Como o Japão encara a Homossexualidade?

, , ESCRITO POR


Homossexualidade tem sido um tema de longas discussões na internet e na mídia. Nos últimos anos os homossexuais conseguiram adentrar na sociedade e terem seus direitos de serem tratados com igualdade e sem preconceito. Como os gays são tratados no Japão? Existe preconceito dos japoneses com os homossexuais? O que a mídia ou as pessoas tradicionais pensam sobre isso?

Lembrando que esse assunto é bastante delicado, infelizmente por falta de conhecimento já usei termos e palavras que deixaram alguns furiosos. Eu apenas fiz uma grande pesquisa sobre o assunto no Japão para trazer a informação a vocês, espero que gostem! Eu sou contra o preconceito! Eu acredito que cada um faz o que deseja da sua vida, e nossa obrigação é respeitar. Infelizmente o respeito hoje morreu em alguns lugares.

Como o Japão encara a Homossexualidade?

Eu vejo muita treta desnecessária entre os gays e religiosos, a bíblia é clara em relação a homossexualidade, não tem por que tentar mudar isso, mas ela também fala do livre arbítrio, do amor e do respeito, algo que muitos religiosos estão esquecendo. É até hipocrisia, já que o mesmo texto bíblico que condena a homossexualidade condena o sexo antes do casamento e adultério, uma pratica bastante comum entre a população em geral, e não vejo religiosos com preconceito disso. Só que esse não é o tema do artigo [Voltando…] Qual a opinião do budismo e xintoísmo nesse assunto? O que as religiões que predominam o Japão acham disso? Ou até mesmo os cristãos no Japão? São algumas das coisas que iremos abordar neste longo artigo.

O que a religião no Japão pensa?



Não há proibições religiosas explícitas contra a homossexualidade na religião tradicional do Japão. A primeira religião do Japão é o Xintoísmo, não existem registros que aprovam ou condenam a prática, na verdade o xintoísmo é bastante aberto e não dita como deve ser o comportamento ou a vida sexual. No xintoísmo o sexo precede o nascimento de uma nação e seu povo, até mesmo a origem do Japão segundo o xintoísmo veio da relação sexual.

No budismo o sexo está ligado a desejo, antigamente nenhum budista praticante, principalmente monges e sacerdotes devem se envolver com qualquer tipo de conduta que envolva sexo, seja heterossexual ou homossexual. Antigamente o budismo considerava a atividade heterossexual mais ofensiva, já que as mulheres eram consideradas contaminantes por natureza. Na verdade, existem muitos relatos históricos envolvendo a homossexualidade dentro do budismo. O isolamento dos mosteiros provavelmente incentivou o crescimento da cultura homossexual entre monges e sacerdotes budistas.

Como o Japão encara a Homossexualidade?

Existia uma tradição chamada wakashudo, onde samurais elaboram votos de compromisso e criam uma grande relação com seus aprendizes. Apesar de não se tratar de sexo, os registros históricos mostram claramente relações homossexuais entre samurais, monges e homens da alta sociedade. Isso porque dentro do wakashudo o contrato de fraternidade permitia favores sexuais como recompensas pelos ensinamentos do bushido. Isso acontecia porque acreditava-se que a mulher roubava a energia e desviava o foco do guerreiro.

O lesbianismo recebe pouca menção literária, mas existem registros do período Edo. Apesar do budismo ter influenciado bastante a cultura homossexual no Japão, a influencia ocidental acabou ocultando de uma maneira essa aceitação que o Japão tinha no passado

Como o Japão encara a Homossexualidade?



Embora a aceitação seja maior que em outros países, a ocidentalização criou um pouco de preconceito na sociedade japonesa em geral. O Japão é muito mais aberto ao comportamento do que a prática. Podemos notar isso nas sub-culturas de crossdresser e nos comportamentos gerais dos japoneses, seja na moda ou personalidade. Não existe um conceito forte de machismo no Japão, é perfeitamente normal heterossexuais terem costumes e comportamentos que no Brasil seriam visto como femininos ou homossexuais.

O casamento gay ainda não é permitido em todo Japão, apenas no distrito de Shibuya, Tokyo (2017), mas o Japão aceita o casamento homossexual estrangeiro. A orientação sexual não é protegida pelas leis nacionais de direitos civis, o que significa que os japoneses LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) não têm recursos legais quando enfrentam tal discriminação em áreas como emprego, educação, habitação, saúde e serviços bancários.

Como o Japão encara a Homossexualidade?

Os japoneses não tem problemas em relação a homossexualidade porque nem mesmo os casais heterossexuais demonstram muitos sentimentos em público. Ser reservado faz parte da cultura japonesa, enquanto no ocidente muitos homossexuais se destacam, os japoneses continuam reservados, sendo que poucos sabem a orientação sexual de cada pessoa, e seu comportamento não destaca ou define isso.

No Japão, aqueles que se destacam por ser diferente dos parâmetros da sociedade, estão sujeitos à criticas, exclusão social e discriminação. Não pelo fato da pessoa ser homossexual, mas simplesmente pelo fato de ser diferente. Isso é bastante estranho, porque o Japão é conhecido por ter as pessoas mais diferentes e únicas do mundo, seja em personalidade, moda, costumes e etc. Se por um lado alguns são críticos, outros não se importam ou se metem na vida das pessoas, acham interessante as coisas diferentes. Podemos assimilar algumas coisas do preconceito homossexual com preconceito com estrangeiros no Japão.

Como o Japão encara a Homossexualidade?

A Homossexualidade na mídia japonesa

Desde o passado os japoneses mostram que não se importam com a orientação sexual ou o comportamento das pessoas. Não se trata apenas de registros históricos, monges e samurais, até mesmo dentro da arte, o Teatro Kabuki se destaca com homens fazendo encenações dramáticas de mulheres, com dança e música.

Atualmente em animes e mangas, sempre encontramos personagens que aparentam ser homossexuais, muitàs vezes isso não é especificado exatamente pelo fato de relacionamentos serem tratados de forma lenta nos animes. Além disso existem diversas obras de mangas, novels e animes homossexuais que se destacam no Japão e no mundo como o Yaoi e Yuri.

Alguns cargos em empresas no Japão são preferíveis a pessoas casadas, o que faz com que a maioria dos japoneses tentem casar antes dos 30. Essa é outra dificuldade que os gays podem enfrentar ao tentar obter um alto cargo em determinado emprego.

O Japão é uma ótima opção para quem deseja viver naturalmente ou tem medo de ser discriminado, já que não existe aquele conceito de como cada pessoa deve agir. Qual a sua opinião sobre esse assunto?

Existe Homofobia no Japão?



Apesar do artigo responder claramente essa pergunta falando detalhadamente sobre como o Japão encara a homossexualidade, eu quero deixar também um vídeo do meu amigo Caipira no Japão que aborda um pouco desse assunto:

Compartilhe Nosso artigo:

8 comentários em “Como o Japão encara a Homossexualidade?”

  1. Kevin, bem legal esse seu artigo, colocando a sua visão sobre o assunto. Eu também vejo o Japão como um dos países menos preconceituosos do mundo. Se você respeita, você será respeitado. A coletividade antes do individual. Menos “eu” e mais “todo mundo”. Eu acho que o Brasil é bem mais preconceituoso. Tanto é, que tem lei para tudo. Se houvesse respeito, leis seriam menos necessárias, pois elas acabam, muitas vezes, por provocar mais intolerância e sectarismo.

Comentários do site