Curiosidades / Japão / Outros

5 Animais da fauna japonesa ameaçados de extinção

5 Animais da fauna japonesa ameaçados de extinção
Compartilhe nas redes sociais:


Apesar das primeiras imagens do Japão nos remeter a grandes centros urbanos como Tóquio e Osaka, o Japão possui uma fauna diversificada e com grande importância ao povo japonês que tentam conservar as espécies existentes.

Infelizmente o Japão possui muitas espécies em risco de extinção e em seu histórico existem diversas espécies já extintas! Em sua maioria é pela ganância humana, mas que atualmente vem decaindo as caças ilegais e consumo impróprio.

Apesar de espécies extintas e ameaçadas, existem cerca de 130 tipos de mamíferos terrestres, mais de 600 espécies de aves, cerca de 73 espécies de répteis e mais de 3 mil tipos diferentes de peixes. Muitos desses animais estão a beira da extinção e são raramente encontrados fora do Japão. A fauna japonesa merece ser explorada, por isso veremos 5 animais da fauna japonesa ameaçados de extinção.

Albatroz

Os albatrozes são aves de grande porte pertencentes à família Diomedeidae, sendo aves marinhas, que são extremamente adaptadas à vida em alto mar, sendo encontradas em terra somente em época de acasalamento. Elas são monogâmicas, e tendem a formar grandes colônias de sua espécie.

São ótimos nadadores, pois possuem todos os dedos dos pés voltados para frente e unidos por uma membrana interdigital que também auxilia nos pousos e decolagens na água. Os albatrozes possuem uma glândula de sal que retira o excesso de cloreto de sódio do sangue, como também possuem proteções térmicas.



Infelizmente no Japão elas estão ameaçadas de extinção, e isso, por pior que pareça, é consequência de causas humanas. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, existem cerca de 3 mil albatrozes de cauda curta vivendo no Japão. Embora existam outras espécies como o albatroz de patas negras, albatroz errante e Laysan Albatross, somente o albatroz de cauda curta é protegido por ser considerado uma espécie Ameaçada de extinção.

E a extinção dos albatrozes veio da ganância humana. Desde o século XIX já havia a caça dos albatrozes, pois em países como os Estados Unidos, a pena dos albatrozes valiam muito no mercado, em diversos massacres em massa, a população dos albatrozes caiu drasticamente, com mais de 300 mil mortes das aves.

Em 1993, o Ahōdori (como é conhecido no Japão) entrou para a lista de animais selvagens raros, protegidos pela lei de Conservação de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagens. Segundo estatísticas, em 1990, a população dos albatrozes estava em torno de 1.200 aves. Já em 2010, estima-se que havia 2.570 albatrozes em Torishima, Península de Izu.

Baleia azul

A baleia azul é o maior mamífero do planeta, chegando a pesar incríveis 180 toneladas, podendo chagar a medir entre 30 e 35 metros de comprimento. Como tudo nela é grande, não basta constar sua alimentação, já que uma única baleia azul adulta pode consumir quase 4 toneladas de Krill por dia.

Embora não possamos ouvi-las, o canto das baleias azuis é um dos sons mais altos produzidos por um animal. Elas comunicam-se umas com as outras usando gemidos e uma série de pulsos de baixa frequência. Em condições ideais, uma baleia azul pode ouvir o canto de outra a distâncias de até 1600 km.

Infelizmente ela está ameaçada de extinção por caça humana, principalmente em países como o Japão. A decadência da baleia azul começou mais especificadamente em 1864, quando o navio norueguês Svend Foyn fora equipado com arpões especialmente concebidos para capturar grandes baleias.

Clique na imagem para ler um artigo sobre a caça de baleias no Japão.

 

Rapidamente a matança das baleias veio a calhar. E, em 1925, os Estados Unidos, o Reino Unido e o Japão se juntaram a Noruega para a caça das baleias. E, em apenas 5 anos, 44 navios mataram 28.325 baleias-azuis. Após a Segunda Guerra Mundial, a população das baleias azuis já era escassa e, em 1946, as primeiras leis para a restrição da caça começaram a surgir. Infelizmente a verdadeira proibição só surgiu nos anos 60, com mais de 350 mil baleias azuis mortas.

E atualmente a população de baleias azuis estima-se em três a quatro mil. Grande culpa para a quase extinção desta baleia é do Japão, sendo um dos maiores países especializados em caça de baleias, com alegação, nos tempos atuais, de que as usam para pesquisas, embora muitos países e protetores das baleias questionam sobre isso.

Grou japonês

O grou japonês ou Tsuru é uma espécie de aves que vive no leste da ásia e especialmente em Hokkaido, Japão. Possuem estimativa de vida de cerca de 50 anos, e são uma espécie bastante fiel a seu parceiro, possuindo relacionamentos até a morte.

São aves migratórias, na primavera e no verão estes animais/estas aves vivem na Sibéria, onde a fêmea põe dois ovos a cada ano, mas só um filhote vai sobreviver. No outono eles migram para os lugares mais quentes da Ásia (Manchúria, Japão, Coréia); preferem os pantanais onde podem encontrar comida abundante (ratos, rãs, sapos, insetos grandes e também sementes, folhas e galhos).

Estima-se que existam apenas 1000 delas, com alto risco de extinção, porém, com grande incentivo a preservação da espécie. A consequência disso vem de caça ilegal e destruição de habitats. Os grous são famosos no Japão através de lendas e origami. 

Gato-de-iriomote

É um felino exclusivo de Iriomote, uma pequena ilha tropical montanhosa no extremo sul do arquipélago de Ryukyu. Ele desde sua descoberta, em 1967, já fora considerado um animal ameaçado de extinção. Este, por sua vez, está em declínio a extinção por perda de habitat e mortes por atropelamentos. Sua população está estimada entre 100 à 109 felinos da espécie.

São gatos com hábitos noturnos, capazes de subir em árvores e até mesmo de nadar, possui uma dieta variada, alimentando de mamíferos e outros. É considerado um gato selvagem. Descoberto em 1965 e citado apenas em 1967, no início foi considerado uma espécie única, mas após testes de DNA, aponta-se que o Gato-de-iriomote pode ser uma subespécie do Gato Leopardo do Sudeste Asiático.

Salamandra gigante do Japão

As Salamandras japonesas são diferentes das salamandras mais comuns, que podem ser até mesmo confundidas com pequenos lagartos. Não há uma estimativa de quantas existam, mas pesquisadores afirmam que eles possuem uma longa história em tempos antigos.

Ela é o segundo maior anfíbio do planeta, medindo cerca de 1,5 metros, chagando a pesar 36 quilos, mesmo que possua uma aparência muito esquisita, é fato que é só mais um dos mais curiosos animais do nosso planeta Terra!  O National Geographic revela que o animal consegue arrancar um pedaço do dedo de um humano em questão de segundos.

Mesmo com essa potência, a salamandra é que se vê ameaçada de extinção pelo homem. Depois de ser alvo de caça para a alimentação, a espécie agora é protegida como tesouro nacional no Japão e são grandes os esforços para que ela possa ser preservada e consiga se reproduzir em cativeiro. Raros, esses animais só saem de seus esconderijos à noite e vivem em rios de águas geladas próximo a montanhas. – by MegaCurioso

Compartilhe nas redes sociais:

Comentários do Facebook

comentários


Comentários do site