Natalidade no Japão – Quantos filhos os japoneses costumam ter?

, ESCRITO POR

Inscreva-se para baixar nossos livros e receber contéudo exclusivo

[ATENÇÃO] Quer aprender Japonês? Clique e conheça o Clube Nihongo Kakumei!

Compartilhe com seus Amigos!

O Japão é um país muito pequeno e têm uma população de cerca de 127 milhões de habitantes, alguns até devem achar que no Japão a natalidade é controlada, ou que é permitido ter apenas um filho no país. A verdade é que o Japão sofre exatamente o contrario, o governo está incentivando a população a fazer o máximo de filhos possíveis, mas infelizmente os casais não querem.

O Japão têm uma das mais baixas taxa de natalidade do mundo, pesquisas mostram que a população está envelhecendo e a quantidade de jovens diminuindo, e ninguém quer ter filhos. Acredita-se que se continuar assim, diversas cidades vão ficar abandonadas, resultando em diversos problemas econômicos e sociais.

O Governo tem feito o máximo para incentivar os casais a terem filhos, existe até mesmo ajuda financeira do governo para aqueles que tiverem filhos. Mesmo os japoneses tendo condições, eles sabem da dificuldade de criar um filho.

Além disso, o Japão permite o aborto, diminuindo ainda mais a taxa de natalidade. Isso é um cenário completamente inverso do Brasil, onde pessoas sem condições criam muitos filhos e isso acaba gerando pobreza, criminalidade e despesas para o governo.

school

Quantos filhos os japoneses costumam ter?

A taxa de natalidade do Japão é de 1,34 por mulher. Isso é um numero bem baixo que faz com que a população diminua progressivamente, cerca de 0,16% ao ano.

No Japão nasce apenas cerca de 1 milhão de bebês por ano, e pesquisas mostram que esse numero vai diminuir. Antigamente em 1925 a natalidade era de 5 crianças para cada mulher, e foi diminuindo progressivamente.

Veja algumas curiosidades interessantes sobre a população japonesa:

  • A maioria dos casais costumam ter apenas um filho, não costuma passar de 2 ou 3.
  • 13% da população japonesa têm entre 0 e 14 anos.
  • 60% da população japonesa está entre 15 e 64 anos.
  • 26% acima dos 65 anos.
  • Existe um grande numero de mulheres acima dos 30 que estão solteiras.
jardim

Curiosidades sobre as mães e seus filhos

  • As mães não amamentam em publico.
  • Ter uma babá é algo raro.
  • Após o primeiro filho, muitas deixam de trabalhar fora.
  • Escolas não são publicas no Japão.

Esses fatores também acabam contribuindo para a falta de natalidade no Japão. Criar filhos é uma grande responsabilidade, e os japoneses pensam bastante antes de tomar qualquer decisão. Isso está totalmente correto, porque infelizmente muitos país têm filhos e não conseguem educa-los ou tirar tempo para passar com eles.

As mulheres geralmente precisam escolher entre uma carreira e uma família. Segundo algumas estatísticas, cerca de 70% das mulheres japonesas são essencialmente forçadas a deixar de trabalhar após o primeiro filho.

Medidas de incentivo para ter filhos no Japão

O Governo e as empresas tem feito o máximo possível para incentivar os casais a terem filhos. Eles também incentivam aqueles solteiros a arrumarem uma esposa. Infelizmente os homens não costumam ser relacionar tanto devido a timidez, e a falta de compromisso. Muitos não estão precisando de mulheres para satisfazer seus desejos sexuais.

O governo têm oferecido muitas modalidade de ajudas, abonos e subsídios. Os país costumam receber uma ajuda de 15.000 ienes por mês para ajudar na criação e amamentação do filho. O governo também oferece mais benefícios pra quem têm 2 ou mais filhos. Algumas províncias chegaram a oferecer quantias altíssimas para o incentivo de ter filhos.

okane2

Além da ajuda financeira do governo, algumas empresas como a Canon têm diminuído a carga horária e incentivado os casais a terem filhos. Programas de TV, Doramas e Animes acabam apresentando famílias grandes com diversos filhos para incentivar os casais a terem.

Além disso as empresas têm lançado diversos produtos e simuladores para incentivar os jovens a arrumarem namoradas, infelizmente às vezes isso têm um efeito contrario e faz com que alguns se isolem. A mídia também tenta incentivar os casais a terem mais relações sexuais, visto que isso também têm diminuído com alguns casais.

Falta de Interesse por Sexo

Pesquisas mostram que uma das principais causas é a falta de sexo, isso até mesmo entre os casais. Neste artigo queremos discutir se realmente os japoneses perderam interesse por sexo e quais são os verdadeiros motivos da queda de Natalidade.

A falta de interesse por sexo é conhecida por sekkusu shinai shokogun ou “síndrome do celibato“. Pesquisas realizadas afirmam que mais de 50% da população ficou sem praticar sexo por até um mês. 

Até mesmo japoneses casados afirmam que não fazem muito sexo na maioria das vezes porque chegam cansado do trabalho ou simplesmente não possuem interesse. Esse é outro grande fator para a falta de natalidade no Japão.

Desde meados dos anos 90, a economia do Japão estagnou e elevou os preços. Isso tornou cada vez mais difícil para os jovens sairem de casa e terem sua própria vida, no máximo recorrem a cubículos pequenos. Difícil constituir uma família dessa forma.

Compartilhe com seus Amigos!

11 comentários em “Natalidade no Japão – Quantos filhos os japoneses costumam ter?”

  1. Sr.Mallagueta Pepper, não sei se você é burro e não entende de economia ou está fingindo, meu amigo, quem você acha que irá produzir comida, quem irá bancar a previdência e de onde vc acha que vem a aposentadoria e os gastos do governo? Você não é burro, é muito burro.

    Responder
  2. Não é assim que funciona filhão, esses que você citou são os que vivem de auxílios do governo, quando eu morava na Alemanha era assim, ao invés de trabalhar(eles tem chance), aprender a língua local e respeitar a cultura, eles fazem justamente o contrário.

    Responder
  3. Tem gente que leu o artigo e não entendeu a seriedade da situação. Se o interior ficar despovoado, quem é que vai cultivar alimentos para a população de metrópoles como Tóquio? Não dá pra importar toda a comida. A economia entrará em decrescimento, o país ficará sem gente o suficiente sequer para se defender, com uma Coréia do Norte e uma China ali do lado. E se o Japão liberar a imigração, vamos supor, para asiáticos, a própria soberania nacional pode ficar em risco. Uma grande leva de imigrantes chineses contribuiria para dinamizar a economia e elevar a natalidade, mas poderia a longo prazo transformar o arquipélago em província chinesa, simples assim.

    Responder
  4. eles podiam receber refugiados do oriente médio, eles fazem muitos filhos e estabilizariam a taxa de natalidade do país.

    Responder

Comentários do site