Jogos

The legend of Zelda – Breath of the Wild – Análise

The legend of Zelda – Breath of the Wild – Análise
Compartilhe nas redes sociais:


Em 3 de março de 2017 foi lançado um dos melhores jogos da franquia The Legend of Zelda, e neste artigo vamos fazer uma análise detalhada do jogo, além de alguns curiosidades e minha experiência pessoal com jogo. O jogo The Legend of Zelda Breath of the Wild  – ゼルダの伝説 ブレス オブ ザ ワイルド (Zeruda no densetsu buresu obu za wairudo) pode ser literalmente traduzido como “O sopro da Natureza” ou como gosto de dizer: bafo selvagem. Começou a ser desenvolvido antes de 2013 e foi lançado para os consoles Nintendo WII U e Nintendo Switch.

O jogo conta a História de Link que acaba despertando 100 anos depois de Ganon retornar e espalhar o Caos dominando as 4 bestas e os guardiões ancestrais. Como sempre, o link precisa salvar Hyrule e a princesa Zelda. Pra fazer isso, ele precisa recuperar as memórias de 100 anos atras, recuperar o controle das 4 bestas e ir em direção ao castelo combater o Ganon.

O jogo apresenta diversas novidades e mudanças em relação as versões anteriores. O mundo é totalmente aberto e você pode decidir o que quer fazer na ordem que quiser, incluindo derrotar Ganon já de início. O jogo possui apenas 4 Dungeons principais que são as bestas, todas possuem um mecanismo controlável e é necessário ativar alguns terminais dentro dela. O destaque do jogo é os milhares de Shrines, uma espécie de mini calabouço onde se consegue orbes que podem ser trocadas por coração e estamina.

São mais de 100 mini calabouços espalhados pelo jogo. Sem falar nos chefões em áreas abertas, e pequenos puzzle, labirintos e missões espalhadas pelo mundo. Vale deixar o destaque para as mais de 900 sementes de korok que precisam ser encontradas resolvendo pequenos puzzle. Outra diferença do jogo é que você pode pegar qualquer arma de qualquer inimigo, porém elas quebram depois de certo uso. Dessa vez o Link é capaz de pular e escalar praticamente qualquer coisa do mundo.

Zelda Breath of the Wild



Zelda Breath of the Wild na mídia

O jogo teve um sucesso absurdo e recebeu nota máxima na maioria das revistas de games. Um grande responsável por impulsionar as vendas de lançamento do Nintendo Switch. Alguns questionaram a nota 9.8 que o jogo recebeu na metacritic. Isso porquê o jogo possui algumas quedas de frame (como a maioria dos jogos). Muitos afirmam que ele recebeu essa nota apenas pelo nome Zelda e a nostalgia.

O nome Zelda teve influência, mas acredito que mesmo se fosse lançado com outro nome, sua nota ia ser alta. Não foram os nomes e muito menos gráficos que fizeram com que diversos indies ganhassem notas altas. Zelda Breath of the Wild foi capaz de ultrapassar até mesmo o pai dos Action RPG: Zelda Ocarina of Time. Mais uma vez Zelda provou que não é necessário 50gb de arquivos ou 4k pra dominar o mercado. Acredito que essa seja a proposta do Nintendo Switch e seu grande apoio indie.

Zelda Breath of the Wild

Minha experiência com Zelda Breath of the Wild

Esse foi sem duvida um dos melhores jogos que joguei na vida. O jogo apresentou todos os principais elementos da franquia, personagens e a épica trilha sonora. Pela primeira vez eu consegui explorar um mundo aberto sem enjoar e com vontade de pegar praticamente tudo. O jogo têm conteúdo suficiente para proporcionar mais de 300 horas de jogos sem nenhum tipo de tédio.

Eu senti vontade de zerar rapidamente o jogo, sabendo que é possível ir diretamente ao castelo do Ganon. Eu até tentei porém esse jogo está muito difícil, diversos monstros matam em apenas um hit, senti uma forte influência de Dark Souls. Antes de atacar Ganon eu tento concluir as 4 bestas, as 12 memórias de Zelda os labirintos, a master sword e o máximo de mini calabouços possíveis. Eu não tenho muito o que descrever, só sei que esse jogo roubou semanas da minha vida e considero o melhor até o momento. The Legend of Zelda Breath of the Wild foi o jogo que evoluiu sem perder a essência.

Curiosidades sobre Zelda Breath of the Wild

Você sabia que o mundo do jogo foi baseado no mapa de Kyoto. Observe abaixo:

Zelda Breath of the Wild

O jogo recebeu diversas referências e inspirações de jogos como Skyrim, The Witcher 3, Assassin’s Creed, Metal Gear, Xenoblade, Dark Souls e diversos outros. Podemos notar referencias ao AC nas torres utilizadas para liberar o mapa e em alguns trajes. Sem falar que a empresa de Xenoblade esteve envolvida no desenvolvimento de Zelda Breath of the Wild.

Eu nem preciso mencionar as referencias dos outros Zelda que os fans já devem ter percebido. E você? O que achou do jogo? Têm alguma opinião, curiosidade para comentar?

Recomendamos também: 

Compartilhe nas redes sociais:

Comentários do site