Advocacia e Advogados no Japão

[ADS] Anúncio

Advogados e juízes são altamente valorizados em todo globo. Pensando nisso, neste artigo vamos falar um pouco sobre o trabalho de advocacia no Japão.

No Japão, os advogados são conhecidos como Bengoshi [弁護士]. Existem dois tipos de advogados no Japão: advogados públicos e advogados privados. Os advogados públicos trabalham para o governo sendo responsáveis por casos criminais, enquanto os advogados privados trabalham para pessoas físicas e jurídicas e tratam de casos civis.

Sendo uma das maiores economias do mundo e um centro financeiro global líder, o Japão é um destino atraente para muitos advogados internacionais. O sistema jurídico do país é baseado no direito civil, com uma forte influência do direito alemão e francês.

O Japão é membro da Convenção de Haia sobre os Aspectos Civis do Rapto Internacional de Crianças, e é signatário da Convenção de Nova Iorque sobre o Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras.

Recomendamos ler também:

Se Tornando um Advogado no Japão

Há várias razões pelas quais os advogados podem optar por exercer no Japão. O país tem um grande e sofisticado mercado jurídico, com muitas oportunidades para advogados com experiência internacional.

O sistema jurídico japonês é conhecido por sua eficiência e imparcialidade, sendo classificado como um dos melhores do mundo. O Japão é também um país seguro e estável, com uma baixa taxa de criminalidade e um alto padrão de vida.

Tornar-se um advogado no Japão não é uma tarefa fácil. Em primeiro lugar, é preciso passar no exame da Ordem, o que é notoriamente difícil. Apenas cerca de 10% dos que se submetem ao exame passam nele.

Uma vez aprovado no exame da Ordem, você deve então completar um programa de treinamento jurídico de dois anos. Depois disso, você poderá finalmente exercer a advocacia.

Caso você seja estrangeiro e já tenha passado na ordem dos advogados de seu país, não é necessário passar por esses processos no Japão. Vai ser reconhecido como um advogado estrangeiro.

O sistema jurídico japonês é extremamente complexo, e os advogados desempenham um papel vital nele. Se você estiver interessado em se tornar um advogado no Japão, é importante estar preparado para um longo e difícil caminho pela frente.

Advogados no japão - conheça um pouco mais

Cultura dos Advogados no Japão

Um fato histórico que a alfândega japonesa coloca um certo receio para com o envolvimento legal. Isso baseado nas doutrinas do confucionismo e nos princípios japoneses de harmonia. Sim, uma das coisas mais interessantes da cultura japonesa, a paixão que eles desenvolveram pelo senso de harmonia.

É basicamente dizer que alguém levado perante um tribunal por uma questão criminal ou civil sofreu humilhação pública e privada. Isso por interromper a harmonia de alguma maneira. Claro que em alguns casos é necessário o envolvimento da justiça, mas isso fica a critério de cada indivíduo.

A indústria dos advogados

Mais de 100 universidades possuem uma faculdade de direito no nível de graduação. Confira aqui algumas das universidades do Japão. Assim, muitos estudam direito no nível de graduação e vão trabalhar para empresas em papéis sem relação com a lei. No entanto, para se tornar um advogado, é necessário ir para a faculdade de direito, passar no exame de bar e completar o LTRI.

Em agosto de 2014, havia 35.031 advogados registrados em associações de advogados no Japão. Os salários iniciais dos advogados japoneses são tipicamente de cerca de 10 milhões de ienes (US $ 100.000). Isto é, em firmas de advocacia estabelecidas e cerca de metade das empresas japonesas.

Judge wooden gavel and flag of japan. Law and justice. Legality concept.

Exame de bar

Atualmente, o exame é como se fosse o a nossa prova da OAB. Onde os graduados são testados e assim, ganham o certificado de capacitação. Mas no Japão, o exame de Bar, é apenas o primeiro passo para a vida profissional.

O exame é dividido em duas etapas. A primeira etapa é um exame de resposta rápida de um dia sobre as seis leis e o direito administrativo. A segunda etapa é um exame de três dias sobre ensaios em direito público, direito civil e direito penal, bem como assuntos que podem ser selecionados pelo examinando (incluindo direito trabalhista, direito ambiental, direito internacional público e direito internacional privado).

Além disso, foi introduzido um requisito da escola de direito. Todos os participantes do exame de admissão devem concluir um programa de pós-graduação de dois ou três anos e estão limitados a fazer o exame dentro de cinco anos após a graduação.

O Exame de bar japonês é conhecido como um dos exames mais difíceis do mundo. Embora as taxas de aprovação de bar estejam se elevando após a reforma estrutural em 2006, apenas cerca de 20% dos diplomados em direito da faculdade ultrapassam a barreira.

Os alunos só podem tentar passar 5 vezes, após o que são desqualificados. A maioria dos alunos estuda em escolas particulares independentes para passar no exame de admissão. A idade média das pessoas que passam no exame é de 28 a 29 anos.

Instituto de Formação e Pesquisa Jurídica do Supremo Tribunal

Aqueles que passaram no exame de admissão participam de um processo de treinamento de um ano para o estudo de habilidades práticas no LTRI. O treinamento no LTRI consiste em treinamento coletivo, aulas em sala de aula e um treinamento em campo.

O LTRI é focado em ensinar as habilidades de litígio. Quando os alunos passam no exame final no LTRI, eles se tornam advogados, promotores ou juízes. Promotores e juízes são escolhidos a dedo pelo LTRI.

Recomendamos ler: Franquia no Japão: Conheça os 8 Melhores Segmentos Para Investir

Advogados no Japão

Advogados no japão - conheça um pouco mais

Enfim, como podemos ver, a vida para se tornar um advogado não é nada fácil. Além disso, é bem provável que seja uma profissão pouco valorizada. É gato que ninguém quer derrubar a paz, ou melhor, a maioria das pessoas não quer.

Assim, os advogados ficam como um último recurso. Mas é sempre possível contar com os escritórios de advocacia, principalmente aqui no Brasil. Afinal, o que é melhor que resolver tudo numa boa conversa de amigos? Mas agora é com você, deixa aí nos comentários o que você achou do artigo.

Aproveita e compartilhe o site lá nas redes sociais, isso ajuda bastante. E caso tenha alguma pergunta, dúvida ou algo do gênero sobre advogados no Japão, deixe nos comentários. No mais, obrigado a você por ler o artigo até aqui, Tchau.

Compartilhe Este Artigo: