Os maiores Violinistas do japão

, , ESCRITO POR

Inscreva-se para baixar nossos livros e receber contéudo exclusivo

[ATENÇÃO] Quer Aprender Japonês? Clique aqui e acesse um curso gratuito!

Compartilhe com seus Amigos!

Já se perguntou “Quais são alguns violinistas japoneses?” ou “Quais os violinistas mais famosos do Japão?” Neste artigo vamos ver uma lista de violinistas notáveis ​​e famosos do Japão. Esses violinistas estão entre os mais proeminentes em seu campo.

A lista apresenta Shinichi Suzuki, Hirotsugu Shinozaki e muitos outros. Esses proeminentes violinistas do Japão podem ou não estar vivos no momento, mas o que todos eles têm em comum é que todos são violinistas japoneses respeitados.

Use esta lista de violinistas japoneses de renome para descobrir alguns novos violinistas com os quais você não está familiarizado. Não se esqueça de compartilhar esta lista e deixar os comentários com os amigos.

Shinichi Suzuki – Criador do método Suzuki

Suzuki Shinchi nasceu na cidade de Nagoya em 17 de outubro de 1898. Ele foi um músico, filósofo e educador japonês e o inventor do método internacional Suzuki de educação musical e desenvolveu uma filosofia para educar pessoas de todas as idades e habilidades.

Shinichi passou sua infância trabalhando na fábrica de violino do pai (atual Suzuki Violin Co., Ltd). Ele começou a tocar violino aos 17 anos, sem acesso ao ensino profissional, ele ouviu as gravações de Mischa Elman e tentou imitar o que ele ouviu.

Aos 22, o Marquês Tokugawa, um amigo de Suzuki, convenceu o pai a deixá-lo estudar na Alemanha, onde estudou com Karl Klingler. Mesmo sem nenhuma educação formal, na Alemanha ele passou algum tempo sob a guarda de Albert Einstein.

Foi la, na Alemanha, que conheceu e se casou com a srta. Waltraud Prange (1905-2000). Após seu retorno ao Japão, formou um quarteto de cordas com seus irmãos e começou a ensinar na Escola Imperial de Música e na Escola de Música Kunitachi, em Tóquio.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a fábrica de violino do seu pai foi bombardeada por aviões de guerra americanos e um de seus irmãos morreram. A família ficou sem um tostão por isso, então Suzuki decidiu deixar suas posições e se mudar para uma cidade próxima, onde ele construiu peças para aviões em madeira para levantar algum dinheiro.

Extremamente pobres, ele deu aulas para crianças órfãs nas cidades exteriores de onde ele morava. Ele adotou um de seus alunos, Koji, e começou a desenvolver estratégias de ensino e filosofias. Ele então combinou aplicações práticas de ensino com a filosofia tradicional asiática.

A essência de sua filosofia pode ser encontrada nas seguintes citações:

"Ensinar música não é meu objetivo principal. Quero fazer bons cidadãos, nobres seres humanos. Se uma criança ouve boa música desde o dia do seu nascimento, e aprende a tocá-la ele mesmo, ele desenvolve a disciplina, sensibilidade e resistência. Ele fica com um belo coração. "
"A música é uma linguagem que vai além da fala e letras -. Uma arte viva que é quase mística Este é o lugar onde o seu impacto emocional vem dentro Bach, Mozart, Beethoven - sem exceção, viver de forma clara e palpável em sua música, e falar com força para nós, purificando-nos, refinando-nos , e despertar em nós a maior alegria e emoção. "
Os maiores Violinistas do japão

Mari Kimura – Criadora das Sub-Harmônicas

Mari Kimura [まり木村] é uma violinista e compositora que nasceu em 1962. Ela é conhecida por seu uso de sub-harmônicas, que são alcançadas por meio de técnicas especiais de curvatura, elas permitem tons abaixo da faixa normal do instrumento.

Ela é creditada com a “introdução” do uso de sub-harmônicos de violino, que permitem que um violinista toque uma oitava completa abaixo do baixo G no violino sem ajustar a afinação do instrumento.

Mari estudou violino com Joseph Fuchs, Roman Totenberg, Toshiya Eto e Armand Weisbord. Ela também estudou composição com Mario Davidovsky na Columbia University e computação musical na Stanford University.

Kimura possui doutorado em performance pela The Juilliard School. Desde setembro de 1998, ela ministra uma turma de pós-graduação em Interactive Computer Music Performance na The Juilliard School.

Mari Kimura é filha de um renomado arquiteto ambiental japonês, Ken-ichi Kimura. Ela cresceu em uma casa solar projetada por seu pai no Japão. Kimura compõe para violino solo e violino com várias mídias desde 1991.

Karen Gomyo – A Japonesa ocidental

Karen Gomyo nasceu em Tóquio, Japão e cresceu em Montreal, Quebec, Canadá, onde iniciou aulas de violino aos 5 anos de idade. Aos 10 anos, ela se mudou para Nova York para estudar na Juilliard School, a convite da lendária pedagoga Dorothy DeLay.

Aos 15 anos, Gomyo venceu o International Concert Artists Young Auditions, iniciando sua carreira internacional como solista e músico de câmara. Ela participa de estimadas orquestras, locais e junto a colegas colegas por todo o mundo.

Gomyo participou de um documentário em 2014 sobre Antonio Stradivarius chamado “Os mistérios do violino supremo”, no qual é violinista, guia e narradora, um programa que foi transmitido em todo o mundo na NHK World.

Ela também foi convidada para se apresentar no Primeiro Simpósio para as Vítimas do Terrorismo, realizado na sede das Nações Unidas em Nova York em 2011. Karen Gomyo também é aclamada por sua interpretação da música Nuevo Tango.

Ela trabalhou com o pianista e lenda de tango de Astor Piazzolla, Pablo Ziegler, e seus parceiros Hector del Curto (bandoneon), Claudio Ragazzi (guitarra) e Pedro Giraudo (contrabaixo).

Yūko Shiokawa – A Violinista Imigrante

Yūko Shiokawa é uma violinista japonesa que nasceu em 1946. Shiokawa nasceu em Tóquio e começou a estudar violino aos 5 anos. Em 1957, sua família emigrou para o Peru, onde estudou com Eugen Cremer e começou a dar concertos.

Em 1963, iniciou aulas de mestre com Wilhelm Stross em Munique e com Sándor Végh em Salzburgo a partir de 1968. Aos 19 anos, recebeu o Preis der Deutschen Musikhochschulen e o Prêmio Mendelssohn.

Shiokawa iniciou sua carreira profissional em 1963, apresentando-se na Orquestra Sinfônica da Rádio da Baviera sob Rafael Kubelík e na Filarmônica de Berlim sob Herbert von Karajan. Desde então, ela toca com a maioria das principais orquestras da Europa, Estados Unidos, Japão e Israel.

Ela também é ativa em música de câmara e recitais solo, especialmente com o marido, o pianista András Schiff. Ela fez inúmeras gravações, incluindo as sonatas de Mozart e as sonatas e partitas de Bach solo.

Em 1967, Rafael Kubelík permitiu que ela usasse o violino de seu pai, Jan Kubelík, o Stradivarius “Imperador ex Gillot” feito em 1715. Ela tocou este instrumento até 2000.

Os maiores Violinistas do japão

Outros violinistas do Japão

Os violinistas dessa categoria não são inferiores ou superiores aos anteriores. Apenas não encontramos muitas informações sobre esses violinistas de renome. Na verdade, alguns deles estavam entre os primeiros do Ranking que encontrei.

Chisako Takashima [ちさ子高嶋] é uma violinista que nasceu em 24 de agosto de 1968 e é representada por J-two. Abaixo podemos ver algumas de suas performances.

Hirotsugu Shinozaki foi outra violinista de renome do Japão que viveu entre 1902 e 1966, infelizmente não temos muitas informações sobre ela e suas participações. Sabemos que ela nasceu em Fukuoka.

Não podemos esquecer outros violinistas japoneses que são famosos mas não encontrei muita informação na internet:

  • Isako Shinozaki;
  • Junichi Natsume;
  • Takehisa Kosugi;
  • Sayaka Shoji
  • Takehisa Kosugi;
  • Yuuko Shiokawa;

Compartilhe com seus Amigos!

1 comentário em “Os maiores Violinistas do japão”

  1. Bom dia. Faltou mencionar o violinista Taro Hakase

    Responder

Comentários do site