Shinzo Abe: Conheça o legado deixado pelo primeiro-ministro 

Na última semana, o mundo se chocou com a morte de Shinzo Abe, o primeiro-ministro do Japão que foi assassinado a tiros em um dos países com a menor taxa de homicídio e porte de armas em todo o mundo.

O Japão é uma grande potência mundial e é um país que serve como inspiração para outros que desejam uma produção e influência tão grande quanto ele, e sua política também é muito admirada e comentada em todo o mundo.

Além de contar com empresas dos mais diversos segmentos, desde as que prestam consultoria técnica ambiental até mesmo as fabricantes de roupas e acessórios, o Japão se tornou uma enorme potência de produção e exportação de produtos para outros países.

A política do país também é um assunto muito comentado em todo o mundo, já que muitos admiram a maneira como o país é governado e todos os feitos que foram realizados para que se evitasse grandes problemas.

O país conta com uma população de mais de 125 milhões de habitantes, e em 2021 foi registrado apenas uma morte por arma de fogo em todo o território, uma grande surpresa e evolução se compararmos com países como os Estados Unidos e o próprio Brasil.

Isso aconteceu justamente porque o país possui um processo muito rigoroso e minucioso quando o assunto é o porte de arma. Engana-se quem pensa que por lá é possível comprar um revólver em qualquer lugar e sem nenhuma objeção.

Até mesmo um mesmo para quem trabalha como segurança de um negócio de controlador de acesso empresas precisa passar por uma série de testes, exames e provas que o permitam utilizar a arma para trabalho ou segurança pessoal.

Entretanto, para uma grande surpresa da população, o primeiro-ministro, que era muito querido em todo o país, foi morto no meio de seus discursos em público com dois tiros na região do peito.

O crime chocou todo o país e o mundo justamente por ter sido através de tiros com arma de fogo, pois todos sabem muito bem como é difícil a morte por tiros a queima roupa dentro do país. 

A população japonesa ficou completamente destruída após a tragédia, isso porque o ministro em questão era muito querido pela maioria dos habitantes e havia realizado grandes feitos pela população durante o seu tempo de mandato.

Seus feitos auxiliaram desde profissionais que trabalhavam como despachante aduaneiro logística, até mesmo as crianças, adolescentes e grandes empresários dentro do país. 
Política do japão – como funciona o governo?

Entenda o caso do primeiro-ministro

Era sexta-feira, dia de julho de 2022 e Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão, estava a caminho de um comício eleitoral organizado por seu partido próximo a uma estação de trem na região de Nara, zona oeste do Japão.

No domingo, dia 10, haveriam as eleições para senado e o primeiro-ministro estava justamente aproveitando os últimos dias que antecedem o evento para propagar suas propostas e pedir o voto da população.

Por volta das 11h30 no Japão, cerca das 23h30 aqui no Brasil, Shinzo Abe estava em uma espécie de palco montado pela equipe falando com o público que estava por lá, quando um homem se aproximou dele pelas costas.

No comício estavam presentes milhares de pessoas, desde cidadãos desempregados até mesmo donos de lojas que vendem datador novos, por exemplo, não havia como prever o que poderia acontecer.

Entretanto, o homem em questão atirou duas vezes, dando um susto em todos os presentes, e foi quando o primeiro-ministro caiu e começou a observar manchas de sangue em sua camisa branca.

Shinzo Abe foi levado às pressas para o hospital mais próximo da região e deu entrada na emergência com um quadro de parada cardiorrespiratória. Os dois tiros atingiram a região do pescoço do homem de 67 anos.

Mesmo tentando de tudo e contando com a ajuda e suporte de diversos profissionais, a morte do primeiro-ministro foi confirmada às 17h03, no começo da manhã do dia 9 de julho aqui no Brasil.

Sua morte fez com que todo o país e até mesmo os parceiros da nação parassem em respeito ao luto do Japão, desde um escritório de assessoria contábil empresarial até mesmo as escolas pararam para homenagear e chorar a morte de Shinzo Abe.

A identidade do assassino não foi divulgada pela imprensa, mas o homem que fez os disparos foi preso assim que realizou o crime e foi levado para a delegacia da cidade para depor sobre o caso.

Até então, acreditava-se que a arma utilizada havia sido uma espingarda, mas após aprendê-la, a polícia verificou que se tratava de uma arma caseira, ou seja, o próprio homem havia criado ela para matar o primeiro-ministro.

O realizador do crime disse que não havia motivações pessoais para tal e que nem nutria ódio pelo político. Ele não apresentava nenhuma razão plausível para ter realizado aquele crime tão expresso em plena luz do dia e na frente de milhares de pessoas.

Acredita-se que o homem pode ter sido contratado por algum outro partido ou político rival de Shinzo Abe, que sabia de sua aprovação e carinho junto à população, e planejou o atentado logo na véspera da eleição justamente para impedir sua possível vitória.

Como mencionamos, no Japão é preciso uma autorização do governo para o porte e uso de armas, assim como é necessário uma autorização ambiental para realizar qualquer tipo de evento ou serviço que envolva um ambiente público.

Sendo assim, o crime chocou o país justamente por ser um lugar que preza pela segurança de toda a população e evita que vendas e portes de arma de fogo sejam liberadas de uma maneira tão simples como acontece em outros países.

O caso ainda continua sendo investigado pela polícia do país e diversos outros países aliados ao Japão prestaram sua solidariedade à nação e sua indignação com esse caso que trouxe muita tristeza e revolta a toda a população.

Conheça a história de Shinzo Abe

Natural de Tóquio, capital do Japão, se formou em ciências políticas na Universidade Seikei e não demorou para adentrar o universo da política para ajudar a população de seu país.

O homem se tornou primeiro-ministro ainda em 2006 e entrou para a história como o homem mais jovem a ocupar essa posição e também o que teve o maior tempo de mandato em todo o país.

O primeiro mandato de Shinzo Abe foi de 2006 a 2007, o segundo de 2012 a 2014, o terceiro de 2014 a 2017, o quarto de 2017 a 2020 e ele estava concorrendo ao seu quinto mandato este ano, e possuía grandes chances de ganhar.

Era um político que estava sempre preocupado com tudo o que acontecia, desde como funcionava o monitoramento ambiental das cidades até mesmo educação das crianças, jovens e adolescentes nas escolas e universidades.

Shinzo Abe se destacou por ter sido o homem que reforçou as alianças do Japão com países como os Estados Unidos, e ainda implementou uma segurança rígida na nação, que foi essencial para a baixa taxa de homicídios no país nos últimos anos.

Ele também fechou acordos voltados para a segurança do país como nações como o Sudeste Asiático, Austrália, França, Índia e Reino Unido. Seu principal objetivo era justamente proteger a nação do maior número de riscos possíveis.

Como se isso não fosse o bastante, o primeiro-ministro usou os seus mais de 10 anos de mandato para ajudar a população a conquistar objetivos importantes e que não envolviam apenas a sua segurança, como:

  • Educação;
  • Acessibilidade;
  • Lazer;
  • Moradia;
  • Comida. 
Foi um homem que deixou a sua vida para trazer segurança a empresas, desde uma defensa metálica simples até mesmo uma mercearia, e, principalmente, segurança para todos os moradores, não é à toa que foi um dos políticos mais amados.

Posicionamento de outros países

E como mencionamos, o caso não afetou apenas o Japão, gerando uma sensação de preocupação, tristeza e desespero em todos, pois justamente o país com o menor índice de homicídios conseguiu assassinar um dos únicos homens que lutou ativamente para isso.

Países aliados ao Japão, como os Estados Unidos e a Austrália, prestaram sua solidariedade e deixaram clara a sua indignação com o que ocorreu e se mostraram dispostos a ajudar no que for necessário para restaurar a paz no país.

Além disso, diversos acadêmicos e nomes importantes da política japonesa também demonstraram sua dor, tristeza e revolta ao falar sobre Shinzo Abe, principalmente em seu funeral e enterro.

Os japoneses também não deixaram de prestar suas homenagens e milhões deles foram às ruas nos últimos dias para protestar pela morte do primeiro-ministro, exigir segurança para todos e dar o último adeus ao homem que tanto fez pela população.

Mesmo com um fim trágico, Shinzo Abe marcou a história e a política do Japão, deixando um legado repleto de ordem, paz, respeito e justiça que será levado na mente e no coração dos que irão vir após ele e em todos os japoneses.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe Este Artigo:


Deixe um comentário