Conheça a tradição coreana de presentear alguém com dinheiro

Muitos dizem que a melhor forma de presentear uma pessoa é dando a ela dinheiro. Muitas famílias brasileiras já estão contextualizadas com esse cenário, mas você sabia que essa é uma prática asiática? Mais especificamente da cultura coreana.

Dar um presente é muito mais do que condecorar uma pessoa querida com um objeto de valor ou lembrar de uma data importante. Qual o valor que você dá às pessoas? Em que contexto um presente é ideal? 

Essas perguntas são feitas todos os dias por milhares de pessoas que não sabem ao certo o que dar para uma pessoa querida. Seria muito mais fácil dar dinheiro de uma vez, afinal a pessoa pode escolher o que quiser, mas no ocidente essa prática ainda vive alguns tabus.

Muitos economistas defendem que dar dinheiro em espécie é muito mais rentável, afinal, o valor dado é justamente aquilo que você pode oferecer no momento. Enquanto dar presentes físicos ou digitais podem trazer um desperdício ou empolgação em excesso. 

Um empresário pai de família acabou de custear uma licença ambiental para um novo negócio. É início do ano e todos os impostos e contas como IPVA,IPTU, seguro de saúde e outras contas surgem de uma só vez.

Esse pai de família ainda precisa pagar a matrícula dos filhos na escola. No final do dia sua esposa lembra que um sobrinho fará aniversário e será necessário comprar um presente, afinal, eles são muito próximos.

Nesse momento, mesmo sem poder gastar muito devido às contas acumuladas, o chefe da família passa no cartão de crédito um presente caro para recompensar o sobrinho e deixa para o mês seguinte a parcela de outra conta importante.

Um valor de R$50,00 poderia ser muito melhor aproveitado pelo sobrinho que poderia decidir o que comprar, além de ser mais rentável pela situação vivida. Presentes são bens que podem ser substituídos por presença física e afeto e serviços aduaneiros

Contudo, o dever social imposto a essa família fará com que eles tenham de deixar de gastar com outras coisas e presentear o ente querido. Esse é o significado de sacrifício e oferta, porém as dificuldades poderiam ser evitadas e o objetivo da ação concluída se um valor definido fosse dado. 

Coloquemos uma capa de lona nesse contexto complicado de ser compreendido e vamos para o outro lado do mundo. Mais especificamente na Coreia do Sul. O Brasil é um país que divide muito a cultura japonesa e coreana e as tradições desses povos são bem comuns aqui.

Entretanto, os coreanos são especialistas quando o assunto é presentear alguém querido. A educação rigorosa que os orientais recebem desde o berço faz com que simples ações de amor sejam suficientes para conquistar o coração. 

Logo, o tabu presente aqui na Terra de Vera Cruz não existe por lá. O mais legal é que além dos coreanos preferirem receber dinheiro em espécie isso pode ocorrer em todas as fases do ano. Vamos entender um pouco mais sobre esse costume.  

Herança cultural do povo coreano 

Até os dias de hoje a Coreia do Sul é muito conhecida por sua produção agrícola. O arroz é o maior grão produzido. No lado da extração, o carvão mineral também é bem explorado pelo país.

Antes da tecnologia chegar e dominar o país, as pessoas trabalhavam nessas grandes fazendas onde era produzido tudo que era necessário para sobrevivência. Porém, eram tempos difíceis, o império do Japão era  prevalecente no local. 

Os mais pobres sofriam, mas sempre existiu uma cultura de ajudar o próximo. O vizinho era visto como um amigo e aliado, por isso, os coreanos tinham esse costume de presentear e ajudar seus vizinhos com dinheiro obtido na venda dos produtos para ajudá-los. 

Isso era sinônimo de honra e lealdade, algo que os asiáticos compreendiam como pilares essenciais de sua conduta moral e ética. Outra ocasião que ocorria muito era nos casamentos coreanos.

Diferente do Brasil, os casamentos não dispõem de listas, mas sim pessoas que conheçam o casal e desejam adentrar. Nas antigas vilas, por exemplo, as famílias dos casais bancavam toda a cerimônia que poderia ocorrer por vários dias.

Uma tradição parecida com os judeus, mas a diferença é que os convidados sabiam do alto custo da festa e já levavam sem que ninguém pedisse um valor para ajudar nas despesas. Era como uma antecipação de recebíveis cheques

Dinheiro em qualquer situação

 Quando comentamos que qualquer situação poderia ser presenteada com dinheiro, não estávamos exarando, veja em quais locais os coreanos se presenteiam com valor em espécie ou transações bancárias. 

  • Casamento;
  • Festa de aniversário;
  • Noivados;
  • Compra de casa nova ou novo emprego;
  • Funerais.

Você pode estar pensando: as pessoas se presenteiam em funerais? Exato, e isso ocorre devido à diferença cultural entre o Brasil e a Coreia do Sul. O funeral asiático demora muito mais do que o brasileiro e os custos são bem elevados.

Compreendendo a situação da família que perdeu um ente querido, a comunidade costuma presenteá-los com um valor em dinheiro para custear quaisquer valores que forem necessários no funeral como flores, papel interfolha, caixões, serviços e outros. 

Posso dar qualquer valor?

Dissemos um pouco acima que valores menores podem ser dados sem problemas, mas o exemplo era para um caso brasileiro. Quando falamos da Coreia do Sul, o valor dos presentes variam de acordo com o tipo de evento e grau de proximidade com o presenteado.

Por exemplo, uma mãe daria um valor mais alto para a filha em seu aniversário do que um amigo da escola. Do mesmo modo que uma avó presentearia um neto mais próximo a ela do que aquele de uma cidade distante.

Também é preciso relevar que existem situações únicas na vida dessas pessoas como o casamento, O valor dado para cenários costuma ser bem maior do que uma festa de final de ano ou confraternização CADRI.

Existe um certo respeito entre pessoas mais humildes, mas é claro que quantias mais valiosas são mais bem vistas entre a cultura por lá. Isso não significa que você não possa dar um presente físico que acredito que essa pessoa goste.

A diferença é que as pessoas preferem receber dinheiro na Coreia do Sul. O valor pode variar de 50 mil a 300 mil wones (moeda coreana). Valor que representa entre R$230 até 1400. Frisamos que esses números podem alterar de acordo com a época. 

Em um único ano, estima-se que uma família coreana gasta cerca de R$6500,00 por ano em presentes, mas esses números podem variar. Nesses casos, muitas famílias deixam de ir em festas e aceitar convites devido a necessidade de dar esse dinheiro. 

Festas mais chiques exigem quantias mais caras como uma espécie de pagamento por entrada. Bem diferente do que temos por aqui, não é mesmo? Já pensou pagar para ir ao aniversário da sua amiga que é filha do distribuidor de fibra de vidro da cidade?

Comida também é bem vista

Já pensou em receber um melão que vale cerca de R$500,00? Pois é, tenho certeza que preferimos uma boa peça de picanha. Na Coreia do Sul é bastante comum as pessoas também darem comida para seus entes queridos.


Normalmente são produtos que não são facilmente encontrados no supermercado ou até uma cesta básica de verduras e carnes. Os coreanos  gostam muito de passar o tempo bebendo e indo em Karaokês. É a forma como curtem suas festas e se divertem.

Existe empatia no que se é dado 

O valor principal desse costume coreano é a necessidade de construir uma boa relação entre família e vizinhança. Filhos respeitam muitos os pais, apesar de a vida idosa ser bem solitária por lá. 

Esses números são informações que retiramos de fontes viventes por lá, mas isso não significa que pessoas mais humildes não possam presenciar um casório ou uma festa de luxo. O respeito entre essas pessoas é fundamental.

 Por isso, pessoas que podem dar mais dinheiro costumam doar, mas justamente para que os mais simples possam participar. Existe essa relação de cumplicidade a qual explicamos no início do artigo. 

 É como lidar com uma licença de perfuração, será preciso organizar pontos importantes e definir o dia de atuação, mas o resto é tranquilo quando existem pessoas responsáveis. 

Precisamos muito aprender com essas culturas e não existe o certo ou errado, mas o que estamos acostumados a viver. 

Japão, Coreia do Sul, China e outros países asiáticos costumam nos dar grandes lições de como lidar com problemas que consideramos difíceis. No caso do Brasil, nossa origem indígena e catequização católica gerou costumes diferentes dos outros países.

E tudo bem. Basta aderir aquilo que você acha importante para seu convívio e aprender as diferenças de todos os povos. E essa é a tradição coreana de presentear pessoas queridas com dinheiro. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe Este Artigo: