10 formas de morar no Japão sem descendência

Já pensou na possibilidade de morar no Japão mesmo sem ter nenhuma descendência japonesa? Infelizmente muitas pessoas costumam dizer que apenas descendentes de japoneses podem viver lá. Isso acaba sendo uma grande mentira! Qualquer um pode morar no Japão, basta querer e correr atrás.

Para muitos parece impossível morar no Japão sem ser descendente de japonês, mas isso é um mito, muitos estrangeiros podem morar no Japão e até obter a cidadania japonesa sem nenhuma descendência.

Claro que ser aceito em qualquer outro país não é uma tarefa fácil. Todos os países possuem diversas regras e requisitos para morar neles. Os EUA mesmo é muito mais complicado de morar legalmente do que o Japão.

Atualmente mais de 2 milhões de estrangeiros vivem legalmente no Japão, muitos não possuem ascendência japonesa. O motivo das pessoas acreditar que apenas descendentes podem morar no Japão, é porque a maioria das empreiteiras que fornecem trabalho em fábricas preferem escolher descendentes pela facilidade de requerer o visto.

Nesse artigo separamos 15 formas de você conseguir morar no Japão sem a necessidade de ser descendente de japonês, algumas formas são obvias, outras mais desconhecidas.

Tipos de vistos japoneses

O visto de trabalho que dura de 1 a 3 anos é um dos mais procurados, principalmente pelos descendentes. Estrangeiros sem nenhuma descendência costumam obter esse visto quando é contratado por empresas que necessitam de pessoas especializadas em determinada área.

Outra maneira fácil de morar no Japão é conseguir o visto de cônjuge casando com alguém de nacionalidade japonesa. Até mesmo se você se casar com um descendente fica fácil arrumar um emprego e conseguir o visto.

Cidadania japonesa nacionalidade naturalização como morar no japão sem ser descendente de japonês?

Uma das maneiras mais procuradas pelas pessoas que não são descendentes de japoneses é o visto de estudante. Esse visto pode ser obtido por meio de uma bolsa de estudos ou de uma matrícula na universidade ou em cursos no Japão. A oportunidade de estudar no Japão abre portas e possibilita a chance de trabalhar e morar no Japão.

O visto mais comum é o de turismo que possibilita ficar até 3 meses no Japão. Existe outro visto de turismo de longa duração para pessoas ricas que possuem 30 milhões de ienes. Infelizmente parece que o Brasil não é elegível para solicitar esse visto de pessoas ricas.

Se você conseguir ficar 5 anos seguidos no Japão pode até mesmo solicitar um visto permanente ou obter a cidadania japonesa. Existem muitas coisas que você precisa saber para tirar o visto do Japão, mas isso é assunto para outro artigo.

1 – Casando-se com um(a) japones(a)

Uma das formas de obter o visto permanente ou de longa permanência no Japão é tendo algum cônjuge japonês. Para alguns esse é o caminho mais fácil e almejado pelos brasileiros e ocidentais.

Talvez pelo desejo de ter um parceiro asiático ou simplesmente por ser uma das formas mais fáceis de morar no Japão sem depender de empregos e empreiteiras.

Existem requisitos para morar no Japão após estar casado com um cônjuge que é esperar cerca de 3 meses para a confirmação do casamento. Depois desse período pode dar entrada no visto.

Casar com descendentes de japonês também pode possibilitar a sua morada no Japão, talvez os requisitos sejam maiores, mas é possível até mesmo casando com alguém da quarta geração.

2 – Com Visto de Turista

Algumas pessoas conseguiram visitar o Japão por 3 meses, período máximo do visto de turista e nesse meio tempo conseguiu algum emprego no país, estendendo assim sua permanência no Japão.

Não é fácil assim conseguir que uma empresa se responsabilize por sua permanência no país. Isso vai depender muito das suas habilidades e contatos, mas é possível sim, morar no Japão mesmo que usando inicialmente um visto de turista.

Ter um domínio do idioma é essencial, caso você consiga um visto de longa permanência, você pode solicitar o visto permanente ou a cidadania depois de cinco anos no país.

3 – Através de Universidades no Japão

Caso você consiga se inscrever em uma Faculdade ou Universidade no Japão você vai poder morar no país durante sua graduação e poderá permanecer depois caso consiga um serviço ou faça mais estudos.

Você pode conseguir entrar em uma Universidade Japonesa caso tenha dinheiro, conhecimento na língua, ou simplesmente alguma bolsa, ou intercâmbio através de alguma faculdade no país que reside.

O Governo japonês também oferece bolsas nas Universidades japonesas através de programas como Mext. Conheço muitos brasileiros sem descendência que moraram no Japão graças as universidades.

As 10 melhores universidades do japão
Faculdade no Japão

4 – Visto de Estudante

O visto de estudante costuma ser obtido ao fazer uma graduação ou pós-graduação no Japão, mas também pode referir-se a qualquer tipo de curso técnico ou até curso de idioma no país.

Até mesmo as Bolsas da Mext ou dos Programas do Governo costumam inscrever pessoas não em graduações, mas também em cursos técnicos de período mais curto.

Caso você tenha condições de investir, você mesmo pode fazer um curso de japonês por longos anos enquanto trabalha no país com um visto de Estudante.

Escolas de língua – aonde fazer curso de japonês no japão?
Escolas estrangeiras no Japão

5 – Visto de Trabalho

Dentro ou fora do Japão com suas habilidades você pode conseguir um emprego no país onde os contratantes se responsabilizam por obter seu visto de trabalho para permanecer no país.

É mais fácil conseguir um emprego ao ter contatos, fluência no idioma, alguma habilidade, ou formação. Não é impossível conseguir o visto de trabalho para não descendentes, basta querer e correr atrás!

O Japão é um país que precisa de muita mão de obra estrangeira. Os não descendentes tem mais chances de conseguir empregos em escritórios do que descendentes que costumam trabalhar em fábricas.

Crimes no japão – taxas de homícidios e roubos
Trabalho no Japão

6 – Morar no Japão criando uma Empresa

Uma das maneiras de conseguir visto para morar no Japão é montando sua empresa ou próprio negócio. As vantagens de trabalhar por conta própria são infinitas e ainda possibilita conseguir o visto para outras pessoa.

Existem 2 opções para abrir firma no Japão a individual e a empresa. A individual possui menos impostos e requisitos porém é mais complicado obter o visto de trabalho. Já a empresa possui alguns impostos e investimentos, porém possibilita com facilidade o visto para você e um empregado.

Infelizmente criar uma empresa às vezes exige que você já tenha uma empresa no Brasil ou um alto investimento. Às vezes os gastos podem chegar a 3.000 reais por mês contando impostos, escritórios e outras burocracias envolvidas para manter a empresa funcionando.

O visto para empresas é chamado “Visto de Gerente de Negócios”, ele exige a abertura de um escritório no Japão com 2 empregados e um investimento de 5 milhões de ienes.

Como morar no japão sem ser descendente de japonês?

 7 – Visto de Start-Up

Para startups que desejam fazer negócios no Japão, superar os requisitos do visto “Gerente de Negócios” citado anteriormente pode ser um sério desafio.

Com o visto Start-Up, você consegue ficar no Japão por até um ano com o apoio de municípios, mas você precisa cumprir os requisitos do visto de Gerente de Negócios nesse período de um ano.

Existem prefeituras específicas que fornecem o visto de start-up, você também precisa passar por um exame do município e da imigração antes de solicitar o visto de start-Up.

10 formas de morar no japão sem descendência - computador

8 – Obtendo um Visto Oficial

Indivíduos que entram nos negócios oficiais de governos estrangeiros ou organizações internacionais reconhecidas pelo governo do Japão e seus familiares recebem um visto oficial. O período de permanência varia de 15 dias a cinco anos.

Podemos citar também o visto diplomático, mas geralmente ele vale pelo tempo de atividade que a pessoa vai realizar no país. Felizmente diplomatas conseguem entrar no país a qualquer momento ou viver na embaixada de seu país.

9 – Visto para Atividades Culturais

O visto para atividades culturais permite a permanência de até 3 anos dependendo a atividade que você deseja exercer no país.

Professores qualificados em determinada área de arte ou cultura pode solicitar um tempo no Japão com atividades não remuneradas. Aqueles que fazem pesquisa em instituições públicas ou privadas.

Aqueles que pretendem se especializar em artes e culturas exclusivas do Japão, como flores, cerimônia do chá e judô. Pessoas que desejam receber orientação pessoal de algum especialista japonês.

Conheça o museu dos samurais em tokyo

10 – Outros Tipos de Visto

Existem outros tipos de visto que permitem permanência por diferentes períodos no país. Muitos podem exigir o certificado de elegibilidade, um documento que exige dependência de outros.

Habilidades especiais e competências em algumas áreas podem facilitar a obtenção desse visto. Abaixo vamos deixar uma lista de habilidades descritas pela própria embaixada:

  • Cozinha estrangeira;
  • Instrutores de esportes e pilotos;
  • Processamento de metais preciosos;
  • Professor;
  • Visto para Atividades Religiosas;
  • Serviço jurídico ou contábil;
  • Médico;
  • Professores de Idiomas;
  • Relacionado a teatro;
  • Entretenimento e esportes;
  • Outros;

Com qualquer outro tipo de visto, dependendo do período que ficar no Japão, se seu foco for morar no país você deve encontrar uma maneira de ficar lá ou solicitar o visto permanente caso ultrapasse o número de anos.

Não descendentes que moram no Japão

Uns amigos meu que moram em Tokyo fez um vídeo explicando todos os detalhes de como conseguiram morar no Japão através do visto de trabalho e estudante. Vou deixar o vídeo abaixo, eles são muito divertidos, recomendo acompanhar o canal deles:

Durante minha viagem ao Japão eu conheci pessoalmente um amigo do Luiz Rafael que mora em Osaka e outro que mora em Kyoto, nenhum dos 2 possuem descendência e moram no Japão.

O Luiz Rafael até mesmo entrevistou um deles chamado Roberto e vou deixar o vídeo da entrevista abaixo e acabar logo com o mito de que não-descendentes não podem morar no Japão.

Existem muitos outros exemplos de estrangeiros que conseguiram morar no Japão sem ser descendente de japonês. E você? Está esperando o que? Corra atrás dos seus sonhos que você consegue!

As pessoas citadas acima são apaixonadas pela cultura japonesa e que não desistiram do sonho de morar no Japão! Você não deve desistir também! Eu realizei meus sonhos e continuo correndo atrás deles!

Maneiras de morar no Japão – Resumo e Conclusão

A maneira mais fácil é arrumando um emprego. Para facilitar conseguir um emprego sem ter ascendência, você precisa saber falar japonês e às vezes o inglês. E também ser formado ou ter conhecimento em alguma área que faça uma empresa te querer. Não basta dizer, eu falo japonês!

Algumas empresas solicitam o teste de proficiência da língua japonesa. Para isso, recomendamos estudar ou fazer um curso como o Japonês Club.

Como morar no japão sem ser descendente de japonês?

Outra maneira simples é através do casamento, porém pode ser complicado encontrar um cônjuge ou namorar a distância. Não é recomendado você casar com alguém apenas pelo interesse no visto.

Os procedimentos para conseguir o visto de cônjuge são seguros e não aceita fraudes. Outra coisa que vai facilitar você conseguir qualquer tipo de visto no Japão é ter uma ficha completamente limpa, o Japão olha bastante a ficha criminal das pessoas e suas condições financeiras de se manter no país.

Além de estudar idiomas e ter conhecimento em determinada área, fazer um intercâmbio ou pós graduação vai te ajudar a conhecer e fazer amigos que podem te ajudar a entrar numa grande empresa. 

Você pode concorrer a uma bolsa de estudos para o Japão ou se planejar para estudar por lá por meio de investimentos próprios. Para conseguir uma bolsa de estudos recomendamos ler nosso artigo e procurar informações com a Fundação Japão, Rotary, MEXT e Ciências sem fronteiras.

Caso queira fazer um intercambio para aprender o idioma, fazer uma faculdade e conseguir o visto para morar no Japão. Recomendamos ler o artigo sobre o Living Japan clicando aqui.

Compartilhe Este Artigo: