Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

, ESCRITO POR


Hoje vamos ver algumas generalizações e estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam dos brasileiros e outras nacionalidades. Será que os japoneses são preconceituosos ou o contrário?

Muitos questionam o fato de japoneses serem racistas, preconceituosos ou xenofóbicos, porém não possuem argumentos. Muitos acabam taxando os japoneses de preconceituosos apenas pela sua timidez e dificuldade de socializar.

O que as pessoas sempre esquecem é que o preconceito e racismo se encontra no mundo inteiro. As pessoas que taxam os japoneses de preconceituosos estão apenas provando que eles mesmos são preconceituosos.

Neste artigo vamos mostrar alguns pontos que mostram o preconceito que os japoneses enfrentam no Brasil e no mundo inteiro, mostrando assim que o erro está exatamente do lado oposto.

Sumário do Artigo
- Japoneses só gostam de orientais? 
- Órgão Genital Masculino e corpo das japonesas
- Gritar palavras aleatórias que não existem
- Sem respeito a nacionalidade, todos iguais
- Não conhecem a culinária, só pensam em sushi
- Pastel de Flango - Não falam o R
- Suposições erradas - Vou inventar coisas

A ideia de que japoneses só gostam de orientais

Alguns acham que os japoneses gostam de se relacionar apenas com asiáticos. Criam uma ideia de que japoneses querem apenas uma raça pura e ter amizade apenas com japoneses. Uma ideia totalmente errada, que resulta em diversas situações constrangedoras e causa a ideia de que japoneses são racistas.

Muitos japoneses não se relacionam com ocidentais por causa da timidez, e as vezes a introversão dos ocidentais podem assustar alguns japoneses. Ainda assim, esse julgamento é um erro completo, japoneses gostam de conhecer pessoas e expandir seu circulo de amizade.

Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

Como esse mito surgiu? Infelizmente os japoneses sofreram muito preconceito dos brasileiros depois da segunda guerra mundial, por isso muitos descendentes que moram no Brasil ficaram de cara fechada.

Com certeza devem existir aquelas famílias tradicionalistas e nacionalistas. Só que muitos orientais sonham em casar com ocidentais, alguns focam totalmente nisso, principalmente as gaijin hunter.

Obsessão pelo corpo e órgão genital dos japoneses



Infelizmente, alguns fazem piadas e críticas com respeito a altura, ao órgão genital masculino ou o tamanho do corpo ou dos seios das japonesas. Considero uma grande ofensa e falta de respeito!

Não é nenhuma competição de tamanho. Falar de um assunto tão inútil só mostra o tanto de merda que as pessoas têm na cabeça.  Eu mesmo prefiro mil vezes os corpos das japonesas, do que essas toneladas de gordura presente no ocidente.

Na verdade, eu até escrevi um artigo que mostra que os seios das japonesas são grandes e proporcionais ao tamanho do corpo delas. Aqueles que zoam, fazem piadas ou se importam com coisas assim são pessoas tão vazias.

Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

Gritar palavras aleatórias ou que não existem

Se você considera dizer: takakara nomuro uma brincadeira, você está sendo insensível. Pessoas infelizmente zombam do idioma oriental, falam palavras aleatórias tipo arigatou apenas como zombaria.

Outros chamam o idioma de esquisito, feio e colocam uma dificuldade que não existe. Eu pessoalmente estou cansado de estudar o idioma, e as pessoas ignorantes chegarem com brincadeiras e criticas.

As pessoas simplesmente não fazem ideia do quão rico o idioma japonês pode ser. Por perderem tempo com essas piadinhas que muitos brasileiros não conseguem aprender nem se quer inglês.

Sem respeito a Nacionalidade, são todos olhos puxados



Primeiramente os japoneses enxergam perfeitamente bem, e até melhor, visto que os olhos puxados servem de proteção a radiação ultravioleta refletida pela neve.

Mandar o japonês abrir os olhos, ou categoriza os asiáticos, trocar nacionalidade por serem parecidos, são atitudes degradantes e pura inveja da beleza dos olhos puxados. Acha bom mandar brasileiro deixar de ser bandido?

Na realidade a dificuldade que brasileiros tem de diferenciar japoneses, acontece também ao contrário. Orientais tem dificuldades de diferenciar ocidentais, isso acontece por causa de um bug no cérebro pela falta de convivência com certas características raciais.

Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam

Vocês comem aquelas comidas esquisitas? só comem sushi?

Outro problema é a ignorância de achar que japoneses comem insetos, cachorro e outras coisas que se consideram nojentas, ou imaginam que sushi é um prato diário no Japão.

Na verdade, comer sushi no Japão é a mesma coisa de comer Pizza no Brasil, você come Pizza todos os dias? No Japão se come arroz, carne, macarrão, legumes e verduras como em qualquer lugar. Os japoneses só não costumam comer feijão.

No Japão não se come insetos nem coisas que parecem nojentas aos olhos dos ocidentais, já que é um país rico, enquanto esses países que consomem certas coisas estranhas, na maioria das vezes é devido a pobreza.

Antes de insultar as pessoas devem estudar um pouco. Outra coisa que Infelizmente japoneses têm que aturar são perguntas idiotas como:

  • Você sabe comer de pauzinho né?
  • Na sua casa tem garfo?

Pastel de Flango com catupili



Essa é a famosa frase, e um dos maiores insultos tanto para os chineses como para os japoneses. Primeiramente isso é um insulto ao Idioma chines, mostrando a gama de ignorância das pessoas.

No idioma japonês não existe o “L“, veja o vídeo abaixo mostrando que japoneses na verdade falam PASUTERU DE FURANGO.

não sei nada sobre japoneses, vou inventar coisas

Por ser japonês, as pessoas acham que eles tem que ser super inteligentes, fazer equações matemáticas enormes, construir robôs, tem que ser higiênico, educado… Acham que todos são iguais, e que não há diversidade cultural entre eles.

Junto com os diversos motivos citados acima, japoneses ainda tem que aguentar apelidos como japa, ou com palavras do português que parecem japonesas. Sem citar nas milhares de críticas sobre a cultura e costumes japoneses que eles nem conhecem.

Essas brincadeiras nada mais são do que racismo disfarçado. Dificuldade de aceitar o descendente oriental como um cidadão brasileiro comum. Antes de taxar japoneses de preconceituosos, olhem para seus próprios umbigos.

Esses foram apenas alguns dos fatores que mostram quem realmente sofre discriminação, será os brasileiros ou japoneses? É obvio que todo esse assunto é delicado e relativo.

Por isso antes de tirar conclusões precipitadas também devemos entender um pouco sobre o preconceito dos japoneses em relação aos ocidentais. Comente e Compartilhem se possível, para que as pessoas possam refletir sobre essas atitudes.

Compartilhe Nosso artigo:

80 comentários em “Estereótipos preconceituosos que os japoneses enfrentam”

  1. @Will (Fox) Como foi dentro da instituição de ensino, você deve processar a escola pois é ela a responsável por seu corpo docente e para este fim é preciso recorrer a um(a) advogado(a) para abertura de processo. Caso opte em fazer um boletim de ocorrência, neste caso você terá que acusar o autor do comentário racista por tê-lo constrangido perante seus colegas de sala. Enfim é causa ganha não só por conta das testemunhas e querendo ou não elas serão obrigadas por lei à prestar seu testemunho, mas pelo peso das palavras utilizadas que feriram o seu orgulho, a sua pessoa, se não for por racismo que esta pessoa ou escola serão acusados, será por danos morais. Para ambos os casos este processo pode levar meses para se resolver pois o lado acusado também precisará de tempo para levantar sua defesa.

  2. Sofro racismo, preconceito e discriminação diariamente como qualquer outra pessoa. Porém o que não entendo é o por que de um oriental nascido no Brasil não ser visto como brasileiro e sim como “japonês”, “chinês”, “coreano”. Hoje por exemplo no Senac, ouvi alunos falando que “japoneses são feios” e colegas de sala falando que sou “japonês do paraguai” por não saber fazer origami ou falar a língua japonesa, como se eu fosse obrigado a nascer carregando todos os traços culturais e étnicos dos japoneses nas costas sendo que nasci no Brasil e carrego toda a cultura brasileira com orgulho.
    Há muito comentário desnecessário proferidas por pessoas de diversas classes sociais e isto tem haver com a conscientização da sociedade que o Brasil é um país miscigenado em todos os Estados e que o respeito à estas diferenças físicas e étnicas deve prevalecer, sendo que na prática isto não acontece.
    Realmente há uma onda de racismo, preconceito e discriminação contra os orientais, eu mesmo presencio cenas do tipo: pessoas não sentando ao meu lado, seja em escolas e centros profissionalizantes, quanto no trabalho; pessoas mudando para outra calçada e provocações agressivas vindas de adolescentes ou adultos.
    Só estimo que os brasileiros descendentes de orientais tenham o mesmo respeito que os brancos e negros merecem, os amarelos podem ser minoria no país, porém assim como todos os demais descendentes que lutam para levar uma vida digna e contribuíram para o crescimento do Brasil, nós orientais merecemos o mesmo reconhecimento e respeito.
    Infelizmente quando nós vamos para outro país, somos chamados de “brasileiros”, mas aqui no Brasil somos chamados de “orientais, japoneses, chineses, coreanos,etc” graças a ignorância da sociedade e da mídia brasileira.

  3. Racismo, preconceito, discriminação,sempre existiram em todas as partes do mundo desde o primordio da raça humana.
    Brasileiros contra japoneses e seus descendentes e japoneses e seus descendentes contra brasileiros, cada um depreciando o outro.
    Lembro do pessoal da colônia referindo aos brasileiros chamando de “gaijin” “ketô” “kurochan”, etc…
    No Japão em 2005, ouvi de uma chinesa nascida no Japão, dona de uma banca de jornais e revistas na estação de trem no bairro Ōmori na cidade de Tokyo, de quanto a comunidade chinesa sofre preconceito por serem chineses, quando disse que sou brasileiro descendente de japoneses ela me ajudou alias me ajudou muito em várias coisas no dia dia e todos os dias que passava por lá eu cumprimentava ela .
    Tem alguns Okinawanos no Brasil que não gosta dos japoneses de outras províncias, conheço um nissei que teve que interromper o namoro porque o avô da noiva nao suportava ele por ser descendente de japoneses e não descendente de okinawano, ele depois casou com uma piauiense.
    Com isto estou afirmando que não existe racismo ou preconceito ou discriminação de uma via só ou mão única são sempre de duas vias ou mão dupla .
    Vai na padaria tomar cafezinho, tem aquele café carioca que nada mais é do que acrescentar água no cafezinho, ou lavar o carro só com pano molhado e chamado de carioca também, todos os nordestinos em S.P. sao chamados de baianos, paranaense é barriga verde, mineiro é baiano cansado.
    Fui a Portugal na cidade de Lisboa , também existe racismo contra brasileiros, chineses, etc…
    Na Espanha também , um motorista de táxi um senhor já de idade odiava qualquer palavra em português.
    E na Inglaterra, tive que explicar ao funcionario da imigração porque eu tinha passaporte brasileiro e não japonês .
    Mas nesse mundo tudo isso faz parte .
    Outro problema atual, agenda globalista o do politicamente correto, que na verdade nada mais é do que cercear a liberdade de ideias de opiniões através do discurso de ódio, “nós contra eles”
    Enfim , se querem um mundo melhor pare com discurso de ódio, como alguns comentários que li .
    Querem combater o problema de preconceito racial com outro discurso racista.
    Não se pode subir degrau por degrau de uma escada fazendo discurso de ódio a pretexto de conquistar direitos iguais por mais legitimas que seja !!!
    Pior seria se o objetivo do discurso seja o de receber apoio financeiro através da fundação Ford, Rockefeller, George Soros,ONU , etc…porque eles estão a procura de jovens para juntos somar forças no sentido de destruir o mundo livre e cristã. Assim como as diversas Ongs, tais como feministas que querem legalizar aborto , negros que são racistas tanto quanto os supremacistas brancos aliás no Brasil já tem movimentos negros que odeiam casamentos interraciaias, islamicos que odeiam judeus e cristãos, os movimentos gaysistas que querem o fim dos heteros, os esquerdistas que querem destruir o capitalismo.
    Como escreveu Antônio Gramsci durante a sua prisão , infiltrar nas mais diversas áreas da sociedade e criar discursos de ódios contra todos e contra tudo apoiando movimentos que farão a implosão dessa sociedade sem precisar de armas de fogos e nem de espadas, e assim implantar o regime que eles tanto almeja !!!
    Digo apenas “Cuidado com discurso de ódio !”

  4. Cara Bruna, você escolheu o post errado para cuspir os seus argumentos feministas. Você não é oriental, não sabe o que nós passamos no dia a dia, sendo alvo de preconceito e racismo. Suas falácias não tem fundamento algum, pois você falar da China sendo que aqui no Brasil a população sofre abusos ainda maiores para levar uma vida digna e não me refiro às pessoas da classe média alta, me refiro aos pobre da classe média baixa que são forçados a encarar jornadas de trabalho terríveis para ganhar algumas migalhas para sobreviver, a crise do governo ptista que destruiu todo o país e sua economia tirando o ganha pão de milhões de famílias. Agora vir aqui numa postagem para conscientização da população brasileira quanto à discriminação e racismo praticada contra orientais, para falar de assuntos feministas, só pode ser louca varrida, procure o post adequado para você colocar o seu exemplo sobre o assédio que as mulheres sofrem e não use isto de forma acéfala para comparar com o preconceito e racismo sofrido pelos orientais no Brasil. Ridículo seu comentário e totalmente desnecessário.

  5. Fico surpreso de ao ler comentários esdrúxulos de algumas pessoas preconceituosas que ainda tem a ousadia de vir justificar as piadinhas, ofensas, etc contra os orientais. Quando a pessoa é ignorante é fácil julgar o livro pela capa mas é difícil ela se por no lugar da pessoa que ela julgou, pois vale aquela lei dos medíocres “foda-se”. A boca é uma das maiores razões para o excesso de violência no Brasil, e as pessoas parecem não se importar com o teor de seus comentários, simplesmente destilam o seu veneno justificando a facilidade da internet e das redes sociais na divulgação de conteúdo “humorístico com teor racista”. A sociedade brasileira não aprendeu até 2018 a respeitar as diferenças étnicas, físicas, e socioculturais de cada indivíduo. Defende-se a cultura da “zoação” como uma coisa comum entre os brasileiros e os orientais que são a minoria tem o “DEVER” de aceitarem quietos tais dizeres. Mas não somos obrigados, ninguém é. O que falta no Brasil e em todo o planeta é a educação, o respeito as diferenças étnicas, físicas e culturais de cada pessoa. Um dos temas de maior discussão nos últimos anos é o direito lgbt, do qual os gays defendem o direito de utilizar os vagões exclusivos só para mulheres, assim como o uso do banheiro feminino sendo que não são mulheres de fato, e até no esporte estão querendo tomar o lugar de muitas atletas femininas. Um detalhe que a Bruna e outras pessoas que foram infelizes em suas alegações, é que o teor discriminatório e racista é mais forte com os orientais do sexo masculino, pois as mulheres são mais aceitas porem recebem o mesmo tipo de tratamento com relação as piadas e comentários de cunho racista. E na realidade é legal ler as opiniões de pessoas de outras descendências pois grande maioria aprecia a cultura oriental e gostam dos orientais, e são a minoria que nos detestam. E são esta minoria que disseminam tanto ódio e fazem piadas como “pastel de flango” se tornarem normais pois nós orientais ouvimos calados ou rimos sem graça, então a sociedade pensa que é normal e esta tudo bem zoar dos orientais. É muito comum os orientais ouvirem comentários que somos gays ou que não sabemos cortejar as mulheres, palavras infames e totalmente erradas, só pela fisionomia do homem oriental ser diferente do homem ocidental, não quer dizer que sejamos gays, ou por sermos orientais não termos a capacidade de realizar uma mulher e isto não tem nem haver com o “tamanho do equipamento” que é o que grande parte dos ignorantes falam, inclusive mulheres que acabam por rejeitar quaisquer aproximação de um oriental mesmo para amizade. É muito facil alegar que os orientais são reservados e frios por natureza, sem levar em consideração o grau de destruição que o assédio moral de uma sociedade pode afetar uma pessoa. E Bruna conheço muito bem a história do regime de escravidão dos cidadão chineses nas multinacionais na China, sei como a Nike, Sony entre outras empresas exploram a mão de obra barata neste país, porém mesmo com esta exploração do trabalho humano, que é um mal comum em países de regime comunista, muitas empresas tem visto a China com bons olhos assim como este país medíocre viu potencial de crescimento e abriu as portas ao mundo. E hoje é uma das grandes potências sim ao lado da Coréia do Sul, Japão, Estados Unidos, União Européia, etc No mais não me baseio nos estudos e/ou dizeres de outras pessoas para formular o meu comentário, digo o que vivo e tenho que suportar no dia-a-dia, se pra algumas pessoas da minoria ignorante a cultura da zoação é normal pra mim é bem anormal e um dos maiores motivos para a violência exacerbada que temos no Brasil. E apesar de toda esta ignorância da minoria ignorante que com ajuda da mídia espalham este racismo e discriminação contra os orientais no país, ainda há uma grande maioria que amam e apreciam os orientais assim como nós orientais brasileiros amamos os brasileiros de outras descendências, pois somos um país miscigenado e poderiamos ser exemplo ao mundo se o respeito as diferenças fosse prioridade.

Comentários do site