O que você NÃO deve fazer no Japão: um guia de como se comportar em terras nipônicas

[ADS] Anúncio

Japão divulga lista com regras do que fazer ou não, além de dar dicas de etiqueta para turistas que chegam ao país.

A cultura oriental sempre chamou a atenção por ter códigos de conduta muito específicos, fazendo com que muitas pessoas buscassem inspiração nessas atitudes para o seu dia a dia. No caso do Japão, a curiosidade é ainda maior, já que se trata de um país relativamente pequeno, com uma grande população e que possui diversas tradições milenares.

Diversos turistas brasileiros visitam o Japão todos os anos, e, para evitar grandes choques culturais, é importante estar bem preparado para lidar com essas diferenças e não desrespeitar os costumes. Em alguns casos, certos comportamentos vão além de desrespeito aos costumes, podendo gerar uma contravenção penal, rendendo multas aos viajantes.

Por isso, a cidade de Kyoto divulgou em seu site oficial algumas dicas voltadas aos turistas que visitam o Japão e não querem cometer gafes (ou crimes), por falta de conhecimento de como as coisas funcionam na região.

Descubra abaixo algumas dessas dicas e saiba como se preparar para visitar a Terra do Sol Nascente.

Recomendamos ler também:

O que não se deve fazer no Japão

De acordo com a lista divulgada no site oficial de Kyoto, o primeiro passo é evitar fumar em público. Além de ser considerado um comportamento desrespeitoso com os demais, fumar em vias públicas pode render uma multa ao viajante, já que se trata de uma contravenção às leis do país.

Ao chamar um táxi, o turista não deve abrir a porta do carro. O correto é esperar que ela se abra sozinha, pois se trata de um mecanismo automático, e, se a pessoa tentar forçar a abertura da porta, esse equipamento pode ser danificado, gerando prejuízos ao motorista.

Outro comportamento que é comum em vários lugares do mundo, mas não é visto com bons olhos pelos japoneses, é o ato de dar gorjetas. Independentemente do tipo de serviço oferecido, não é uma boa maneira de agradecer. Além disso, ao visitar um restaurante ou bar, não se deve entrar com alimentos e bebidas de outros lugares.

Em muitos restaurantes, bares e comércios em geral, é comum que no caixa tenha uma bandeja onde deve ser depositado o dinheiro. Isso porque não é um costume dentro do país que o dinheiro seja entregue em mãos.

Por que os japoneses não recebem gorjetas?

Para os locais que tiverem chão de fibra de bambu entrelaçada (conhecido como “tatami”), é aconselhável tirar os calçados. Isso porque o seu calçado pode levar sujeiras para o ambiente.

Outra contravenção penal, que pode gerar multas bem altas, é jogar lixo nas vias públicas ou em outros lugares proibidos. O ideal é sempre procurar pelas lixeiras e fazer o descarte correto do seu lixo. Também pode render multas dirigir ou andar de bicicleta estando embriagado. Aliás, as bicicletas só devem ser estacionadas em locais autorizados.

Quando estiver em locais públicos, preste atenção para evitar bloquear o caminho, especialmente em calçadas, ruas, escadas rolantes, principalmente se estiver em grupo. Já no transporte público a atenção é a respeito dos assentos, já que todos são prioritários a idosos, gestantes e deficientes. Por isso, não espere alguém chamar a sua atenção para ceder o seu lugar se alguém nessas condições aparecer.

Dentro do transporte público, também não é recomendado utilizar o celular. Se for extremamente necessário, tome cuidado para não incomodar e tente sempre ser o mais silencioso possível.

Os turistas também devem prestar atenção às proibições de fotografias em alguns lugares, especialmente em templos. Nesses locais, também não é permitida a entrada com chapéus e óculos, sendo indicado manter o silêncio.

Na hora de pedir para tirar uma foto com alguém de kimono, o site da Kyoto também orienta a tomar cuidado e respeitar o espaço dessas pessoas.

Kimonoformatura

Dicas para ser bem-vindo ao Japão

O site também elencou algumas dicas para ser um bom hóspede no país. A primeira é levar um “omiyage”, ou presente, para o seu anfitrião, seja se ele for hospedar, receber como visita ou simplesmente para um jantar. Essa regra possui uma exceção: no caso de locais comerciais, como em hotéis, por exemplo.

Também é recomendado evitar olhar fixamente para as pessoas nos olhos, pois este não é um costume no país e pode causar constrangimentos. O mesmo é recomendado para o toque, já que demonstrações como abraços, dar as mãos ou até mesmo beijar podem ser consideradas como desrespeitosas para algumas pessoas, ainda que na cultura brasileira isso seja visto como comum.

Os japoneses são educados ou falsos?

Como programar sua viagem ao Japão

Para aproveitar ainda mais tudo que o país tem a oferecer, é importante programar sua viagem com alguns cuidados. O primeiro diz respeito ao período em que você deseja visitar o Japão, afinal a região tem suas próprias especificidades, como o clima e as festividades. Por isso, se você já tem em mente algo que gostaria de aproveitar, é essencial saber a melhor época para visitar o país.

Escolher o melhor período para visitar o país também é uma forma de conseguir mais economia. Especialmente quando você pode viajar na baixa temporada ou ainda pode optar por adquirir passagens aéreas promocionais de madrugada. Quando você consegue economizar na passagem aérea ou na hospedagem, pode aproveitar o dinheiro que sobrou para fazer outros programas no país ou ainda visitar atrações especiais, sem comprometer seu orçamento da viagem.

Uma outra dica muito importante para quem deseja visitar o Japão é fazer um bom seguro-viagem. Além de ser um fator importante para desembarcar no país, ele é uma forma de fazer sua viagem com mais tranquilidade, principalmente se precisar de atendimento médico ou se alguns imprevistos acontecerem.

O seguro-viagem também pode cobrir despesas com malas extraviadas ou outros problemas que acontecerem, de acordo com a cobertura da apólice.

Também considere se locomover nas cidades com o transporte público, que é de excelente qualidade e possui várias opções para te levar a diferentes regiões, com muita agilidade, segurança, conforto e economia.

Compartilhe Este Artigo: