Diferenças entre o cérebro e pensamento japonês do ocidental

, ,
Post by //

Antes de começar a debater esse assunto, tenho que deixar claro que esse artigo foi enviado por meu amigo Eduardo Toda que está com um projeto de aproximar os japoneses e os brasileiros, tanto que ele escreveu esse artigo nos 2 idiomas.

Ele me mandou um entre vários documentos que falam sobre esses e outros assuntos. Esses documentos mostram o por que das duas culturas serem bastante diferentes, principalmente no modo de pensar. Enquanto que os japoneses primeiro vêem as regras, os brasileiros ou outros ocidentais acham que já sabem da tudo e já vai fazendo. Isso está dando muitos problemas nas fábricas e o pessoal não entende o por que.

O pensamento do Eduardo Toda é, selecionar e desenvolver as pessoas que se interessam na cultura japonesa para irem ao Japão. A sua visão é tentar motivar os interessados a se especializarem em qualquer área de interesse do Japão e conhecerem a língua e a cultura. Espero que gostem do texto, esse pode ser o primeiro dentre vários.

Diferenças entre o cérebro e pensamento japonês e ocidental

Japoneses sofrendo preconceito no Brasil

Pouco se fala, mas no ano de 1945 aconteceu um movimento de violência em massa contra japoneses, em Osvaldo Cruz… Pela região, grupos de brasileiros invadiam as casas de japoneses e arrastavam pelos cabelos pais de famílias diante de suas mulheres e filhos. Saqueavam as residências…

Algumas coisas que levaram os brasileiros a terem preconceitos contra japoneses:

  • Os japoneses não costumavam se misturar com os brasileiros

Certamente, se os japoneses tivessem sido mais comunicativos, não teriam sofrido essas barbáries. Não justifica um povo cometer injustiças, mas a falta de comunicação pode acabar gerando esses preconceitos. Isso se assemelha bastante ao IJIME no Japão.

Com o tempo, os japoneses conquistaram a confiança do povo brasileiro. Para entender mais sobre esse assunto leia nosso artigo sobre preconceito no Brasil.

Diferenças entre o cérebro e pensamento japonês e ocidental

Principais diferenças entre as duas culturas

Vamos analisar o texto extraído de um comentário na internet:

Qual a diferença entre o povo brasileiro e japonês em um momento de crise?

O brasileiro procura saber de quem é a culpa, e quer saber quem vai atender os vitimados, os japoneses primeiro socorrem, com calma, depois pensam, se pensam, de quem é a culpa. Os brasileiros choram, se vitimizam, os nobres japoneses, correm atrás da solução, com dignidade. Os brasileiros logo no primeiro momento entendem que é o fim, os japoneses a qualquer momento, entendem que é um recomeço, acreditam que tudo será reconstruído, recuperado. – Yahoo RespostasEsta é uma visão que um brasileiro tem de um japonês nos dias de hoje

BrasileiroJaponês
Necessita conversarPrecisa observar
Gosta de ser o centro das atençõesGosta de mostrar o que fez
Falar altoConversa atrapalha na concentração
Cria suas próprias regras e não segue dos outrosSegue mais as formalísticas do ambiente
Muito bom nas argumentaçõesMuito bom nos detalhes visuais
Prefere mais de textos narrativosGosta mais de gráficos e esquemas
Expressa mais sentimentos nas palavrasÉ mais formal nas palavras
Não gosta de hierarquiaDá mais atenção àquele que ensina
É mais individualistaPrecisa de opinião dos outros
Preocupa-se com o passado e futuroVive mais o momento

Algumas características que os ocidentais acham dos japoneses:

  • Falta de sinceridade (falsidade) devido a não transparecer o que sente.
  • Muito detalhista.
  • Muito atrapalhado, principalmente nas decisões.
  • São fechados. Vivem no seu mundo.

Algumas características que um japonês acha do ocidental:

  • Não tem organização e cada um faz do seu jeito
  • Conversa demais e não trabalha
  • Só vive em festa e não tem compromisso.
  • Não é fiel no que fala, isto é, não se pode confiar.

Diferenças entre o cérebro e pensamento japonês e ocidental

O cérebro japonês pensa diferente do cérebro brasileiro

Tanto quanto os brasileiros acham a língua japonesa difícil, assim também os japoneses acham qualquer língua ocidental difícil. A origem e a explicação está no uso dos hemisférios cerebrais. Foi realizado um estudo que comprova que o cérebro do Japonês trabalha diferente em relação a de outros povos ocidentais.

Certamente, isso pode ter influenciado de alguma forma na cultura do povo japonês. A maior diferença de uma cultura para outra tem a ver com o uso dos KANJI e HIRAGANA / KATAKANA, conforme o livro “Conhecendo o Cérebro” escrito por Luciano Mecacci. Neste livro fala sobre a influência que os ideogramas e a fonética fazem para o uso dos hemisférios do cérebro.

Neurocirurgião Raul Marino, um professor emérito da Faculdade de Medicina da USP, preside o Instituto Brasileiro de Ética e Bioética e é autor do livro “O cérebro Japonês”. Neste livro podemos ver algumas diferenças entre o hemisfério esquerdo e direito dos cérebros:

HEMISFÉRIO ESQUERDOHEMISFÉRIO DIREITO
Verbal: usa palavras para nomear, descrever e definir;Não verbal: percepção das coisas com uma relação mínima com palavras;
Analítico: decifra as coisas de maneira sequencial e por partes;Sintético: unir coisas para formar totalidades;
Utiliza um símbolo que está no lugar de outra coisa. Por exemplo, o sinal + representa a soma;Relaciona as coisas tais como estão nesse momento;
Abstrato: extrai uma porção pequena de informação e a utiliza para representar a totalidade do assunto;Analógico: encontra um símil entre diferentes ordens; compreensão das relações metafóricas;
Temporal: se mantem uma noção de tempo, uma sequência dos fatos. Fazer uma coisa e logo outra, etc.;Atemporal: sem sentido de tempo;
Racional: extrai conclusões baseadas na razão e nos dados;Não racional: não requer uma base de informações e fatos reais;
aceita a suspensão do juízo;
Digital: utiliza números;Espacial: ver as coisas relacionadas a outras e como as partes se unem para formar um todo;
Lógico: extrai conclusões baseadas na ordem lógica. Por exemplo: um teorema matemático ou uma argumentação;Intuitivo: realiza saltos de reconhecimento, em geral, a partir de padrões incompletos, intuições, sentimentos e imagens visuais;
Linear: pensar em termos vinculados a ideias, um pensamento que segue o outro e que em geral convergem em uma conclusão;Holístico: perceber ao mesmo tempo, concebendo padrões gerais e as estruturas que muitas vezes levam a conclusões divergentes.

“O japonês é o único povo que usa os dois hemisférios cerebrais independentemente, o lado esquerdo para a linguagem e o lado direito para o pensamento abstrato”.

Conclusão das pesquisas envolvendo cérebro dos japoneses e ocidentais

O que o professor Raul Marinho diz é que o povo japonês estimula os dois hemisférios cerebrais, aproveitando todas as funções. Isto levaria o indivíduo a ser mais imaginativo e mais capaz de resolver questões difíceis do seu dia-a-dia, tornando-o mais resiliente, resistente e criativo frente à questões difíceis da vida. É claro que a questão cultural também favorece.

Assim chegamos a conclusão que os ocidentais têm tendências para lógica, estratégia, ordem, ideias, linguagem falada e linguagem escrita.

Já os japoneses tem mais tendências para observação, formas, padrão, criatividade e raciocínio. Conforme o estudo, a configuração do cérebro japonês não é genético e sim de “software”. Essa configuração afeta na forma de uso dos hemisférios do cérebro, conforme a figura a seguir:

Diferenças entre o cérebro e pensamento japonês e ocidental

Segundo a neuroanatomista e cientista norte-americana Jill Bolte Taylor, em que ela própria teve a experiência de um AVC no lado esquerdo do cérebro, fala que “o hemisfério direito funciona como um processador paralelo, enquanto o hemisfério esquerdo funciona como um processador serial”.

Pessoas que usam o hemisfério esquerdo de forma predominante: são excessivamente organizadas, perfeccionistas, detalhados, racionais. Da mesma forma, pessoas que usam mais o hemisfério direito são: criativas, sonhadoras, emotivas e intuitivas (algumas das quais às vezes faltam organização e atenção aos detalhes para que concretizem seus ideais).

O uso somente do lado esquerdo do cérebro ou dos dois lados não significa que um é melhor que o outro. As duas mentes (ocidental e japonês) trazem cada um, vantagens e desvantagens. O melhor é a associação dos dois mundos e tirar o melhor proveito de cada um. Assim, é importante que todos saibam que existem essas diferenças de cultura e que a origem de tudo isso está na “forma de se escrever”.

O que podemos concluir sobre as diferenças entre o cérebro japonês e ocidental?

Os ocidentais tem características individualistas e é mais competitivo. Eles pensam logo em ter resultados, trabalhando mais com a lógica, isto é, dá mais atenção para os “procedimentos”. Assim, as decisões são mais rápidas, porém há um número maior de erros pela “tomada de decisão”.

O japonês tem mais característica de grupo e aprecia mais a beleza. Como trabalha mais com o lado direito do cérebro, tem uma tendência a dar maior atenção às “regras do grupo”, isto é, tem a tendência de dominar o todo para depois executar. É por isso que toma mais cuidado nas decisões, de certa forma isso torna o processo mais lento, porém as “tomadas de decisão” são mais acertadas.

Por isso, de certa forma temos que entender que o processo de adaptação de um ocidental ao sistema japonês é bastante complexo. A começar pela escrita, pois há uma grande barreira a ser rompida para se criar novos hábitos da leitura de KANJI.

Afinal, o mesmo processo que se aprende outras línguas, tais como o inglês, o espanhol e outras líguas semelhantes, não se aplica totalmente no aprendizado do japonês. Há que se desenvolver uma outra área do cérebro, e para isso, deve-se ter paciência e muita vontade.

Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:


1 comentário sobre “Diferenças entre o cérebro e pensamento japonês do ocidental”

  1. Eu tenho muitas duvidas sobre como os japoneses lidam com tatuagens no Japão, eu já vi algumas pessoas comentando que lá eles tem uma visão bem negativa em relação a tatuagens, por causa dos membros da Yakuza que são tatuados. Também já li algumas materias falando de casas de banho que proibem pessoas com tatuagem e até oferecem adesivos para cobrir a tatuagem, não sei se isso está correto mas seria muito interessante um post abordando tatuagens no Japão e no Brasil e o preconceito que geram por serem associadas a criminosos (ou não)

Comentários do site