O que é o Fenômeno Futoko no Japão?

[ADS] Anúncio

Futoko ou Futoukou é um fenômeno que surgiu no Japão no início dos anos 2000 e se refere às crianças e adolescentes que recusam ir à escola frequentemente ou abandonam completamente.

Os alunos diagnosticados com futoko têm frequentemente dificuldades de aprendizado, problemas psíquicos e podem manifestar sinais de ansiedade grave.

Eles preferem frequentemente ficar em casa sozinhos ou com amigos em ambientes amigáveis, em vez de lidar com as pressões dos estudos e a rigidez das escolas.

Existem várias causas possíveis para o fenômeno, como pressões sociais, bullying ou o esgotamento dos alunos, mas há também muitas incertezas sobre o assunto.

De qualquer forma, o governo japonês tem focado especialmente na prevenção do futoko e tem tomado medidas para melhorar as condições nas escolas japonesas.

Essa situação lembra muito o artigo: Você sabe o que é um Hikikomori ou NEET?

Asian girl smile sitting on yellow stairs line

O que significa a palavra Futoko?

Apesar de escrevermos “futoko” devido à romanização ocidental, vale citar que o correto é “futoukou” [ふとうこう]. Os ideogramas que compõe a palavra é [不登校] e significa ausência escolar ou sem escola.

O termo é escrito com os dois ideogramas [不] (Fu) que significa “não” e [登] (To) que significa “ascender”. Já o último ideograma [校] refere-se a escola.

Além de seu significado literal, o termo também pode ser usado para descrever uma pessoa que não é socialmente ativa ou envolvida na sociedade. Uma pessoa que raramente sai de casa, ou alguém que evita a interação social.

O ideograma para [不] é composto por uma mão e o ideograma [登] é composto por uma pessoa e uma escada. Isso implica que não ir à escola envolve evitar ativamente uma oportunidade de autoaperfeiçoamento, sugerindo que o aluno está perdendo voluntariamente a chance de aprender e adquirir conhecimento.

Leia também: O desenvolvimento das crianças japonesas

Asian child studying

Fushuugaku [不就学] – Não Frequentar a Escola

A diferença entre Fushugaku é Futoko é que geralmente a palavra Fushuugaku é usado para crianças que nunca se inscreveram na escola, enquanto Futoko são pessoas que registraram, mas não frequentam.

Geralmente os alunos considerados Fushugaku são na grande maioria estrangeiros que não se adaptaram com a língua japonesa ou por outros motivos pessoais e familiares.

Por não existir obrigação para crianças estrangeiras frequentarem as escolas, o termo Fushuugaku se encaixa com estrangeiros, principalmente pais que desejam que seu filho aprenda sua língua nativa.

Quais as Causas do Futoukou?

Há uma variedade de razões pelas quais as crianças não querem frequentar a escola. Muitas vezes as causas são complexas, algumas delas são:

  1. Bullying: uma das principais causas do Futoko é o bullying, ou o abuso físico e psicológico por parte dos colegas de classe. Isso pode levar as crianças a se sentirem inseguras e desmotivadas em frequentar a escola.
  2. Dificuldades de aprendizagem: as crianças com dificuldades de aprendizagem, como dislexia ou dificuldade de concentração, podem se sentir desencorajadas e incapazes de acompanhar o ritmo da sala de aula, e acabam evitando as aulas.
  3. Problemas de saúde mental: problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão, acabam afetando a capacidade de uma criança de lidar com a pressão escolar.
  4. Problemas familiares: algumas crianças podem estar enfrentando problemas em casa, como separação dos pais ou problemas financeiros, já outras têm pais ausentes e podem até mesmo morar sozinhas.
  5. Desmotivação e falta de interesse: a metodologia de ensino tradicional pode ser um pouco arcaica, chata e cansativa para algumas crianças, deixando-as desmotivadas e sem interesse.

Além disso, algumas crianças podem estar enfrentando vários desses problemas ao mesmo tempo, cada criança tem uma situação e realidade única, então a lista de causas pode ser bem maior.

Leia também: Chuunibyou – A crise do ensino médio

Ijime – bullyng nas escolas do japão

Cada vez mais crianças no Japão abandonam as escolas

Um exemplo disso é a história de Yuta Ito, um menino de dez anos, que esperou até uma semana de feriado para contar aos seus pais que não queria mais ir à escola.

Ele estava sendo vítima de bullying e sofrendo em silêncio por meses. Os pais de Yuta tiveram três opções: mandá-lo para aconselhamento escolar, ensiná-lo em casa ou mudá-lo para uma escola alternativa.

Eles escolheram a última opção e Yuta foi para uma escola reconhecida pelo governo que prioriza a liberdade e a individualidade das crianças. A tendência tem sido a crescente matrícula neste tipo de escola alternativa, enquanto o número de casos de bullying nas escolas convencionais continua aumentando.

Em 17 de outubro de 2019, o governo japonês anunciou que o número de ausências entre estudantes do ensino fundamental e médio atingiu um recorde, com 164.528 crianças ausentes por 30 dias ou mais durante 2018, em comparação com 144.031 em 2017.

Recomendamos ler: Crianças japonesas caminham diferente?

Ijime – bullyng nas escolas do japão

O que fazer em caso de Futoukou?

As crianças que sofrem de futoukou, ou recusa em frequentar a escola, têm algumas opções de alternativas. Algumas das opções incluem:

  1. Aconselhamento escolar: as crianças podem frequentar sessões de aconselhamento escolar para lidar com problemas como bullying, dificuldades de aprendizagem, ou problemas de saúde mental que possam estar impedindo-as de frequentar a escola.
  2. Ensino em casa: algumas famílias optam por ensinar seus filhos em casa, seja por meio de programas de ensino à distância ou por meio de tutores particulares.
  3. Escolas alternativas: como mencionado, existem escolas alternativas reconhecidas pelo governo que priorizam a liberdade e a individualidade das crianças, são escolas menos convencionais, e podem ser uma boa opção para crianças que não se adaptam ao ambiente escolar tradicional.
  4. Atendimento psicológico e psiquiátrico: Crianças que sofrem com problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão, podem precisar de tratamento especializado para lidar com esses problemas e voltar à escola.
  5. Aprendizado remoto: Alguns programas com VR estão sendo utilizado para as aulas remotas, onde as crianças podem participar de uma sala virtual, com a presença de seus colegas e professores e ainda contar com a interação e ajuda de um tutor durante as aulas.

É importante observar que cada criança tem sua própria situação única e pode ser necessário explorar várias opções antes de encontrar uma solução adequada para ela, a orientação de um especialista na área é fundamental.

Veja mais: Crianças vão e voltam sozinhas as escolas no Japão! Por quê?

Conclusão

Em resumo, o Futoko é um fenômeno crescente no Japão, onde crianças estão se recusando a frequentar a escola, causando preocupação para as famílias e educadores.

As causas do Futoko podem ser variadas e complexas, incluindo bullying, dificuldades de aprendizagem, problemas de saúde mental, problemas familiares e desmotivação.

As alternativas disponíveis para as crianças que sofrem de Futoko incluem aconselhamento escolar, ensino em casa, escolas alternativas, e atendimento psicológico e psiquiátrico.

Além disso, a tecnologia VR tem sido experimentada em algumas escolas, como uma forma de tornar a aprendizagem mais imersiva e engajadora.

No entanto, é importante que cada caso seja avaliado de forma individual para encontrar a melhor solução para cada criança. É fundamental uma atenção e intervenção pronta para que crianças possam volta a estudar e se desenvolver de forma saudável.

Compartilhe Este Artigo: