Tudo sobre Metaverso no Japão

Metaverso é uma das palavras mais faladas na web nesses últimos anos, seja pelos Jogos NFT ou pelas propostas de realidade virtual e realidade aumentada, essa palavra promete ser a evolução da Internet. Qual o papel do Japão nesse universo? Neste artigo veremos tudo sobre o Metaverso no Japão!

Observe ao longo do texto alguns dados interessantes sobre o Metaverso no Japão, como os japoneses estão imersivos no mundo virtual, quais as propostas do Japão para o Metaverso e até mesmo alguns animes que abordam o tema.

O que é Metaverso?

Metaverso é o nome usado para denominar um ambiente virtual imersivo, coletivo e hiper-realista, onde as pessoas poderão conviver usando avatares customizados em 3D. Nesse universo será possível comercializar personagens, ambientes, terrenos, casas, comprar e vender produtos como no mundo real.

Funciona como uma espécie de RPG Online, mas onde será realmente possível realizar qualquer coisa e ainda ganhar e viver com isso. Uma das principais propostas é a imersão usando realidade virtual completa Full Dive.

O Metaverso além de ser uma nova forma de viver ou de gerar renda para alguns, aproxima cada vez mais as pessoas e traz experiências cada vez mais imersivas de maneira mais acessível aos usuários.

O objetivo do Metaverso é apresentar não apenas a visão e audição de um novo mundo, mas pretende uma imersão completa com sensações físicas, de tato e temperatura, e até mesmo o cheiro e paladar.

Uma das propostas do metaverso é possibilitar que a pessoa faça compras em uma Loja sem precisar ir nela, mantendo a experiência como se estivesse na loja. Outra proposta é realizar shows e eventos como se estivesse no local.

Metaverso - tudo sobre metaverso no japão
Japão no Metaverso

O Metaverso no Japão

A mistura do real com o virtual já acontece no Japão a muitos anos. Os jogos japoneses geralmente são imersivos, seus Visual Novel já tentam levar seus jogadores a uma nova vida com relacionamentos e amigos.

Algo que se popularizou recentemente são os canais do Youtube onde os apresentadores na maioria das vezes são personagens estilo anime chamados V-tube. Algo forte, já que os japoneses prezam bastante o anonimato.

A alguns anos com surgimento dos óculos de Realidade Virtual, um jogo que se popularizou se chama VRchat, onde podemos encontrar muitos pequenos universos cheios de personagens de anime e criações realistas.

Desde 2011 já acontecem Shows de Realidade Aumentada usando personagens de anime como a famosa Hatsune Miku. O Japão já aderiu ao Metaverso a muitos anos, claro que não da forma que estão propondo.

No Japão já está presente serviços onde a pessoa pode experimentar algumas atividades como passar cotonete nos ouvidos ou até mesmo atividades sexuais com personagens de anime usando realidade aumentada.

Informações sobre o Metaverso no Japão

Em Agosto de 2021 foi realizado uma pesquisa por duas vtubers Nem e Mila sobre a vida social no mundo digital ou metaverso no Japão. Veja algumas informações interessantes sobre esse assunto.

Conforme a pesquisa, 90% dos japoneses utilizam o VRChat, mas outros aplicativos populares são Virtual Cast, Cluster e NEOS VR. Existem outros apps mobile utilizados para reuniões online com personagens de anime.

Cerca de 48% dos usuários japoneses desse mundo virtual estão na casa dos 20 anos, enquanto 29% estão na casa dos 30 anos. Apenas 3% dos usuários tem acima de 50 anos, enquanto 12% estão na casa dos 40. 8% dos usuários tem menos de 10 anos de idade.

Cerca de 50% dos usuários acessam o Metaverso diariamente. Outros 25% costumam acessar no mínimo duas vezes na semana. Quase metade dos acessos costuma durar até 3 horas, já 32% deles costumam durar de 6 a 12 horas.

Apenas 2% dos usuários usam seus nomes reais no Metaverso enquanto outros países do ocidente esse número permanece por volta dos 20%. Cerca de 25% dos usuários alteram suas vozes de alguma forma.

Vrchat – a experiência que todos os otakus vão querer

Motivos de estar no Metaverso

Já se perguntou porque os japoneses acessam o Metaverso por meio do VRChat ou outra aplicação? Os dados abaixo apresenta porcentagens que vão ajuda-lo a compreender:

  • 87% – Socializar com amigos;
  • 76% – Explorar mundos;
  • 59% – Participar de eventos;
  • 53% – Jogar;
  • 34% – Criar mundos e avatares;
  • 11% – Fazer Lives;

Tipos de Personagnes no Metaverso

Abaixo veja uma porcentagem de personagens criados no Metaverso:

  • 78% – Personagens femininos;
  • 13% – Personagens masculinos;
  • 9% – Outros tipos de personagens;
  • 45% – Humanoides;
  • 43% – Semi-Humanoides;
  • 5% – Robôs e Ciborgues;
  • 3% – Monstros e Animais;
  • 2% – Outros;

Propostas para Metaverso no Japão

Além de jogos como VRChat, verdadeiros projetos de recriação de bairros no mundo virtual já estão sendo feitos no Japão. Já em 2020 eventos como Comiket aconteceram virtualmente chamado de Comicvket.

Uma rede de lojas de conveniência do Japão chamada Lawson também participou do projeto e tem sua loja como estande na versão virtual de Akihabara, mostrando assim o empenho de diferentes empresas nesse novo Metaverso.

Empresas japonesas que oferecem serviços de realidade virtual e realidade aumentada já estão mapeando a cidade de Tokyo e entregando arquivos para serem usados como ambientes de Shows e Eventos.

Já a empresa NTT Docomo disse conseguir criar personagens no metaverso que espelham os movimentos dos usuários. Quando os usuários piscam ou sorriem, seus avatares podem realizam as mesmas ações em tempo real. 

Metaverso - tudo sobre metaverso no japão
Akihabara no Metaverso

Os problemas do Metaverso no Japão

Há décadas temos um número gigantesco de japoneses que vivem na internet mais do que no mundo real. Esse estilo de vida acaba causando problemas sociais dificultando amizades, relacionamentos e isolando pessoas em casa como Neet.

Com reação aos projetos de NFT os japoneses já estão espertos e muitos já têm uma visão negativa desse negócio. Apesar de ser uma boa proposta, sabemos que muitos estão sendo criados apenas para gerar lucro rápido como pirâmides.

Personagens femininos?

Outro problema bastante comum seja no Japão ou no ocidente é a escolha de personagens femininos nos jogos online. Seja em Realidade Virtual ou jogos online tradicionais, a maioria, seja homem ou mulher, escolhem personagens femininos.

Por esse motivo, muitos são cautelosos a iniciar um relacionamento online, por não saber o tipo de pessoa na qual está namorando. Já homens costumam criar personagens e fingem ser mulheres para ganhar benefícios.

Apenas 9% dos usuários do Metaverso no VRChat Japonês são mulheres, mas 78% dos personagens são femininos. Claro que alguns homens preferem personagens femininas por serem agradáveis de se ver (digo isso porque escolho personagens femininas nos jogos offline).

Será esse o motivo dos otaku chamarem personagens femboy dos animes de Trap? O mais estranho de tudo é que 75% afirmaram numa pesquisa que saber o sexo real da pessoa não é um fator relevante para o relacionamento virtual.

Metaverso - tudo sobre metaverso no japão

Animes sobre Metaverso

O Metaverso está bastante presente nos animes, já tivemos diversos animes que apresentam uma imersão completa no mundo virtual desde a década de 90. Alguns são clássicos como Digimon e Sword Art Online.

Já escrevemos um artigo falando sobre os melhores animes sobre viagem para outro mundo onde citamos animes de mundos virtuais e digitais. O que acha de vermos alguns animes que mostram como deve ser o Metaverso no futuro?

Já vou avisando que nem mencionarei Digimon nessa lista porque existem vários animes de Digimon, então já fica a dica para você dar uma olhada nessa grande Saga.

Accel World

Esse é o anime mais apropriado para mostrar como será o Metaverso daqui a alguns anos, podemos observar no anime uma imersão completa no mundo virtual e também uma mistura com a realidade aumentada.

O anime conta a história de um jovem gordo baixinho apelidado de Haru que sofre bullying no colégio. Um dia ele é apresentado para uma garota popular que convida para jogar um jogo que utiliza o próprio mundo como cenário e oferece benefícios no mundo real com habilidades de aceleramento mental.

Esse é um dos meus animes favoritos que infelizmente não recebeu grande destaque no Japão. Baseado em um Light Novel essa obra é do mesmo autor de Sword Art Online, mas na minha opinião é bem mais interessante.

As melhores personagens femininas dos animes

Net-Juu No Susume

Saindo um pouco da realidade virtual, esse anime mostra o relacionamento de duas pessoas num MMORPG Online. Trata-se de um anime de comédia romântica bastante divertido que mostra os problemas sociais que os jogos podem causar.

O anime mostra a história de uma personagem de 30 anos chamada Morioka Moriko que vive uma vida completa na internet, considerada uma NEET completa. Em um jogo online ela cria um avatar masculino chamado Hayashi e se envolve romanticamente com uma personagem feminina.

Recomendo dar uma boa assistida nesse anime caso queira saber dos problemas sociais que o Metaverso pode causar nas pessoas e também das experiências positivas que o mundo virtual pode apresentar.

Neetjuu susume

Sword Art Online

Por ser bastante popular, deixei sua recomendação por último. Trata-se de um MMORPG de Realidade Virtual completo e mortal onde jogadores são aprisionados até zerar o jogo completando os 100 andares.

O anime não para apenas em um arco, sua história continua por vários arcos e história envolvendo outros jogos de realidade virtual de diferentes gêneros, um filme sobre realidade aumentada e até a criação de Inteligência Artificial no mundo real.

O anime faz uma ponte e se passa no mesmo Universo que Accel World sendo uma tecnologia mais antiga. Com mais de 4 temporadas Sword Art Online mostra muito bem a evolução das tecnologias envolvendo a Realidade Virtual e o Metaverso.

Nos jogos de Sword Art Online é possível se alimentar, trabalhar, comprar casas, ter relações íntimas e até mesmo sentir dor. Se quer uma demonstração do Metaverso no Japão, Sword Art Online é um anime indispensável.

Tudo sobre metaverso no japão - sword art online

Compartilhe Este Artigo:


Deixe um comentário