe da morte, é simbólico. O ato requer uma técnica específica envolvendo 3 movimentos.

Digamos que você tenha a tolerância à dor de um deus e queira ser especialmente honrado na morte. Após as três primeiras feridas, retire a faca, apunhale-se no estômago e passe pelos cortes anteriores até o esterno.

Em muitos casos, aqueles que cometeram harakiri escreveram poemas como parte do ritual. Portanto, existem aspectos técnicos e literários no seppuku. Será esse um dos primeiros relatos das cartas de suicídio?

Acontece que, além de serem guerreiros durões, os samurais eram uma classe instruída, com educação na religião e na palavra escrita, ambas ligadas fortemente à poesia no Japão feudal. Acredite ou não, alguns samurais eram realmente bons poetas.

Alguns samurais escreveram haiku, outros waka. Os poemas de morte fornecem uma prova de que o samurai compreendeu a verdadeira natureza de sua morte. Esses poemas eram tipicamente influenciados pelas visões budistas da morte.

Seppuku não era algo isolado. Pelo contrário, alguns eram cometidos em um jardim ou em local sagrado, e contou com a presença de vários espectadores. Se você está planejando seppuku, lave-se antes e vista suas melhores roupas.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Qual a origem e história do Seppuku?

O primeiro caso documentado de seppuku data de 1180. Naquela época, os clãs Minamoto e Taira estavam em guerra, e os Taira dizimaram seu inimigo. O líder do clã derrotado, Minamoto no Yorimasa, viu sua vida desmoronando ao seu redor.

Guerreiro e poeta, preferiu o suicídio a viver uma vida de fracasso. Existem várias versões da história de sua morte – de acordo com uma, ele se apoiou em um pilar maciço em sua casa e abriu o estômago.

Originalmente, o seppuku era um ato militar, geralmente realizado em batalha ou em face da derrota. No entanto, nos anos 1500, tornou-se um direito permitido apenas aos samurais e daimyo (senhores feudais), sendo proibido para alguns guerreiros.

Seppuku como uma alternativa honrosa à execução pela classe samurai e daimyo era, em teoria, um direito concedido pelo imperador. Os autorizados a cometer seppuku receberam uma faca cerimonial ornamentada e a usavam para cortar a barriga.

O decapitador devolveu a faca ao imperador como prova de que a ação foi feita. Frequentemente cometido como resultado de desonra ou deslealdade ao imperador. Em alguns casos, o próprio atuava como juiz, júri e carrasco.

Tais seppuku forçados exigiam pouca evidência ou testemunho. Esta forma de seppuku obrigatório continuou até 1868, quando foi finalmente proibido. O seppuku também era permitido como alternativa à execução nas mãos dos militares ou de seu inimigo.

Em vez de ser morto, você poderia seguir o caminho honroso de escolher terminar sua própria vida. Nesses casos, você pode reter alguma forma de honra pessoal na morte. Esse método voluntário de seppuku nunca foi proibido até hoje.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos -  1

Como funcionava o ritual Seppuku?

Só para samurais (Cerimônia de suicídio tinha banho; sakê; último poema e até golpe de misericórdia.)

O harakiri, ou seppuku, começa com o Samurai se preparando com um banho, que acreditava servir para purificar o corpo e a alma. O guerreiro convidava amigos e parentes para testemunhar sua morte e a reconquista da honra perdida e podia usar um traje especial, na cor branca, para simbolizar caráter íntegro e virtuoso.

O local escolhido para a cerimônia poderia ser o interior de uma casa, mas normalmente era a céu aberto, em um jardim budista. O seppuku só não podia ser feito nos jardins de templos xintoístas, lugares sagrados que não deveriam ser profanados com a morte.

O samurai se acomodava sentado sobre as pernas. Ele escrevia o último poema em uma mesinha de madeira e tomava o último sakê em dois goles. Depois posicionava a lâmina da espada no lado esquerdo do abdômen e golpeava a si mesmo.

Após o primeiro corte, os mais bravos traziam a espada até o centro do corpo e a levantavam, visando atingir o centro do abdome. Os japoneses acreditavam que ali se localizava a alma.

Para se auto-golpear, o guerreiro usava uma espada curta (de 30 a 60 centímetros) chamada wakizashi (脇差し). Ele a empunhava segurando um lenço branco. Após a morte, destrua todas as lâminas usadas no Seppuku.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Kaishakunin – Seppuku não é feito sozinho

Seppuku não é algo que você pode faz sozinho (apesar de alguns cortarem a própria garganta). Talvez você tenha visto filmes, shows ou quadrinhos nos quais um samurai, sentado em silêncio e solidão, se apunhala com uma katana.

Na realidade, esfaquear-se no estômago é apenas a primeira parte do seppuku. Você corta seu abdômen para liberar seu espírito de seu corpo; depois disso, você está vivo e com dores excruciantes. Seu assistente, um kaishakunin, decapita você.

O kaishakunin [介錯人] é um segundo samurai muito habilidoso que acompanhava a cerimônia. Ele podia ser um amigo do suicida ou até um inimigo, que, em reconhecimento à bravura do rival, oferecia-se para acompanhar sua morte.

A função do seppuku era infligir ao suicida um ferimento fatal e doloroso. Mas, como a morte às vezes levava horas, o kaishakunin podia dar um golpe de misericórdia para acabar com a vida do guerreiro, que já tinha provado sua coragem.

O golpe único no pescoço precisava ser preciso, mantendo a cabeça presa ao corpo por um pedaço de pele. Caso ele corta-se ela inteira, fazendo rolar pelo chão, poderia ser considerado uma grande falta de respeito.

Os pretensos decapitadores convidados a participar de um seppuku só poderiam recusar com o argumento de que sua técnica de espada é inadequada. Se a qualquer momento seu assistente o ver hesitar, ele pode cortar sua cabeça.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Jigai – Harakiri Feminino

Como o Seppuku era um ato popular entre guerreiros, a maioria das mulheres ficaram de fora. O que poucos sabem é que a mulher tinha um próprio ritual de Harakiri e podia cometer suicídio honroso em algumas ocasiões.

Se você era a esposa de um samurai ou uma mulher envolvida em guerra, foi estuprada, teve o marido morto, desonrado ou perdeu seu lar, a mulher poderia escolher terminar sua vida com um jigai, que em alguns casos era obrigatório.

Cometer jigai começa com amarrar o corpo em uma pose específica com uma corda, para evitar uma morte feia (as mulheres japonesas eram obrigadas a serem adequadas e bonitas o tempo todo).

Uma vez presa, pegue uma faca muito afiada e corte a artéria no pescoço de uma só vez. Jigai provocava uma morte muito rápida, mas também era muito confusa, criando um dilúvio de sangue.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Seppuku e o Bushido – Código de Honra dos Samurais

Seppuku faz parte do código de honra dos samurais, o Bushido (武士道). Ele era levado bastante a sério pelos samurais na época. Eles entregavam sua vida ao seu mestre, eles mesmos não aceitavam falhas. Vimos que até hoje os japoneses gostam de manter um ritmo perfeito nas coisas, e não gostam de falhas.

‘Para um samurai, honrar o nome de sua família e de seus ancestrais é dito através da morte em uma batalha ou duelo, porém, não necessariamente. E falhar, diante seu senhor, era a maior desonra para o guerreiro, que por fim, não tinha outra escolha, senão o suicídio. Isso só é possível pelos padrões que regem o guerreiro samurai por meio do bushido.’

Caso o samurai fizesse algo desonroso e não realizasse o Seppuku. Ele se tornaria um Ronin (浪人), um samurai sem mestre, e não encontraria nenhum outro mestre que viesse a contratá-lo.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Japoneses que cometeram seppuku

Kusunoki Masashige (de 1294 a 1336). – Cometeu seppuku depois que o imperador a quem ele servia ignorou seus conselhos durante uma guerra, o que resultou na perda da batalha.

Ōishi Kuranosuke Yoshio + 46 ronin foram sentenciados a cometer seppuku após vingar a morte de Asano Naganori. Já o próprio Asano Naganori cometeu harakiri por sua tentativa fracassada de matar Kira Yoshinaka, no castelo Edo.

General Akashi Gidayu cometeu harakiri pelo seu mestre, após este ter perdido uma batalha em 1582. Filho adotivo de Miyamoto Musashi cometeu harakiri por causa da morte de seu lorde.

Em 1970, o renomado romancista Yukio Mishima e seus seguidores cometeram harakiri enquanto defendiam uma revolução política contra a constituição do pós-guerra. Envergonhado pela zombaria, marchou ao escritório do general e cometeu seppuku.

No século 19 guerreiros mataram franceses por considerarem hostis durante sua chegada em Sakai. O Capitão do Navio exigiu compensação, desses guerreiros 11 cometeram seppuku, a cena foi tão horrível que o capitão não conseguiu assistir.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Jumonji Giri – Sem cortes na cabeça

Seppuku não é desagradável o suficiente para você? Existe uma versão alternativa chamada jumonji giri onde a não tem decapitação. Ou seja, você apenas corta a barriga da forma tradicional e sangra até a morte.

O almirante Takijiro Onishi, responsável pelas corridas de kamikazi na Segunda Guerra Mundial, se matou dessa maneira com a rendição do Japão. Ele levou 15 horas para morrer.

O general Nogi também cometeu jumonji giri, em 1912, e foi tão incondicional que abotoou completamente seu uniforme militar sobre suas feridas antes de esperar o fim.

Como o Seppuko Influenciou o Japão?

É muito comum vermos referências ao seppuku em anime e mánga, eu me lembro disso em Love Hina, e em outros animes que me fugiram agora. 

E como não mencionar o Filme 47 Ronin, apesar das irrealidades, foi um trágico final, o seppuku, foi bastante triste. Fiz uma imagem destacando algumas referências em anime e filme. Vejam se reconhecem.

Seppuku e Harakiri - Fatos desconhecidos

Com certeza podemos afirmar que a cultura do suicídio no Japão teve bastante influência do Seppuku ou Harakiri. Mesmo a taxa caindo nos últimos 30 anos, os suicídios no Japão passam de 20 mil. Será que o Seppuku foi responsável?

Outro grande exemplo são os kamikazes na Segunda Guerra Mundial. Percebemos que tanto o seppuku quanto a honra dos samurais, influenciaram culturalmente o Japão hoje.

Infelizmente milhares de japoneses cometem suicido por motivos desonrosos. Porém eles mantêm sua lealdade e levam todo trabalho e vida a sério, valorizam as coisas e se esforçam ao máximo, ao ponto de sentir vergonha.

Para finalizar este artigo, vamos deixar alguns vídeos mostrando o processo do Seppuku. Se gostou do artigo, compartilhe e deixe seus comentários. Obrigado e até a próxima!

Compartilhe com seus Amigos!

4 comentários em “Seppuku e Harakiri – Fatos desconhecidos”

  1. Ninguém se mata por motivo desonroso.
    Suifobicos tem que ser criminalizados, eles perturbam a família, não deixam o morto descansar em paz e inflingem sua integridade. A vida não é boa, existe a deepweb e coisas q vc nem imagina.

    Responder
    • Claro que a maioria a pessoa deve sofrer algum tipo de problema ou pressão psicológica, depressão… Mas já me deparei e ouvi relatos de muitos do nada querer se matar apenas pra fugir de problemas absolutamente pequenos…

    • O instinto natural é querer viver, ninguém se mata “porque dá na telha”. A maioria das pessoas q faz isso tem problemas muito difíceis de achar uma solução que seja boa, mas não falam muito dele.

    • O suicídio no Japão tem muitas questões culturais, a falta de comunicação, timidez, crenças religiosas, e pressão social são apenas algumas delas…

Comentários do site