Gangues e Delinquentes japoneses – Yankii, Bosozoku e Sukeban

, , ESCRITO POR

Inscreva-se para baixar nossos livros e receber contéudo exclusivo

[ATENÇÃO] Quer Aprender Japonês? Clique aqui e acesse um curso gratuito!

Compartilhe com seus Amigos!

Você conhece as gangues e os delinquentes japoneses? Existem vários tipos deles que recebiam até mesmo nomes e títulos como Yankii, Bosozoku e Sukeban. Neste artigo vamos ver tudo sobre os delinquentes japoneses, principalmente sobre esses citados.

Alguns não pertencem a gangues e podem agir de maneira diferente nas ruas ou fazendo bullying nas escolas. Não importa se um delinquente japonês é valentão do colégio, membro de gangue e motoqueiro. Vamos ver diferentes tipos!

Todos acabam tendo coisas em comum e ainda se diferenciam bastante dos delinquentes ocidentais. Alguns podem não parecerem delinquentes ou agirem dessa maneira, por isso precisamos observa-los e conhece-los.

Os animes, doramas e filmes mostram bastante o estilo e visual de um delinquente padrão e como eles costumam agir. Eles costumam transmitir uma sensação de raiva e não conseguem se controlar. Alguns costumam tingir os cabelos, fazer penteados estrondosos e usam blusas branqueadas e incomuns.

Delinquentes japoneses - O que fazem? Como identificá-los?

Tipos de delinquentes no Japão

Os delinquentes no Japão costumam ser chamados de yankii (ヤンキー), uma referencia a palavra yankee que os americanos usam para se referir aos cidadãos de diversas diversas etnias. Provavelmente os japoneses adotaram essa palavra por causa das tendencias peculiares da subcultura dos delinquentes japoneses.

Yankii já foi usado no Japão para se referir aos pobres de Kansai na época de 1975. Logo o termo também foi usado para se referir aos japoneses que imitavam os americanos, até que finalmente o termo focou na definição de jovens rebeldes que não seguem as normas e padrões escolares. O filme Kamizake Girls (Shimotsuma Monogatari) retratam bem a vida dos Yankii.

Existem diversas subculturas, gangues e tipos de delinquentes que podem ser categorizados e listados. Abaixo vamos brevemente compartilhar alguns termos do idioma japonês e que tipo de delinquentes esse termo remete.

Gangues e Delinquentes japoneses - Yankii, Bosozoku e Sukeban - bosozoku 1
  • Bosozoku – São gangues de motoqueiros selvagens;
  • Bancho – Uma líder de um grupo de delinquentes;
  • Tsubari – Termo usado aos meninos mauis da década de 1970;
  • Sukeban – Se refere a um grupo de delinquentes mulheres ou uma chefe;
  • Yakuza – Se refere a Máfia japonesa;
  • Gyaru – Um estilo de moda e cultura que pode ser meio agressiva;
  • Hashiriya – Significa literalmente corredor de rua, um movimento similar ao bosozoku;
  • Ijime – Significa literalmente bullying, algo que acontece nas escolas japonesas;
  • Furyo – Também significa delinquente ou alguma pessoa ruim;
  • Chinpira – Pequeno yakuza, aprendiz de yakuza, punk, delinquente, menina delinquente;

Identificando os delinquentes japoneses

Existem tantas coisas para se falar dos delinquentes japoneses que eu nem sei por onde começo ou a ordem que eu escrevo. Vou começar citando algo bastante interessante que os yankii, delinquentes ou subcultura de gangues fazem, que é agacharem e ficarem em uma posição chamada de unko zuwari ou yanki zuwari. Parece uma posição fecal onde a pessoa fica com a bunda para o chão e com as pernas abertas mostrando algum tipo de atitude. Você provavelmente já deve ter visto em algum anime.

Delinquentes japoneses - O que fazem? Como identificá-los?

Os delinquentes que seguem uma cultura costumam usar bandanas, máscaras cirúrgicas, piercings e jóias em excesso. Além disso alguns enfiam as calças nas botas ou enrolam elas no joelho. Alguns chegam a fazer cicatrizes e tatuagens para parecerem hardcore. As delinquentes femininas costumam usar um uniforme escolar desordenado, cachecol, meias soltas e saia muito encurtada ou alongada.

O comportamento dos delinquentes japoneses é o mesmo que você espera: gostam de brigar, perturbar a paz e não se dão bem com a sociedade. Seus principais interesses envolvem beisebol, motos, luta e artes marciais. A pessoa não precisa necessariamente ter uma aparência ou estilo para ser um delinquente, você vai perceber pela atitude dele. Os Yakuza não costumam se dar bem com os delinquentes jovens, eles se consideram profissionais, enquanto os jovens apenas querem dar uma de punk.

Delinquentes japoneses - O que fazem? Como identificá-los?

Até mesmo as pessoas legais e divertidas podem ser consideradas delinquentes no Japão. Qualquer pessoa que não obedece as regras, não consegue conviver com os outros ou parece diferente costumam ser chamado de furyou (不良) que pode ser traduzido como algo não bom, ruim, inferior e delinquente.

Bosozoku – Os Jovens Rebeldes Japoneses

Bosozoku! Já ouviu falar desse termo? Nunca lhe passaria pela cabeça que um país disciplinado e com uma cultura milenar forte como o Japão, teria uma subcultura de delinquentes rondando o país fazendo baderna, perturbando a paz e dando trabalho para os policiais. Essa é uma visão estereotipada dos motoqueiros que afirmam ter uma boa causa! 

Pois bem, o Japão também tem seu próprio grupo de jovens revoltados que saem por aí fazendo molecagem. Esses são os Bosozoku, gangue de motociclistas que customizam motos, saem por aí cometendo infrações de trânsito e tem ligação com a Yakuza. Nesse artigo, iremos detalhar o que são os bosozoku e suas atividades:

Bosozoku - Jovens rebeldes japoneses

Origem e Atividades dos Bosozoku

O termo bosozoku (暴走族) foi criado na década de 70, e significa literalmente “tribo fora de controle”. Eles surgiram na década de 50, quando o Japão se recuperava da guerra e a indústria automobilística crescia. Jovens de classe baixa se uniam para expressar insatisfação à sociedade japonesa na época, formando gangues de motociclista pra isso.

Naquela época, eles se batizaram de kaminari zoku. A motivação por trás disso tudo era basicamente aquela típica rebeldia contra as normas da sociedade. Só que, como os bosozokus são jovens abaixo da maioridade (que é 20 anos no Japão), alguns ignoravam a luta pela liberdade e se tornavam bosozoku apenas pra fazer parte de algum grupo.

Bosozoku - Jovens rebeldes japoneses

Sabe aquela necessidade juvenil de fazer parte de um coletivo? Pois é. Não passam de um Clube do Bolinha. No entanto, foram nas décadas de 80 e 90, que eles ganharam notoriedade praticando sérios atos de vandalismo e confrontando a polícia.

É claro que eles afirmam fazer todos os atos mencionados por uma boa causa, o que parece ser algo maneiro, mas eu pessoalmente não me simpatizo com pessoas que cometem um erro para justificar ou lutar outros. Talvez eu esteja falando um pouco negativo sobre os bosozokus, mas espero que não se sinta ofendido por isso.

No ano de 1982, haviam 42,510 bosozokus e eles costumavam perambular pelas ruas em grandes quantidades. Suas atividades consistem em arrumar treta, fazer barulho com as motos, violar leis de trânsito, tirar um racha, entre outras palhaçadas para chamar atenção da sociedade.

Os bosozoku são uma família e possuem princípios como os membros da Yakuza.

Como os Bosozoku se vestem?

Eles costumam usar um uniforme consistindo de um macacão como aqueles usados por trabalhadores manuais ou um Tokkou-fuku (特攻服), um tipo de sobretudo militar emitido com slogans escritos em kanji. Usam calças largas e um par de coturnos para acompanhar. Eles enfeitam suas motos ao ponto de parecerem que saíram de alguma escola de samba ou do Bom Dia & Cia.

Bosozoku - Jovens rebeldes japoneses

Atualmente, os bosozoku estão quase extintos para aqueles que gostam do silêncio. Tudo começou em 2004, quando o governo japonês vigorou leis de trânsito para dar mais poder aos policiais para efetuar prisões. No ano de 1982 existiam mais de 40.000 bosozoku, já em 2004 o número era menor que 10.000.

As medidas governamentais fizeram com que a quantidade de participação de gangues de motociclistas diminuísse drasticamente. Graças a isso, em 2011, a quantidade de 9,064 bosozoku foi registrada. Atualmente, os bosozoku andam em grupos pequenos, e ao invés de pilotar motos, atualmente costumam pilotar scooters.

Hoje em dia, alguns vizinhos ainda se incomodam com barulho dos bosozoku durante a noite. Eles são bem retratados em animes, doramas e filmes japoneses. Acredita-se que as distrações diárias do mundo moderno contribuiu para desencorajar a juventude a se envolver com gangues de motoqueiros. A maioria gasta dinheiro com jogos e vivem em seus quartos assistindo animes.

De uma gangue perigosa, os bosozoku se transformaram em um grupinho da turma do bairro bem mais amistoso, mas não deixam de ser barulhentos e ainda possuem seus objetivos. Você já conheceu algum bosozoku? Qual a sua experiência com esses motoqueiros selvagens? Agradecemos os comentários e compartilhamentos.

Delinquentes japoneses - Yankii, Bosozoku e Sukeban
Sukeban – Gangue de Garotas no Japão

Sukeban – As gangues das Meninas Japonesas

Já ouviu falar das Sukeban [スケバン|女番], as gangues de meninas delinquentes japonesas? Para ser mais exato este termo se refere a líder desse grupo. Esses grupos eram muito populares no século passado. Hoje elas estão praticamente extintas.

Esse termo foi usado pela primeira vez no final dos anos 60. Na Yakuza e em outras gangues do Japão, quase não se permitia a participação de mulheres. Isso levou com que elas criassem as suas próprias. Atualmente as Sukeban, atuam mais como um estereótipo ou moda entre os jovens. Mas antigamente não era só isso.

Um escritor chamado Jake Adelstein, especialista em crimes no Japão comenta sobre o surgimento das Sukebans. Ele diz que por causa da cultura dominada por homens no Japão, as mulheres  tentavam buscar seu espaço. O mundo falava de feminismo e libertação, o que pode ter levado essas mulheres a se sentirem também no direito de se rebelarem como as gangues de homens. Vamos conhecer mais as Sukebans nesse artigo.

Sukeban - As gangues das meninas japonesas
Diferentes Gangues se unem no Japão

O estilo de vida Sukeban

Diferente das outras gangues ( em sua maioria com integrantes masculinos) que cometiam crimes, e promoviam brigas entre grupos rivais, as Sukeban eram diferentes. Elas mantinham e cumpriam um código de justiça organizado e severo. Cada grupo de garotas tinham um hierarquia e seus próprios meios punitivos. Essas garotas tinham valores morais e se mantinha bem firmes a eles.

No geral, elas eram indicadas por terem os cabelos pintados ou algum penteado brilhante e diferente. E a maioria sempre usava seus uniformes escolares na maior parte do tempo. Roupas provocantes e muita maquiagem era desaprovados. A principio, as gangues começaram com pequenos grupos de garotas, entrando com facas e cigarros nas escolas. Mas, logo cresceram em numero e em nível de criminalidade. Os grupos variam entre 50 a 80 garotas. Todavia, certo grupo conhecido como Aliança das Mulheres delinquentes de Kanto dizia ter cerca de 20 mil membros.

O fenômeno Sukeban atingiu seu ápice na década de 70, junto com o surgimento do mais temível Sukeban. Esse grupo chamava K-Ko the Razor, vindo de Saitama, Tóquio. Esse nome faz referencia a arma que eles usavam, uma navalha de cortar gargantas. Elas a enrolavam em um pano e a colocavam entre seus seios. Nenhum outro grupo foi mais reconhecido que esse. Alcançando até mesmo o status de lenda urbana.

Sukeban - As gangues das meninas japonesas

Regras, punições e fama

Entre os grupos de Sukeban existiam muitas regras. E, quebrar essas regras não era nada bom, podendo resultar no ” linchamento“. O linchamento envolvia vários graus de punição diferente. Começando desde um punição “leve” como aplicar um cigarro na pele nua. Indo a aplicar o cigarro aceso nas partes intimas, considerado como punição “media”.

As causas para essas punições são numerosas e distintas, variando de gangue a gangue. Essas podem incluir mostrar desrespeito aos membros mais antigos. Conversar com inimigos e ser pego com drogas também eram validas para punição. Mas a causa mais comum para linchamento era por mexer com o sexo oposto.

Trair um namorado certamente causaria um linchamento. Essas garotas agiam e pareciam mais velhas do que realmente eram. Outro fato surpreendente é que elas eram super conservadoras quando se tratava de namoro, romance e sexo. Mas, com o passar do tempo, as gangues foram diminuindo, e as participantes se integrando a sociedade.

Mesmo assim, desde então, a mídia se aproveitou muito bem disso. Diversos filmes, animes, mangás e até jogos foram criadas em torno das Sukebans. Até hoje se nota vestígios e influencias delas na cultura pop e na vida cotidiana japonesa.

Compartilhe com seus Amigos!

Comentários do site