Viagem ao Japão – Minha experiência em Akihabara

, , ,
Post by //



[Total: 0 Nota: 0]

O sonho de muitos principalmente dos otakus é conhecer o bairro de Akihabara (秋葉原) o maior centro eletrônico e otaku do mundo. Carinhosamente apelidado de Akiba, esse bairro localizado no centro de Tokyo em Chiyoda, é conhecido por ser o maior centro de vendas de games, computadores, eletrônicos e produtos relacionados a animes e mangas.

Durante a minha viagem ao Japão em outubro de 2016 eu tive a oportunidade de ficar 2 semanas hospedado nesse bairro e neste artigo gostaria de contar toda minha experiência pra vocês. Quero adiantar falando que se você imagina Akihabara um bairro cheio de pessoas fantasiadas de personagens de anime, você vai se decepcionar!



Chegando em Akihabara

Foi por volta das 7 da noite eu cheguei na estação de Akihabara em direção ao meu hotel e peguei o caminho oposto, vendo pela primeira vez como é esse bairro. Apenas vi lojas e garotas colegiais e maids na rua. Percebi que eu estava indo pro lado errado e voltei atravessando uma avenida de destaque que tem próximo a estação que separa Akiba do bairro onde estava meu Hotel.

Era verão, eu acabei pegando chuva, cheguei a meu Hotel (GRIDS HOSTEL AKIHABARA) todo molhado, e fui atendido muito bem com uma toalha. Todos os dias de manhã ao sair do meu Hostel eu comprava uma vitamina ou bebida na maquina de vendas e ia em direção ao bairro de Akihabara e costumava comprar um nikuman no konbini ou ir à padaria que tinha ao lado da estação chama de Vie de France.

Lembro-me que próximo dessa padaria ficava uma farmácia e também a maior loja de eletrônicos de Akihabara a Yodobashi Kamera. Era um bairro, não tinha muito o que fazer além de andar nas lojas de anime e se assustar com os preços das camisas que ultrapassam 6.000 ienes. Tinha um prédio de 7 andares que eu gostava de subir que era cheio de lojas, se não me engano, é o da rádio NHK.



Experiencias em Akihabara

Durante minha estadia em Tokyo, praticamente todos os dias andava pelo bairro de akihabara. Em alguns momentos me reuni com a turma do Programa Japonês Online para andar pelo bairro. Lembro-me que alguns desconhecidos nos abordaram convidando para jantar em um restaurante localizado em um prédio.

Não caia nessa, esses caçadores de estrangeiros prometem uma refeição boa e barata, mas depois acabam cobrando preços absurdos. Já sabíamos disso, somos espertos, mas foi difícil acabar com a insistência deles. Outro dia uma mulher me chamou para loja dela e acabou fazendo eu comprar 2.000 ienes de lembrancinhas que não valiam nem 500. Burrice minha, já que fui bem tratado e não consigo recusar as coisas.

Minha estadia em Akihabara não foi interessante como as pessoas imaginam. Eu não fui em nenhuma festa noturna, nem conhecia pessoas para me ajudar a explorar o local. O máximo que fiz foi ir em um Maid Cafe com um amigo da turma do Programa Japonês Online. Foi uma experiência interessante, porém, cara. Você pode acompanhar mais em nosso artigo sobre Maid Cafe.

Minha maior decepção foi não ter encontrado absolutamente ninguém de cosplay. Fiquei mais de 10 dias andando por todo bairro e o máximo que encontrei foi maids e cosplayers de idols em um evento na loja da Sega. Recomendo que visite esse bairro com alguém fluente em japonês e que conheça o local para você ter uma experiência mais frenética.

Você já visitou o bairro de Akihabara? Conte-nos sua experiencia nos comentários e compartilhe com os amigos.

Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:

1 comentário sobre “Viagem ao Japão – Minha experiência em Akihabara

  1. Estive em Akihabara em 1986. Uma região muito agitada na venda de eletrônicos e lançamentos desses produtos. Estava procurando uma câmera fotográfica moderna (Na época) – Canon – Precisei pechinchar muito…coisas que não era muito bem vista, mas eu era estrangeiro, e nem me preocupei com isso, queria mesmo era pagar menos. Depois fiquei sabendo que era mais barato comprar em Hong Kong, aliás o que faziam muitos japoneses que saiam de férias.

Comentários do site