Konmari – 13 dicas do famoso método de organização japonês

Neste artigo, trataremos de falar sobre o método Konmari, criado pela japonesa Marie Kondo, escritora nipônica especialista na temática da organização pessoal. Além disso, mostraremos 13 dicas de organização propostas a partir do método citado. Os japoneses são craques na arte de formular métodos para otimizar a vida, organizar as finanças, melhorar o rendimento no trabalho e no ambiente empresarial, perder peso e até mesmo viver melhor de forma geral. Diversos métodos, como o Kaizen ou o Kanban visam melhorar o ambiente social, econômico e cultural do sujeito (e da empresa).

Por outro lado, o método Konmari tem como foco principal a organização e a limpeza de um determinado recinto. Levando em consideração que a sociedade japonesa preza por estabelecimentos e lares limpos e organizados, não é de se estranhar que um método como este tenha sido criado por eles. A seguir, definiremos o que é o método em sí e extrairemos a partir disso 13 dicas de suma importância para alcançar os objetivos propostos.

Vestuário – roupas e acessórios em japonês

Konmari – Introdução, Significado e Definição

O método konmari, em japonês こんまりメソッド (konmari messodo), proposto por Marie Kondo visa trabalhar com o ambiente em que vivemos de modo a organizá-lo de forma harmoniosa, aumentando nossa felicidade e, consequentemente, nossa produtividade. O livro que a tornou popular no mundo inteiro se chama “A Mágica da Arrumação – A Arte Japonesa de Colocar Ordem na Sua Casa e na Sua Vida” (Edição em português, publicada pela Editora Sextante), que pode ser facilmente adquirido nas principais livrarias do país e nas lojas virtuais. Outro livro da autora muito recomendado para os amantes da organização pessoal é: “Isso me traz alegria – Um guia ilustrado da mágica da arrumação”, da mesma editora.

- konmari – 7 dicas do método de organização

Marie Kondo também ficou conhecida no Brasil e no Ocidente pela série “Ordem na casa” da Netflix (2019). O método konmari se resume, em termos gerais, numa mistura de “desapego” para com os itens que não trazem felicidade ao usuário e a classificação dos objetos por categorias, além de outras dicas. O termo “konmari” é uma junção entre a primeira sílaba do nome Kondo (“kon”) e as duas primeiras sílabas do nome Marie (“mari”) – Kon + Mari. A seguir, explicaremos como mais detalhes os princípios básicos do método konmari, por meio de 13 dicas:

Dica 1 – Disciplina: mantenha o bom hábito de organização.

Consistência, constância, manutenção do hábito. Se, ao iniciar o processo de organização você, de repente, desistir e retornar aos hábitos antigos, nada terá adiantado seguir os passos do método Konmari. Por isso, nunca se esqueça: consistência e constância são os grandes segredos!

Dica 2 – Categorização.

Categorize os itens que serão organizados. Marie Kondo sugere que a categorização seja feita na seguinte ordem: roupas, livros, papelada (documentos, folhas de ofício, apostilas soltas, certificados, boletos, notas, etc), pequenos objetos (ou “komono”: inclui produtos diversos, desde jogos de vídeo game até produtos de limpeza e higiene pessoal) e, por último, itens de grande valor sentimental (os mais difíceis de se desfazer).

Dica 3 – Ficou feliz? Mantenha. Ficou triste ou bravo? Descarte.

Quando um determinado item de sua casa (ou ambiente de trabalho) não lhe faz bem, desperta raiva, tristeza, indiferença ou incômodo, o melhor a fazer é doá-lo (não jogue no lixo, mas sim dê para alguém que precisa ou que possa se beneficiar com o objeto).

Por outro lado, se você ficar feliz com algum produto, caixa, quadro, copo, livro, roupa, ou qualquer objeto, e sentir que aquilo lhe proporciona paz, alegria, esperança ou felicidade, mantenha-o no recinto, de preferência num lugar que fique facilmente à vista de todos.

Dica 4 – O jeito certo de arrumar as roupas.

Existe uma forma correta de dobrar as roupas. Como podemos ver no vídeo abaixo:

Dica 5 – Seja autônomo no processo.

O processo de organização da casa e do ambiente de trabalho deve ser solitário. Não no sentido negativo, mas no sentido positivo, pois quando estamos sozinhos refletimos melhor sobre nossas necessidades e podemos nos concentrar mais facilmente no momento presente, o que facilita na arrumação.

Dica 6 – Minimalismo.

Excesso gera, muitas vezes, desordem e bagunça. O minimalismo consiste em deixar espaços vazios quando necessário ou colocar o mínimo de informação possível em determinado espaço. Muitos japoneses adotam esse hábito minimalista em suas vidas cotidianas.

Dica 7 – Reutilize.

O Japão é uma cultura que preza pela saúde do meio ambiente. Procure sempre reutilizar os materiais, pois assim você diminui a quantidade de informação no ambiente, estimula sua criatividade e ainda contribui com o planeta.

Dica 8 – O que é mesmo arrumar?

Arrumar não significa acumular. Arrumar é organizar, categorizar e se sentir feliz com o resultado. Quando se acumula ou se guarda um número muito grande de objetos e utensílios em armários, gavetas, depósitos ou caixas fechadas, você acaba apenas escondendo o problema e tendo mais dificuldade ainda para encontrar os itens que precisará utilizar no futuro.

Dica 9 – Apenas o necessário.

Manter no lugar apenas aquilo que é essencial e importante. Combinado ao minimalismo, essa dica pode ser extremamente útil para organizar um quarto, por exemplo.

Dica 10 – Pequenos recipientes e caixas nas prateleiras.

Pequenos recipientes e caixas numa prateleira podem ajudar na categorização de objetos de cozinha, alimentos e quinquilharias. O ideal é sempre deixar tudo categorizado e, de preferência, em caixas ou recipientes transparentes que mostrem o conteúdo que há dentro. Para os indivíduos que possuem prateleiras, é essencial compreender bem essa dica.

Dica 11 – Deixe tudo à vista.

Como dissemos anteriormente, é necessário que caixas e recipientes sejam transparentes e que os objetos que lhe trazem felicidade sejam expostos de maneira evidente e fácil de identificar. O ato de deixar tudo visível facilita na identificação dos utensílios e tira a necessidade de abrir caixas e recipientes para se ver o que tem dentro de cada uma.

Dica 12 – Metas.

Defina quais são as suas metas de organização espalhando, de início, os objetos e roupas na sua frente para que seja formulado um plano de ação que vise organizar o excesso de informação e a bagunça futuramente.

Dica 13 (extra) – Leia.

Essa dica serve para tudo na vida. Ler é um ato que transforma vidas. Ao ler um livro você sente que aquilo foi útil para você, e verá com mais prazer a atitude de organizar a sua própria biblioteca.

E aí? Gostou do artigo? Então comente, curta e compartilhe com seus amigos !

Compartilhe Este Artigo: