Sukeban – As gangues das meninas japonesas

,
Post by //

Já ouviu falar das Sukeban [スケバン|女番], as gangues de meninas delinquentes japonesas? Para ser mais exato este termo se refere a líder desse grupo. Esses grupos eram muito populares no século passado. Hoje elas estão praticamente extintas.

Esse termo foi usado pela primeira vez no final dos anos 60. Na Yakuza e em outras gangues do Japão, quase não se permitia a participação de mulheres. Isso levou com que elas criassem as suas próprias. Atualmente as Sukeban, atuam mais como um estereótipo ou moda entre os jovens. Mas antigamente não era só isso.

Um escritor chamado Jake Adelstein, especialista em crimes no Japão comenta sobre o surgimento das Sukebans. Ele diz que por causa da cultura dominada por homens no Japão, as mulheres  tentavam buscar seu espaço. O mundo falava de feminismo e libertação, o que pode ter levado essas mulheres a se sentirem também no direito de se rebelarem como as gangues de homens. Vamos conhecer mais as Sukebans nesse artigo.

Sukeban - As gangues das meninas japonesas

O estilo de vida Sukeban

Diferente das outras gangues ( em sua maioria com integrantes masculinos) que cometiam crimes, e promoviam brigas entre grupos rivais, as Sukeban eram diferentes. Elas mantinham e cumpriam um código de justiça organizado e severo. Cada grupo de garotas tinham um hierarquia e seus próprios meios punitivos. Essas garotas tinham valores morais e se mantinha bem firmes a eles.

No geral, elas eram indicadas por terem os cabelos pintados ou algum penteado brilhante e diferente. E a maioria sempre usava seus uniformes escolares na maior parte do tempo. Roupas provocantes e muita maquiagem era desaprovados. A principio, as gangues começaram com pequenos grupos de garotas, entrando com facas e cigarros nas escolas. Mas, logo cresceram em numero e em nível de criminalidade. Os grupos variam entre 50 a 80 garotas. Todavia, certo grupo conhecido como Aliança das Mulheres delinquentes de Kanto dizia ter cerca de 20 mil membros.

O fenômeno Sukeban atingiu seu ápice na década de 70, junto com o surgimento do mais temível Sukeban. Esse grupo chamava K-Ko the Razor, vindo de Saitama, Tóquio. Esse nome faz referencia a arma que eles usavam, uma navalha de cortar gargantas. Elas a enrolavam em um pano e a colocavam entre seus seios. Nenhum outro grupo foi mais reconhecido que esse. Alcançando até mesmo o status de lenda urbana.

Sukeban - As gangues das meninas japonesas

Regras, punições e fama

Entre os grupos de Sukeban existiam muitas regras. E, quebrar essas regras não era nada bom, podendo resultar no ” linchamento“. O linchamento envolvia vários graus de punição diferente. Começando desde um punição “leve” como aplicar um cigarro na pele nua. Indo a aplicar o cigarro aceso nas partes intimas, considerado como punição “media”.

As causas para essas punições são numerosas e distintas, variando de gangue a gangue. Essas podem incluir mostrar desrespeito aos membros mais antigos. Conversar com inimigos e ser pego com drogas também eram validas para punição. Mas a causa mais comum para linchamento era por mexer com o sexo oposto.

Trair um namorado certamente causaria um linchamento. Essas garotas agiam e pareciam mais velhas do que realmente eram. Outro fato surpreendente é que elas eram super conservadoras quando se tratava de namoro, romance e sexo. Mas, com o passar do tempo, as gangues foram diminuindo, e as participantes se integrando a sociedade.

Mesmo assim, desde então, a mídia se aproveitou muito bem disso. Diversos filmes, animes, mangás e até jogos foram criadas em torno das Sukebans. Até hoje se nota vestígios e influencias delas na cultura pop e na vida cotidiana japonesa.

[Total: 5 Nota: 4.4]
Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:


3 comentários sobre “Sukeban – As gangues das meninas japonesas

  1. Sempre muito bons artigos sobre diversas vertentes da cultura japonesa!

Comentários do site