Suicídio na Coreia do Sul: o mal que atinge o k-pop

Anúncio

O fenômeno Hallyu tem crescido a cada dia mais graças aos vários idols sul-coreanos como cantores k-pop, atores e atrizes. Infelizmente nesse meio o suicídio na Coreia do Sul tem aparecido interrompendo a vida de jovens ainda em ascensão.

Quais celebridades coreanas já tiraram a vida? Quais medidas estão sendo tomadas pra mudar essa realidade? O que profissionais de saúde mental dizem sobre esse assunto? Vamos ver isso agora!

Suicídio na Coreia do Sul

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a Coreia do Sul tem a segunda maior taxa de suicídio do mundo. O índice é maior entre pessoas da terceira idade, o motivo é a situação de vulnerabilidade vivida por eles, muitos não conseguem se aposentar dignamente por isso é comum principalmente com os de baixo poder aquisitivo.

Em seguida vem os jovens que também tem um índice alto de mortalidade por tirar a própria vida, principalmente entre pessoas do sexo masculino. É um assunto tratado com seriedade, mas se torna assunto de fato quando acontece no meio artístico.

Anúncio

Dados da OMS de 2015 mostram que no país foram 24,1 mortes por 100 mil habitantes. E nesse mesmo ano a maioria das mortes foram de pessoas entre 10 e 39 anos.

Suicídio das celebridades

Muitos idols sul-coreanos interromperam suas vidas drasticamente, um mal que muitas vezes está mascarado por um sorriso e belíssimas apresentações no palco. Vejamos algumas celebridades que perderam suas vidas pelo tristeza profunda.

Jonghyun

Jonghyun é o nome artístico de Kim Jong-hyun (김종현) nasceu em 8 de abril de 1990 em Seul. Ele era cantor, compositor e produtor do grupo SHInee pela SM Entertainment. O início de sua carreira foi em 2008 foi com a banda que acabou se tornando uma das mais bem sucedidas da Coreia do Sul. Jonghyun cometeu suicídio em dezembro de 2017, aos 27 anos. Antes do ocorrido ele já dava sinais de depressão em suas canções melancólicas e postagens nas redes sociais.

Sulli

Sulli na verdade tinha o nome de Choi Jin-ri (최진리) ela era da cidade sul-coreana, Busan, Nascida em 29 de março de 1994 ela iniciou sua carreira em 2005 como atriz. Em 2009 passou a fazer parte do grupo f(x) e ficou até 2015. Mas durante esse período ela também atuou em vários doramas. Ela foi encontrada sem vida em outubro de 2019, a morte foi confirmada como suicídio. Pessoas próximas afirmaram que ela tinha depressão. Sulli era amiga próxima de Jonghyun e Koo Hara.

Koo Hara

Koo Hara ou Goo Ha0ra (구하라) nasceu em Gwangju no dia 3 de janeiro de 1991. Hara foi cantora e atriz coreana. Em 2008 começou a carreira integrando o grupo Kara da DSP Media e ficou até 2016. Nesse período fez parte da apresentação de reality show e estreou como atriz. A vida amorosa de Hara foi rodeada de problemas, ela sofreu agressão e ainda passou por ameaças do ex-namorado de divulgar um vídeo de sexo feito sem consentimento dela. Depois do ocorrido ela passou a ser assediada nas redes sociais. Nesse mesmo ano, em 2018, ela tentou suicídio, mas foi encontrada a tempo. Porém, em novembro de 2019 ela conseguiu tirar a própria vida com apenas 28 anos. Hara morreu seis semanas após a morte de Sulli.

Anúncio

Oh In-hye

Oh In-hye (오인혜) nasceu em 4 de janeiro de 1984 na capital da Corei do Sul. era atriz e modelo, deu início a sua carreira em 2011 no filme Sin of a Family. Ela fez 8 filmes e 3 séries. No ano de 2019 ela criou um canal no You Tube. Em setembro de 2020 foi encontrada morta em sua casa aos 36 anos.

