Hallyu – O fenômeno da onda coreana

Anúncio

Já ouviu falar de Hallyu? Se você chegou a assistir a um dorama coreano, ouviu alguma música de banda coreana ou faz o símbolo do coração com os dedos isso tudo faz parte do Hallyu. Essa expressão é o nome dado para a ”onda coreana”, ou seja , o aumento da visibilidade cultural mundialmente. Embora tenhamos percebido que a cultura pop coreana está mais presente nesses últimos anos, o termo em si já tem algumas décadas. Vamos ver como a cultura coreana conquistou grande parte do mundo.

Como surgiu o Hallyu?

O Hallyu surgiu na década de 90, quando na China e nos EUA, quando aspectos culturais da Coreia do Sul começaram a se popularizarem por lá. O termo foi usado pela primeira vez por jornalistas de Pequim ao se surpreenderem com o surgimento de tantos aspectos da Coreia do Sul na China.

Os primeiros a se expandirem para fora da Coreia do Sul foram os K-Dramas. Em seguida começaram as com as músicas pop coreanas, K-Pop, com o auxílio do YouTube que rompe qualquer barreira cultural. Atualmente esses aspectos já estão na América Latina, Oriente Médio, Norte da África, África do Sul, América do Norte e Europa.

Os aspectos da cultura coreana saíram do convívio pessoal deles e passou a ser almejado pelo mundo além das músicas e doramas são a maneira de se vestirem (K-Fashion), passos para cuidar da pele , (K-Beauty), comida coreana (K-Food), aspectos culturais e língua (K-Culture) , história em quadrinhos (Manhwas) e tecnologia como os automóveis, smartphones e jogos.

Anúncio
Hallyu - o fenômeno da onda coreana - beauty

Hallyu é também uma variação para Soft Power que é basicamente o poder de influência de um país no outro. Soft Power em português é ”poder brando”, e a expressão é do professor Joseph Nye Jr. Isso se aplica de diversos fatores além de aspectos culturais e também financeiros.

É interessante que esse tipo de ”dominação’ é bem certo pois o aumento da cultura coreana e de qualquer outra em determinado país, significa dinheiro entrando e saindo. Para aderir a uma parte de outra cultura precisa investir em internet, streaming, acessórios, pedidos pela internet e entre outros. Então esse fator é saudável para a economia, principalmente para o lugar que exporta.

A economia mundial com o Hallyu

Quanto você imagina que é o faturamento em cultura pop nos últimos anos? Bem, um valor específico é meio difícil de dar até porque o valor do dólar muda sempre, cada país tem sua quantidade de consumo. Mas a certeza é que esse mercado rende bilhões de dólares. Segundo o portal Poder 360, em 2021 o governo da Coreia do Sul investiu mais de 7 bilhões de reais.

Grandes mudanças no setor cultural sul-coreano interferiu no mercado pois com a popularidade a procura por tudo relacionada à Coreia do Sul aumentou. Só de turismo de 2003 a 2018 o aumento foi mais de 40%, só de brasileiros que vão para o país, agora imagina o resto do mundo?! Algo também surpreendente foi o filme Parasita , o primeiro filme sul-coreano a ser indicado ao Oscar e ainda levou 4 estatuetas! O filme recebeu mais de 139 milhões de dólares.

Hallyu - o fenômeno da onda coreana - bts
Grupo Coreano de k-pop BTS 

BTS uma das bandas mais famosas coreanas estão entre as bandas mais bem pagas do mundo. Mas nem sempre o governo sul-coreano investiu na cultura, eles passaram a apoiar músicas para promover festivais. Em 1998, após passarem por uma crise econômica o governo passou a investir na indústria criativa.

Anúncio

A aplicação do poder da cultura coreana acontece de maneira bem estratégica, porque como o crescimento em mercados da música e cinematográficos faz com que os artistas envolvidos sejam usados para atrair mais pessoas. Por exemplo, a maioria das pessoas que visitaram a Coreia do Sul em 2019 afirmaram que foram por causa da influência do grupo BTS e não por causa de outros aspectos do lugar.

Um outro exemplo e é essa mesma banda ter sido escolhida por causa de sua relevância internacional para representar a Coreia do Sul na ONU ( Organização das Nações Unidas) para simbolizar a diplomacia pública para as gerações e cultura futuras. Atrizes e outros grupos também fazem parte de campanhas para a promoção de cultura, natureza, caridade e outras coisas e tudo isso atrai mais pessoas para contribuir no fenômeno mundial da onda coreana.

Hallyu - o fenômeno da onda coreana - k pop

Pandemia: fator determinante para a disseminação da cultura pop coreana

A pandemia da COVID-19 deu início em 2020 e com misso a quarentena que pegou muitos de surpresa, a maioria ficou sem saber o que fazer ao ficar tantos dias parado. Foi nesse período que o aumento de assinaturas por streaming aumentaram, as pessoas começaram a fazer cursos online e a dançar em casa como forma de exercício.

Não demorou muito até ver os K-Dramas entre as séries mais assistidas da Netflix, de aumentar a procura pelo curso de idiomas para aprender coreano sem sair de casa, de fazer grupos coreanos serem os mais ouvidos em plataformas musicais e ainda aprender as coreografias. O modo de vida de muitos mudou durante a pandemia e o K-pop conseguiu acompanhar.

Hallyu - o fenômeno da onda coreana - dorama
Doramas Coreanos (k-drama)

Durante esse período o Brasil ficou em terceiro lugar entre os maiores consumidores de K-Dramas do mundo. Em segundo está a Tailândia e em primeiríssimo lugar é Malásia. Provavelmente esses doramas crescem tanto por causa da variedade de enredos que ele possui, embora tenham episódios longos são poucos episódios. geralmente no elenco estão cantores conhecidos e atores e atrizes famosas, mostra mais detalhes da cultura sul-coreana e entre outros fatores.

Em uma entrevista para Suki Desu, Stephany Ribeiro de 31 anos disse os motivos de gostar tanto da cultura coreana: ”O que mais me chama atenção é a forma respeitosa como os Coreanos se portam, principalmente com os mais velhos. Também é um país que dá extremo valor à educação”. Ela está entre as pessoas que passaram a acompanhar mais de perto a cultura coreana durante a pandemia.

Anúncio

A empresária acredita que o Hallyu não é uma moda passageira: ”Ainda há um preconceito sobre o k-pop que vai passar assim que as pessoas reconhecem o quanto eles são talentosos. É uma cultura em ascensão ”. Stephany é artista de lettering e trabalha com personalizados e uma de suas primeiras impressões foi uma caneca que mostrasse seu amor pela cultura pop.

Hallyu - o fenômeno da onda coreana - tete e caneca
Stephany Ribeiro empresária do Meu mundo com riscos e rabiscos

O que mais te chama a atenção na cultura sul-coreana?