Você precisa visitar o Mori Building Digital Art Museum

, , ,
Post by //

Um dos lugares mais épicos que visitei na cidade de Tokyo em 2018 foi o Mori Building Digital Art Museum teamLab Borderless localizado em Odaiba. Esse não é um museu comum, é um local épico, digital e colorido que impressiona qualquer pessoa, até aquelas que não gostam de museus. Neste artigo quero compartilhar minha experiência épica nesse museu e recomendar a todos!

Esse museu é perfeito para um encontro romântico de casais, crianças e pessoas de todas as idades. Aqui você embarca em um universo cheio de cores feitas através de tecnologia usando espelhos, LEDs, holofotes, câmeras 3D, realidade aumentada e muitas outras combinações de tecnologia que fazem um show de luzes e cores acompanhado de uma trilha sonora épica.

Além do museu ser grande, as obras de artes digitais estão sempre em constante mudança em tempo real, o que necessita ficar o dia inteiro ou fazer mais de uma visita para apreciar todo o museu. São mais de 50 obras e algumas ainda se interagem com o público.

Você precisa visitar o Mori Building Digital Art Museum

O que você encontra no Mori Building Digital Art Museum?

No Mori Building Digital Art Museum você encontra diversas áreas e exposições como:

  • Borderless World;
  • Forest of Lamps;
  • En Tea House;
  • Athletics Forest;
  • Future Park;

Apesar do site dividir o museu nessas 5 áreas, só o Borderless World é composto de inúmeras exposições. Você entra e se depara com um local cheio de espelhos e animações, artes e imagens coloridas se movendo por todo chão e parede junto com efeitos criados por espelhos em locais estratégicos. Além de se deparar com quadros de obras de artes.

Avançando mais um pouco você encontra uma sala com um piso meio elevado e uma cachoeira descendo no meio dele. Nas paredes você encontra ideogramas caindo e se você encostar eles se dissipam, criando assim uma interação com os visitantes. Se avançar mais um pouco você encontra uma sala cheia de ondas e puffs para deitar e relaxar.

Você precisa visitar o Mori Building Digital Art Museum

Ainda no primeiro andar do museu você encontra uma sala cheia de fitas de leds fazendo animações fantásticas acompanhadas de uma trilha sonora fabulosa (foi uma das minhas salas favoritas). Você também encontra a sala do infinito, um local cheio de espelhos com personagens e artes criando uma ilusão fantástica do infinito além de um show de holofotes.

No primeiro andar você ainda encontra uma floresta cheia de luzes e um local com exposições de civilizações antigas e de animais. Não importa pra qual canto você andar, sempre vai ter algo pra te impressionar. Ao subir uma escada para o segundo andar você também pode encontrar uma floresta magnifica cheia de lâmpadas tradicionais japonesas que mudam de cores.

Você precisa visitar o Mori Building Digital Art Museum

No segundo andar (por outro caminho) você também encontra o Athletics Forest e Future Park, um local cheio de artes digitais que envolve exercícios e atletismo. Lá você encontra bolas gigantes, um escorregador, uma área de lazer infantil e dois lugares de escaladas para testar suas habilidades.

Nesse andar você também pode colorir suas artes e transforma-las em algo digital. Aqui você encontra também a En Tea House onde é possível tomar um chá juntamente com uma experiencia digital e interativa em sua mesa. Lembrando que a saída do museu fica no segundo andar, então deixe para subir para o Athletics Forest depois de ter explorado tudo.

Eu tive a chance de gravar o museu e fiz um vídeo que vou deixar abaixo:

Mori Building Digital Art Museum e TeamLab Borderless

O teamLab surgiu em 2001 formado por diversos artistas visuais, profissionais, animadores, programadores, músicos, engenheiros, arquitetos e matemáticos afim de explorar uma nova relação ente os humanos, natureza, tecnologia e arte. Borderless significa sem fronteiras e está atrelado ao nome do Mori Building Digital Art Museum em Odaiba.

Esse Museu permanente surgiu com uma parceria entre o TeamLab Borderless e a desenvolvedora urbana Mori Building responsável por criações como ARK Hills, Roppongi Hills e Toranomon Hills. Existe um museu em Tokyo chamado Mori Museum, então cuidado para não confundir os dois.

Além do Mori Building Digital Art Museum, em Tokyo temos exposições da teamLab chamadas de teamLab Planets. Você também pode encontrar uma de suas obras de artes no VenusFort localizado em Odaiba ao lado do Pallet Town e também no bairro de Ginza no Ginza SIX. O melhor é sempre acompanhar o site do teamLab para ver todas as suas atrações e obras.

Você precisa visitar o Mori Building Digital Art Museum

Em outros países você pode encontrar alguma obra de arte digital do teamLab como o Massless em Helsink na Finlândia. Em Singapura também teve a exposição de uma arvore de cristal no fim de 2018. Na realidade existe outro museu parecido com Borderless. Em Singapura temos o FUTURE WORLD ArtScience Museum do teamLab.

Como acessar o Mori Building Digital Art Museum

O acesso a esse museu está no Pallete Town em Odaiba depois daquele centro de carros. Não tente seguir o Google Maps que ele não vai te levar a lugar nenhum, apenas acesse o Pallet Town (aonde tem a roda gigante) e procure passar pelo local cheio de carros até chegar a entrada doMori Building Digital Art Museum.

De preferencia compre os ingressos online porque as entradas são limitadas. Infelizmente a entrada para os adultos é um pouco salgada custando cerca de 3200 ienes, mas com certeza vale o investimento. Vale muito mais ir noMori Building Digital Art Museum do que pagar 3.000 ienes pra subir na SkyTree e descer dentro de uma hora.

Você precisa visitar o Mori Building Digital Art Museum

Na minha opinião oMori Building Digital Art Museum de TeamLab Borderless é uma das melhores atrações de Tokyo e Odaiba, você não pode visitar Tokyo sem ir nesse lugar. Se você já teve a oportunidade de conhecer essas obras de artes digitais, compartilhe sua experiencia nos comentários. Não se esqueça de compartilhar e avisar seus amigos sobre esse lugar épico!

Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:


Comentários do site