Vinhos harmonizam com pratos da culinária japonesa? Descubra como

Trazida pelos japoneses durante os períodos de guerras mundiais, a cultura nipônica caiu no gosto dos brasileiros desde então, que têm admiração pelo país e pela cultura japonesa. No mundo dos esportes, por exemplo, o judô sempre foi muito praticado e sido destaque em competições internacionais com o nome do Brasil. Os desenhos animados e o interesse pela língua japonesa também são muito visados pelos brasileiros, e não à toa, a gastronomia se integrou totalmente entre os pratos preferidos de todos os cantos do Brasil.

Você com certeza conhece um apaixonado por comida japonesa, ou é um apaixonado por comida japonesa. Uma das maiores sensações dos brasileiros nos últimos anos, a culinária japonesa tem ganhado cada vez mais espaço no gosto do Brasil, e é comum ver restaurantes abrindo até mesmo em bairros menores. Ainda que, a princípio, várias pessoas sintam medo de experimentar algo cru, como o sushi, aos poucos, quem experimentou (e gostou) sem dúvidas se apaixonou.

Inclusive, a comida japonesa tem sido concorrente direta de uma das mais tradicionais dos brasileiros, que é o churrasco – os rodízios de churrasco tiveram que abrir espaço para os sushis e os sashimis nos buffets dos rodízios, pois passaram a ganhar cada vez mais concorrência com os restaurantes que abriram e também ofertam a opção de rodízio. 

Não só a comida japonesa, como a comida asiática no geral – os yakissobas, por exemplo – também fazem um grande sucesso em terras brasileiras, e não é incomum ver os restaurantes se fundindo para oferecer o sushi, yakissoba e outros pratos nos cardápios.

- vinhos harmonizam com pratos da culinária japonesa? Descubra como

A culinária asiática inserida na cultura brasileira

O território nacional é repleto de diversidade de nacionalidades. Os imigrantes chineses, nipônicos e coreanos chegam ao Brasil desde o século passado – e, principalmente, os japoneses ganham um destaque muito forte na cultura brasileira. Os japoneses vinham ao Brasil assim como os italianos e os poloneses, ou seja, para procurar trabalhos que os trouxessem de volta à dignidade da vida. 

Com muitas famílias desembarcando no Brasil, começou a integração das culturas dos japoneses e dos brasileiros, chamados de gaijin pelos japoneses. 

Lentamente, o povo nipônico começou a introduzir seus hábitos, as crenças religiosas, o estilo de vida e, é claro, a sua comida. Os primeiros alimentos japoneses integrados ao Brasil foram o arroz branco sem tempero (shirogohan), misoshiru com pasta de soja fermentada, acelga, sashimi e outros.

A princípio visto como exóticos, os alimentos lentamente começaram a se fundir ao paladar dos brasileiros, e se tornaram um sucesso com o aumento dos restaurantes japoneses no país. 

Considerada uma ótima opção que foge dos alimentos mais tradicionais, e é de fato mais saudável, a culinária japonesa já faz parte do dia a dia dos brasileiros.

Os vinhos e a culinária asiática

Como não poderia faltar, a cerveja é a principal companheira de quem aprecia um bom sushi. Mas existem outras bebidas que podem ser ótimas companheiras para a culinária japonesa, superando inclusive a queridíssima cerveja. Os vinhos também podem ser ótimos acompanhantes da culinária asiática – pode parecer difícil, mas é possível fazer harmonizações perfeitas. 

No gosto dos brasileiros, o vinho também é muito bem-vindo, especialmente quando acompanhado de refeições especiais e dias de comemoração. A harmonização de refeições com vinho já é algo bastante procurado no Brasil, e a procura para buscar novos acompanhantes perfeitos para a culinária asiática já tem sido frequente.

Tradicionalmente, os alimentos como o wasabi, o shoyu e até o gengibre podem dificultar um pouco as coisas, já que são alimentos com um sabor forte e bastante marcado. Mas nada é impossível no mundo da harmonização dos vinhos. Confira a seguir algumas dicas de como equilibrar o sabor da comida oriental com vinhos.

Os leves para os leves

Como regra básica da harmonização de vinhos e da culinária no geral, os alimentos leves também pedem bebidas leves – e, no geral, a comida japonesa é leve e com bastante sutileza de sabores, com exceção dos citados acima. 

Os sushis e os sashimis, que são os principais pratos da culinária festiva japonesa, vão muito bem com vinhos mais leves como os espumantes mais delicados ou vinhos rosés. Desta maneira, o vinho não competirá com o sabor mais discreto dos peixes. 

Os moluscos, como as ostras, o camarão, o polvo e a lula, também pedem vinhos mais suaves. Nestes casos, vale também experimentar vinhos verdes, e para quem optar pelo rosé, também é uma boa opção harmonizá-los com peixes de carne um pouco mais escura como o atum. 

Dicas e regras para quem vai beber no japão

Peixes mais gordurosos pedem vinhos brancos

Alguns pratos da culinária japonesa tendem a oferecer peixes mais gordurosos ou receitas que são puxadas para a fritura, ou mesmo que são mais cremosas. Os tempurás, os guiozas e os rolinhos primavera são alguns exemplos destes tipos de pratos. 

Nesses casos, o ideal é investir em um vinho que seja mais ácido, e os vinhos brancos são a escolha certeira. O Sauvignon Blanc, por exemplo, é uma ótima dica para harmonizar com estes pratos, pois ele dá mais equilíbrio no paladar e pode diminuir o gosto de gordura. Além deste, também é possível investir em um Chardonnay, que é um vinho mais encorpado e que vai muito bem com robatayaki e missoyaki – perfeito para quem quer sabores bem definidos.

Dicas e regras para quem vai beber no japão

Pratos quentes e vinhos tintos

Os vinhos tintos, apesar de ficarem meio apagados na harmonização com a culinária japonesa, ainda assim encontram espaço. Ainda que sejam vinhos mais fortes, existem alguns tipos de tinto que garantem mais leveza, como o Pinot Noir e o vinho Malbec

Estas são escolhas ideais para harmonizar com pratos quentes, como o yakissoba, lámens com carne de porco, grelhados de carne ou até mesmo katsu curries. Os cogumelos, como shitake e shimeji, também entram no rol dos alimentos que combinam perfeitamente com vinhos tintos, principalmente os cogumelos escuros. Os cogumelos mais clarinhos vão bem com tintos mais leves.

O vinho tinto, nesses casos, dá mais acidez aos pratos e equilibra a complexidade dos sabores na boca. São, sem dúvidas, ótimas opções para os dias mais frios.

Compartilhe Este Artigo:


Deixe um comentário