Tudo sobre chikan, o assédio sexual no Japão

Chikan (痴漢, チカン, ou ちかん) é o termo usado para se referir ao assédio sexual no Japão, pode significar ambé em português ‘abusadores ou molestadores de trem’. Esse crime é praticado mundialmente, mas em cada país tem as punições cabíveis para tal crime. Geralmente este é cometido em locais que possuem superlotação como o transporte público principalmente durante a parte da manhã e da noite (horários de maior movimento nas estações) .

Superlotação, solidão e medo: essas são as características ideais procuradas pelos molestadores para achar as vítimas. Casos de abuso cometidos pelos chikan são processados pela polícia sob o Artigo 176 do Código Penal como “obscenidade forçada” (強制わいせつ). Segundo o Departamento de Polícia Metropolitana de Tóquio, só no ano de 2017 cerca de 1.750 casos de abusos e molestamentos foram denunciados. Dados apontam ainda que metade desses casos ocorreram em trens, enquanto 20% deles aconteceram nas estações de trens. 

Pessoas se aproveitam da situação para tocar de forma sexual outras. A palavra “chikan” em japonês descreve atos que violam várias leis. A expressão correspondente, utilizada para se referir as mulheres que praticam o chikan é chijo.

O chikan é comum ser representado na pornografia japonesa. Já os vocábulos ‘frotteurismo’ ou ‘toqueirismo’ são usados para a definição desses desejos de acordo com o que é usado na psicologia clínica. Embora mulheres sejam as mais vulneráveis para sofrer chikan, isso acontece com ambos os sexos e são praticados também tanto por homens como por mulheres.

O chikan pode ser realizado em qualquer lugar. Infelizmente, é necessário atenção redobrada em ambientes lotados e locais mais isolados pois os abusadores tiram vantagens nessas situações. Um exemplo disso é em estacionamentos de bicicletas, onde o molestador (a) espera que a vítima se curve afim de soltar a trava da bicicleta e aproveite para apalpar a pessoa por trás.

Chikan - tudo sobre chikan, o assédio sexual no japão

Prática do chikan

O chikan não significa apenas tocar de maneira imprópria outra pessoa, mas também mostrar as partes íntimas, por exemplo, sem permissão. o crime é cometido principalmente nas cidades de Tóquio, Osaka, Kanagawa, Saitama e kobe ( cidades grandes que possuem trens e metrôs). Destas Saitama é a cidade com o maior número de registros de chikan.

Outras táticas usadas pelos molestadores são: forçar a vítima a pegar nas partes intimas do criminosos; tirar fotos por baixo da saia/vestido; sentar ao lado e fingir que está dormindo para se aproveitar; mostrar ou falar coisas obscenas; cortar a roupa ou abrir botões. A realidade que permeia o chikan não é muito diferente que em outros países. Pois, infelizmente muitas pessoas (principalmente mulheres) têm medo de denunciar por medo. O medo as faz paralisar e não agir para combater o fim desse crime horrendo, isso gera cada vez mais casos de chikan.

Os molestador procura locais muito específicos para que consiga praticar os atos libidinosos, por exemplo, se a pessoa no metrô estiver mais próxima da porta de entrada ela corre mais risco de sofrer chikan por ser um lugar difícil de se esquivar.

Os molestadores também de o hábito de ‘estudarem’ a vítima. Eles começam a observar antes mesmo de entrarem no trem e costumam se aproximar de pessoas de aparências mais frágeis, tímidas e sozinhas pois correm menos risco destas falarem alguma coisa que os faça ser descoberto. Meninas em idade escolar são as mais vulneráveis para assediadores. Lamentavelmente também acontece dos molestadores praticarem chikan com as mesmas vítimas por terem a certeza de que elas não vão contar. E como a maioria tem uma rotina com os mesmos horários fica mais favorável para os criminosos saberem o momento certo para atacar.

Chikan - tudo sobre chikan, o assédio sexual no japão

Medidas de combate ao chikan

Como trata-se de um crime as autoridades japonesas tomaram medidas para o combate dessa prática detestável por destinarem vagões apenas para mulheres nos metrôs. A ação teve início em 2002, nas cidades mais movimentadas do Japão durante os horários de maior fluxo de pessoas. Mas, tal medida divide opiniões pois o tanto homens como mulheres estão sujeitos a sofrer chikan em metrôs.

Em Kansai, Osaka e Kobe empresas de trem operam apenas carros femininos durante o dia inteiro ao longo da semana que também faz o serviço de divulgação com cartazes próximos aos metrôs alertando sobre o crime de chikan.

Ninguém merece passar por situações como está, mas infelizmente se chegar a acontecer tem que fazer de tudo para que a situação não se repita e não precise sofrer com isso. Dizer em voz alta: “Watashi ni sawaruna!” (Não me toque!) é uma forma de chamar a atenção, fazer a pessoa parar e pedir ajuda. Outras opções são: usar vagões voltados apenas para mulheres, evitar ter rotas específicas, andar com campainha de segurança entre outras formas.

É triste ter que escrever formas do que fazer um texto para evitar sofrer assédio no Japão ou em qualquer lugar bem como maneiras de agir nessas situações sendo que o correto era não ter preocupações como essas!

E para você, como é possível tentar amenizar essa situação de chikan? Já tinha ouvido falar desse termo antes?

Compartilhe Este Artigo: