Incesto no Japão – Por que parece aceitável?

, ,
Post by //

Você deve ter percebido nos animes, novels e mangas atuais a quantidade de conteúdo incestuoso presente nas histórias. Não apenas em obras eróticas, mas também em obras infantis e juvenis sempre você encontra uma paixão ou fetiche por irmãs mais novas. Porque o Japão permite animes desse tipo? Como esse gênero se tornou popular? Como o Japão realmente encara o incesto? Vamos responder essas perguntas através deste artigo.

Apesar do Japão ser muito tradicional, ele é bastante aberto quando se trata de sexualidade, provavelmente pela ausência de religiões cristãs no país. Até mesmo na religião xintoísta os japoneses acreditam que foi um relacionamento incestuoso que deu origem ao país. No Japão feudal a falta de liberdade fazia com que a família cresce-se de forma incestuosa. Os clãs tradicionalmente incentivavam relacionamentos entre primos para perpetuar as dinastias familiares. Se um pai estivesse viúvo, ele normalmente se casaria com a filha.

Como o Japão encara o incesto?

Foi apenas com a ocidentalização do Japão que a prática de incesto foi proibida no país. Pesquisadores da ciência genética descobriram que o incesto causa diversos problemas no DNA humano. Foi criada uma lei contra o incesto, mas ela foi abolida em 1881, dando liberdade ao incesto consensual. No entanto, o Código Civil do Japão não permite o casamento entre familiares. Socialmente o incesto no Japão é fortemente estigmatizado.

Depois da globalização, esse tipo de relação tornou-se incomum. Esse tema não costuma ser abordado no Japão. Os japoneses não possuem opinião sobre o assunto, eles consideram como um ato vergonhoso e negam qualquer coisa sobre esse assunto. Por mais que os japoneses dizem que o incesto não existe, ele acontece as escondidas do Japão e do mundo.

Porque o incesto parece aceitavel no Japão?

Alguns relatos dizem que até mesmo mães estavam tendo relações sexuais com seus filhos adolescentes, resultados da ausência do marido em casa. Algumas mães afirmam que isso mantinha seus filhos focados nos estudos e não nas meninas. Por mais que alguns encarem o sexo como prazer, ter relações com parentes pode acabar afetando emocionalmente e mudando a maneira que encaramos nossos parentes. Só não leve isso ao pé da letra, nem generalize, são um caso entre milhões. Casos assim acontecem também em todos os países. O pior de tudo é quando essas coisas acontecem sem consentimento.

Por que incesto nos animes faz sucesso?

O primeiro anime/hentai de incesto (envolvendo relações sexuais) foi lançado na década de 1980 com nome de Cream Lemon, que se concentrava nos irmãos Hiroshi e Ami. Atualmente existem diversos hentais envolvendo incesto de irmãs, mães e outros. Até mesmo animes de TV costumam puxar para o lado do incesto com obras envolvendo irmãs mais novas como oreimo e Imouto sae Ireba Ii.

Nos animes as irmãs mais novas acabam agindo de uma maneira indecente. Será que as irmãs mais novas realmente se comportam como nos animes? No Japão, os irmãos mais velhos são muito admirados e procurados pelas suas irmãs mais novas. Muitos irmãos mais velhos se esforçam para cuidar de suas irmãs mais novas. Não seria anormal se isso acaba-se resultando em uma paixão ou relação amorosa.

O público-alvo dessas obras animadas de incesto costumam ser os otakus anti-sociais e solitários. Provavelmente algum deles tiveram uma irmã mais nova ou já teve fantasia com elas, por isso acaba se identificando com essas obras. Outra explicação para a popularidade desses animes envolvendo romance entre irmãos é porque é algo incomum. Coisas incomuns e anormais chamam atenção e costumam ser mais emocionantes. As empresas pouco se importam se é certo ou errado, o interesse delas é gerar renda e lucro.

Porque o incesto parece aceitavel no Japão?

Como devo encarar o Japão por causa do incesto?

Muitas pessoas acabam criando um preconceito do Japão por causa dos animes incestuosos. Eu considero esse tipo de relacionamento errado, mas não me envolvo em críticas e penso que cada um faz o que quer. Eu odeio quando as pessoas dizem: “O Japão é nojento por causa do incesto”. Eu acho isso uma hipocrisia já que diversos países como França, Espanha, Rússia, Turquia, Luxemburgo e outros países da Europa permitem o incesto. Até mesmo países americanos não proíbem o relacionamento entre familiares.

Lembre-se que só porque os otakus gostam disso, não quer dizer que a população japonesa aprova. Possivelmente elas também detestam. Mesmo que você encare o incesto como algo errado por causa de religião, não acho motivo para descriminação. Relações sexuais em si já é algo nojento, não importa se a pessoa é heterossexual, homossexual ou seja um incesto.

Se é consensual, então não me importo, elas que encaram as consequências. Não podemos obrigar a humanidade a seguir nossos conceitos de moral. Claro que o incesto em animes é algo totalmente diferente da vida real, eu pessoalmente não vejo problemas em assistir animes com foco em imouto (irmãs mais novas). E você? Como encara isso tudo? Agradecemos os comentários e recomendamos também:

Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:


8 comentários sobre “Incesto no Japão – Por que parece aceitável?”

  1. O incesto é nojento em qualquer país ou época. Não acho que os japoneses como um todo, vê o incesto com bons olhos (graças a Deus), porém acho muito de mal gosto esses animes e mangás que contenham esse conteúdo. Ora, os otakus (no sentido japônes do termo) não se tornaram piores ao consumir esse tipo de conteúdo?!

  2. Concordo com tudo com que está no artigo, melhor site de cultura japonesa <3

  3. Não Discrimino o Japão nem nada do tipo agora vei todo anime que acho com uma historia boua, um anime realmente legal, (Seja Hechi ou não) ta rolando muito incesto entre irmãos, veiiiii pra quem tem irmã igual a mim isso e super hiper mega nojento, ainda mais quando me coloca uma menina que aparenta ser bem mais nova, algo entre seja sei la um prima ainda vai já irmão, pai, mãe e outra escala.
    Deixando claro que não me importa isso muito em vida real se cada um tiver sua opção seja ela o diabos que for to pouco me fudendo pra isso. Apenas acho que exagerar dms nisso em animes onde mostra as relações como beijos proposta de casamentos e super esquisito e nojento porque mostra exatamente o lado que vc não quer ver no incesto que e o particular dos irmãos se pegando. Lembrando que essa minha opinião e apenas pra anime, pois vida real e outra história, quem quiser vive a vida como quiser e opção de cada qual e todos devemos respeitar a opção de cada um.

  4. Texto interessante, só a parte do “Relações sexuais em si já é algo nojento” que não gostei. Isso ode ser apenas uma opinião inofensiva da sua parte, mas também pode ser um reflexo da cultura de vergonha sobre atos sexuais presente na nossa sociedade, coisa que não acho socialmente saudável.

    • Não estou desprezando as relações, nem tenho vergonha, apesar de achar que tem momento certo para tratar o assunto… Eu digo que é algo nojento não por causa do ato sexual em si, mas pelo fato de ser os locais de onde sai coisas que achamos nojento (fezes)…

  5. Gostei muito do texto, pois ele explica de forma histórica e social como o incesto é visto no Japão, além de explicar o motivo deste fenômeno ser tão recorrente. Se o incesto é consentido, isto é, um acordo entre as vontade de duas ou mais pessoas, sou a favor dele. Gosto muito de assistir animes, ler mangás ou qualquer outra mífdia que fale deste assunto.

  6. Pensar que aqui mesmo no interior do nordeste isso não é exatamente algo incomum ainda que não seja visto com bons olhos por um monte de gente claro.Há pouco tempo mesmo me contaram de um garoto que faz com a mãe por influência dela mesmo, alguma coisa sobre ser de família ou algo assim, yuck. Eu com certeza não me interesso ou recomendo animes e coisas assim mas “elas que encaram as consequências. Não podemos obrigar a humanidade a seguir nossos conceitos de moral.” faço dessas palavras as minhas!

  7. Seu jeito de pensar é igual ao meu, pra mim incesto é errado, mas se os outros querem fazer, o problema é deles, a vida privada deles não me interessa .

Comentários do site