Energia solar no Japão

Procurando um curso de Japonês? Veja um comparativo dos melhores cursos gratuitos e pagos clicando aqui!

A energia solar é amplamente usada no mundo todo e no Japão essa fonte de energia é gerada desde o final da década de 90. O Japão é um dos países com maior produção de painéis e células fotovoltaicos residenciais. O índice de radiação solar no Japão é de 4,3 a 4,8 kWh/m² ao dia.

O Japão é um país que possui pouca extensão territorial e contém muitos relevos irregulares. Estas condições desfavoráveis fazem com que o país busque soluções inovadoras e futuristas de abastecimento de energia para suprir a demanda da sua população com mais de 125 milhões. 80% do seu fornecimento dependem de fontes estrangeiras.

A energia solar se tornou prioridade no Japão após o desastre nuclear de Fukushima em 2011, se tornando o segundo maior no mercado mundial entre os anos de 2013 e 2014 com recorde de 6,97 GW e 9,74 GW de potência instalada.

Energia solar - energia solar no japão
Anúncio

Crise do petróleo

A crise do petróleo de 1973 e 1979 interferiu na energia solar significativamente. O consumo do recurso aumentou e nos anos seguintes o consumo de grandes indústrias foi instável, mas os residenciais, comerciais e de transporte de passageiros e mercadorias teve aumento.

No final da década de 80 houve diminuição das importações nos países asiáticos e o Japão passou a depender do petróleo do Oriente Médio representando 90% das importações e de outras fontes de energia. Isso foi significativo porque é algo importante para a obter as fontes de energia.

Ao que tudo indica petróleo tem tudo para ser uma fonte de energia global e a demanda principalmente da continente asiático tende a aumentar. Para não correr o risco de sofrer escassez energética, o Japão já pensa na promoção de recursos independentes para não passar por situações emergenciais, mas será necessária a cooperação dos países produtores de petróleo.

Anúncio
Energia solar - energia solar no japão

Energia solar residencial

Desde o ano de 2013 no Japão existe o incentivo para toda a população afim de adotar o uso de energia solar nas casas. A energia solar já atingia uma potência instalada de 6707 MW.

Então foi adotada a ideia de instalar sistemas fotovoltaicos em telhados de todo o Japão e tornando essa instalação algo acessível para todos por terem preços em conta. O Japão se tornou um dos principais fabricantes mundiais. Várias empresas já investem em energia fotovoltaica, e inclusive muitos empreendimentos delas são realizadas aqui no Brasil.

Anúncio

A usina de energia solar flutuante mais potente do mundo foi construída no Japão. Essa usina japonesa possui 51 mil painéis solares flutuantes que agem para fornecer energia elétrica para ,ais de 5 mil casas. Isso contribui para ajudar com relação ao meio ambiente. A usina fica no Reservatório Yakamura há 70km da capital, Tóquio. A média é que ela produza mais de 16 mil MW/hora por ano, auxiliando no plano do Japão para obter 24% de toda sua capacidade elétrica a partir de fontes renováveis até 2030.

Energia solar - energia solar no japão

Efeito estufa

O efeito estufa é importante para a vida na Terra, ele contribui para que não morramos, na verdade talvez nem fosse possível ter vida nesse planeta. Se não tivesse o efeito estufa a temperatura da Terra seria de 18°C negativos. Os gases do efeito estufa absorvem a radiação solar e emitem de volta para a superfície terrestre calor (radiação infravermelha). Parte desse calor sai da atmosfera e volta para o espaço, dessa forma a Terra mantém a temperatura que permite que haja vida.

O que resulta n efeito estufa são as emissões de dióxido de carbono com a queima de combustíveis fósseis como o petróleo e o carbono, que se converteram a um grave problema mundial. Para diminuir esses danos foi desenvolvido o Protocolo ou Tratado de Kyoto.

Anúncio

O Protocolo de Kyoto é internacional, seu objetivo é fazer países desenvolvidos assumirem o compromisso de reduzir gases que agravam o efeito estufa, para diminuir os impactos causados do aquecimento global. Também são realizadas discussões para estabelecer metas e projetos que não prejudicam o planeta.

A tecnologia veio para ajudar e simplificar a vida no que for possível, inclusive no que se trata da natureza. O objetivo é que com a tecnologia consigamos diminuir as emissões dos gases do efeito estufa. Em 1993 o ”Novo Programa Claridade do Sol” passou por uma estruturação e foi adotado com o objetivo de desenvolver tecnologias inovadoras voltadas para a sustentabilidade e para sanar problemas com relação a energia e ao meio ambiente.

Energia solar - energia solar no japão

Carro movido a energia solar

Até o final do ano de 2004, o Japão foi um dos países líderes a ocupar o primeiro lugar na introdução da energia solar mundial. Em 2009 o Japão foi o terceiro país do mundo em capacidade elétrica solar e o governo reimplantou um sistema de subvenções para a geração de energia solar, e isso fez aumentar o faturamento das células solares no mercado interior do Japão.

Outras tecnologias foram desenvolvidas para esse fim como novas fontes de energia com células de combustível de hidrogênio usado também no lugar de combustível para automóveis. No ano de 2004 as empresas japonesas desenvolveram um motor elétrico conhecido como ”motor-roda”,

A Toyota fez testes em 2019 com um Prius no Japão. O veículo era coberto por painéis solares. Os painéis eram de 0,03 milímetros no capô, teto e janela traseira, feitas pela Sharp. O sistema consegue recuperar cerca de 56 km de autonomia somente com a energia do sol.

O Prius Prime funciona como um plug-in híbrido, abastecendo as baterias por uma tomada, ao invés de usar o movimento do veículo. No Japão, painéis solares no carro Prius é vendido como opcional, capaz de recuperar somente 6,5 km de autonomia e a recarga é feita somente com o veículo estacionado. O novo sistema é quase sete vezes mais eficiente, gerando cerca de 45 km com o carro parado. Em movimento, gera 56 km de autonomia em conjunto com a regeneração dos freios.

Energia solar - energia solar no japão
Anúncio

Fonte: Portal Solar e Embaixada do Japão no Brasil