Sequestro na Embaixada Japão no Peru em 1996

, , ESCRITO POR


Tudo começo na noite de 17 de dezembro de 1996, na Embaixada do Japão em Lima no Peru. Ela foi invadida pelo MRTA (Movimento Revolucionário Tupac Amaru). Os guerrilheiros pediam a libertação de 500 companheiros que estavam presos.

A organização Tupac Amaru do Peru estava praticamente extinta. A tomada da embaixada foi uma demonstração de que o grupo ainda estava em atividade e planejava sua reconstrução. “Ou conseguimos a libertação dos nossos camaradas ou morreremos com os reféns” declarou o membro da Tupac Amaru.

As 610 pessoas que se encontravam na embaixada para uma recepção oficial pelo aniversário do imperador do Japão Akihito, foram feitas reféns. Esse foi um dos sequestros mais impressionantes da história, porque durou incríveis 126 dias. Ficando atrás apenas da ocupação da embaixada dos EUA em Teerã, Irã, que durou 444 dias. 

Sequestro na Embaixada Japão no Peru em 1996

Tudo acabou quando policiais e militares invadiram a casa do embaixador japonês e libertaram os 72 reféns restantes. Todos os 14 guerrilheiros da Tupac Amaru foram abatidos. Infelizmente o refém Carlos Giusti, juiz da Suprema Corte foi morto junto com dois militares. 5 outros reféns ficaram feridos.



Operação Chavín de Huantar – Invadindo EMbaixada



80 agentes invadiram a embaixada para resgatar os reféns exatamente às 15h30. Eles estavam equipados com colete à prova de balas, o presidente Alberto Fujimori acompanhou tudo no local. Disse que os reféns foram soltos “sãos e salvos” numa missão que durou 40 minutos. 

Um guerrilheiro afirma que quatro dos sequestradores mais jovens tentaram se render, mas mesmo assim foram mortos pelos militares. O presidente Fujimori confirmou os números de vítimas e disse que “não havia outro meio” para solucionar a situação. 

Os guerrilheiros que invadiram a embaixada jogava futebol diariamente. Os militares aproveitaram essa ocasião e invadiram a embaixada através de um túnel. O embaixador Jorge Gumucio, disse que os reféns tinham sido avisados de antemão que haveria a intervenção militar. 

Entre os reféns libertados estavam dois ministros peruanos, os embaixadores do Japão e da Bolívia, outros 23 cidadãos japoneses e vários peruanos, entre eles o irmão do presidente Fujimori.

Sequestro na Embaixada Japão no Peru em 1996

O líder dos guerrilheiros era Néstor Cerpa Cartolini, atrás somente de Víctor Polay Campos o fundador do grupo. O Movimento Revolucionário Túpac Amaru foi fundado em 1984, inspirado em outras guerrilhas de esquerda de países da região.

Durante e depois da operação, várias explosões de origem desconhecida ocorreram dentro da casa do embaixador japonês. Não se sabe se as explosões foram causadas por granadas ou por explosivos que os terroristas colocaram no local. 

Esse foi o acontecimento histórico envolvendo o Japão e Peru. Caso não saiba, o Peru tem uma boa relação com os japoneses e recebeu muitos imigrantes. Os Peruanos conseguem até mesmo entrar no Japão sem visto, graças as boas relações que o presidente japonês proporcionou governando o peru.

Gostou do artigo? Se gostou compartilhe e deixe seus comentários!

Compartilhe Nosso artigo:

Comentários do site