Seo Min-woo

Seo Min-woo (서민우) nasceu em 8 de fevereiro de 1985 na cidade sul-coreana de Daegu. Ele era ator e cantor, sua carreira teve início em 2006. Ele recebeu reconhecimento ao integrar a banda chamada 100% da gravadora TOP Media. Em 2014, Seo Min-woo se afastou da banda por causa do serviço militar obrigatório de 1 ano e 8 meses. Em março de 2018 ele morreu.

Possíveis causas

As causas que levam ao suicídio são inúmeras! Em uma entrevista pra Suki Desu a psicóloga clínica, Magda Custódia fala do tipo de pensamento da pessoa que já pensa em cometer o ato: ”Quando uma pessoa está com depressão, que é a maior causa de suicídios, elas costumam dizer “minha vida não vale nada!” “o que estou fazendo nesse mundo?” ou “nada faz sentindo pra mim, então prefiro morrer!”. Então, essas pessoas já estão com pensamentos suicidas e muitas vezes até já planejam como fazer”.

No caso da Coreia do Sul o nível de exigência deles com relação ao artista, exposição, sasaegs (fãs obsessivos) são apenas alguns dos fatores que podem contribuir para que muitos desenvolvam problema psicológico.

Em agosto de 2021 uma das integrantes do grupo TWICE, Jeongyeon se afastou das atividades devido ao transtorno do pânico e ansiedade. A cantora já ficou afastada de outubro de 2020 a janeiro de 2021 pelo mesmo motivo. O mesmo aconteceu com Mina, sua companheira de grupo que em 2019 ficou afastada por problemas de ansiedade e insegurança.

Se distanciar dos holofotes para se cuidar é importante, mas a pessoa deve voltar no momento certo. ”A própria pessoa deve analisar se vai se sentir bem voltando ao trabalho, ou se estará segura. Pois a ansiedade em nível elevado traz sentimentos de medo, insegurança e muitas vezes até pânico ou fobias. Para que essas pessoas se sintam bem e preparadas para retornar as suas atividades é também necessário estar em acompanhamento psicológico e psiquiátrico”, afirma a psicóloga.

Anúncio

Na Coreia do Sul a cobrança começa cedo com relação aos estudos, carreira e aparência. Quando a pessoa é famosa vem mais compromissos e responsabilidades que ainda devem estar de acordo com o que é imposto pela agência e pela expectativa de fãs. Os artistas são alvos de criticas o tempo todo, as pessoas acreditam que por serem conhecidos estão no direito de falar o que bem entendem da vida deles, tudo isso afeta a saúde mental de alguma forma.

Ponte do suicídio

A Ponte Mapo como é conhecida popularmente como Ponte do Suicídio, cruza o Rio Han na capital da Coreia do Sul, Seul, e sua extensão é de 2,2Km. A ponte tem o codinome de Ponte do Suicídio por ser um lugar comum para tentativas de tirar a própria vida. Acredita-se que cerca de 1.090 pessoas já tenham se jogado dessa ponte entre os anos 2003 a 2011.

No final de 2012 a empresa Samsung teve uma ideia criativa para tentar reduzir o índice de suicídios. A estimativa é que após a campanha 85% de mortes diminuíram. A solução foi transformar a ponte em Ponte da vida! Em toda a ponte foram colocados letreiros iluminados, fotos de pessoas felizes e frases como:

”Visite as pessoas de quem você sente saudade”

”Os melhores momentos da vida estão por vir”

”Não é bom caminhar em uma ponte?”

Todas as frases e fotos foram escolhidas e elaboradas com a ajuda de psicólogos com o objetivo de fazer a pessoa que pensa em cometer suicídio se distrair a ponto de chegar em segurança do outro lado. Próximo à ponte tem também uma estátua de um homem consolando outro chamada de ” Just Once Again”. Os telefones que ficam na ponte também podem ser usado para ligar para a central de ajuda de saúde mental.

É importante estarmos sempre atentos para que isso não aconteça com pessoas próximas. Mostrar empatia e ser observadores pode salvar uma vida! ”Depressão não é preguiça, não é frescura, não é para chamar atenção! É uma doença grave!, finaliza Magda Custódia.

Anúncio