Curiosidades / Japão

Superlotação e crescente população urbana do Japão

Superlotação e crescente população urbana do Japão
Compartilhe nas redes sociais:

Muitos imaginam que as casas e apartamentos no Japão são pequenas por falta de espaço. Só que na verdade isso acontece porque a maioria das pessoas querem se aglomerar em cidades grandes como Tokyo e Osaka. Só em Tokyo são 13 milhões de habitantes, e sua região ampliada ultrapassa 36 milhões (Chiba, Saitama, Kanagawa). O que faz com que várias pessoas habitem o mesmo local?

Enquanto no Japão são 336 habitantes por Km² em Tokyo são 6.000 pessoas por Km². Apesar disso, o Japão sofre com um grande problema de natalidade, onde o governo precisa seriamente incentivar os japoneses a terem filhos, se não a população vai diminuir cada vez mas, atrapalhando o crescimento econômico e necessitando cada vez mais de mão de obra.

Alguns imaginam o Japão como um aglomerado de cidades, só que na realidade quase 80% dele são florestas e montanhas. Mesmo o Japão sendo um país pequeno, diversas cidades estão ficando desertas e abandonadas porque a maioria da população do interior está migrando pra Tokyo. O governo japonês já chegou a oferecer até mesmo terrenos gratuitos de 300m² para incentivar o crescimento populacional da Região. O governo precisa urgentemente além de resolver o problema da falta de crianças nascendo, como também retirar grande parte das pessoas de Tokyo e incentiva-las a se espalhar pelo país.

Isso não é uma tarefa fácil, cada vez mais a população de Tokyo e outras metrópoles aumentam. Isso porque Tokyo é a cidade das oportunidades, o desejo de muitos jovens e até estrangeiros. Em Tokyo você tem acesso a tudo o que precisa, apesar de muito das vezes ser ilusão, já que até cidades pequenas e afastadas você encontra de tudo, incluindo diversão e turismo.



Os problemas de Superlotação em Tokyo

Os trens e escolas superlotadas, listas de espera longas para creches e pré-escola e etc. O prefeito de Tokyo tem lutado contra esses problemas, desenvolvendo laços com zonas rurais e incentivando as pessoas a deixarem a cidade e começar uma vida no campo. Enquanto Tokyo enfrenta problemas de Superlotação, indústrias regionais estão quebrando e não há pessoas suficientes para cultivar nos campos.

A superlotação influencia até mesmo a baixa natalidade do país, já que a maioria das mulheres de Tokyo têm menos filhos que de outras regiões. Apesar das cidades japonesas serem planejadas para não ter congestionamentos no trânsito, isso acontece nos trens, parques, piscinas, principalmente em feriados ou festivais. Milhares de pessoas aglomeradas em situações diversas. Mesmo que os japoneses se aglomeram de uma forma organizada, pode ser incomodo para muitos.

O governo tem feito as seguintes coisas para evitar super lotação em locais públicos de muito acesso:

  • Ônibus de turismo possuem horários restritos;
  • Colocar limite de capacidade total nos locais;
  • Aumentar o tempo de horário de funcionamento;
  • Maiores impostos e taxas de entrada;
  • Estadias mínimas;

Densidade Populacional do Japão

O fato é que diversas cidades no Japão sofrem de superlotação, enquanto diversas cidades são um deserto sem moradores, sem trabalhadores, sem empregados, sem estudantes e etc. Veja uma lista demográfica do Japão com as cidades mais populadas e sua densidade.

CidadePopulaçãoDensidade 1Km²Área km²
Tokyo13.503.81060002.189
Yokohama3.555.4738174434
Osaka2.643.80511.893222
Nagoya2.258.8046.919326

 

Apesar do Japão parecer um dos países mais lotados do mundo, com muitas pessoas por Km², existem outros 17 países que estão na frente do Japão. Mónaco, Singapura, Hong Kong, Vaticano, Malta, Taiwan, Coreia do Sul, Porto Rico, Bélgica, Líbano e diversos outros. A diferença é que provavelmente esses países não deixam suas áreas abandonadas para se aglomerar em um só local, principalmente porque alguns são bem pequenos.

Apesar de Tokyo ter uma densidade alta, com áreas que chegam a ter 14.000 pessoas por Km². Isso está bem abaixo da densidade de cidades como Manhattan (27,000) e Paris (21,000). Uma das estratégias para evitar super população é elevar os altos custos de habitação da cidade de Tokyo. O grande problema é que isso leva as pessoas a gastarem menos escolhendo opções de apartamentos menores. Ou seja, assim como todo Japão, Tokyo ainda tem muito espaço habitacional, o fato de ele ser caro acaba aglomerando ainda mais pessoas em espaços pequenos.

Porque o aluguel, apartamento e casas em Tokyo são caras? O simples fato da maior parte de Tokyo ser prédios e casas pequenos, enquanto se espera gigantescos arranhas-céus. Os altos preços também fazem com que as pessoas vivam muito longe do trabalho. Muitos deles ainda pegam o trem num trajeto muito longo, acabando com o precioso tempo. Se o foco dos japoneses forem criar prédios mais altos os preços seriam menores e talvez o espaço até maior.

A construção e transformação de cidades inteligentes

Tokyo sempre vai chamar atenção, o que faz com que a cidade precise evoluir de uma maneira que facilite a vida de quem mora nela. Assim ela evita um pouco dos problemas causados pela superlotação de pessoas migrando para cidade. O Japão tem transformado suas cidades de maneira inteligente, com tecnologias que reduzem os gastos de energia, poluição ambiental e etc. Só que isso não é o bastante, o governo japonês precisa crescer outras cidades e incentivar pessoas a morar nelas.

Existe um conceito chamado Cidade Inteligente, Fujisawa foi a primeira cidade inteligente dentro do conceito onde o foco é diminuir os gastos e criar algo sustentável. Só que ao invés de criar cidades inteligentes, o Japão tem transformado as cidades já existentes pra facilitar a vida dos cidadãos. São diversos fatores que torna uma cidade inteligente, como:

  • Conectividade;
  • Integração;
  • Planejamento;
  • Acessibilidade;
  • Economia;
  • Sustentabilidade;
  • Inovação;
  • Qualidade de vida;
  • Interatividade;
  • Eficiência;
  • Inteligência;
  • Mobilidade;
  • Criatividade;

Ao invés de criar cidades inteligentes, é nesses fatores que o Japão precisa pensar em desenvolver nas pequenas cidades, afim de atrair a população. O Japão tem feito esse trabalho com sua tecnologia, transporte, facilidade e etc. O que você acha sobre esse assunto? Gostaríamos de ouvir sua opinião nos comentários, e seu compartilhamento.

Compartilhe nas redes sociais:
  • Katia Her

    Olá! Apesar de amar esse país, não tenho conhecimento suficiente sobre ele para poder opinas, então, restringindo–me às informações repassadas por essa ótima matéria, suponho que a política de construção de cidades inteligentes deva, sim, ser incentivada, mas também outras, visando talvez o desenvolvimento de centros industriais, tecnológicos e educacionais de excelência fora das áreas mais concorridas. Agora uma sugestão sobre o site: o conteúdo apresentado é ótimo, mas precisa de uma séria revisão, pois a redação deixa muitíssimo a desejar (incompatível com a qualidade do conteúdo)!