Olímpiadas de Inverno: Saiba porque o Japão não enviou sua delegação governamental

O Japão decidiu não enviar sua delegação ornamental para as Olimpíadas de Inverno para Pequim, em fevereiro de 2022. Muitos acreditam que essa decisão pode acabar por comprometer a tensão de seu relacionamento já conturbado com a China.

Mas os Jogos de Inverno, embora tenham ganhado bastante espaço nos últimos anos por causa da globalização, se popularizaram bastante no Brasil e essa atitude chegou a confundir diversas pessoas, fazendo com que não entendessem o motivo.

Com isso em mente, o texto de hoje abordará os motivos do porque o Japão tomou essa decisão, o que são os Jogos de Inverno e como isso pode afetar essa relação, podendo comprometer até decisões políticas e econômicas, prejudicando até mesmo o comerciante de vestimenta de segurança.

Entenda mais sobre as Olímpiadas de Inverno

Os Jogos de Inverno se tornaram uma ótima atração para as pessoas ao redor do mundo através dos anos, tanto por terem esportes que são considerados diferenciados quanto por preencherem uma lacuna que as Olimpíadas deixam.

Enquanto as pessoas assistem novas modalidades de esportes, que junta muitos entusiastas ao redor do mundo, conseguem tanto ver como é o investimento em esporte, como os atletas se esforçam para que isso funcione, além de torcer para suas preferências.

Assim como acontece com a automação para empresas, os Jogos Olímpicos também podem ser patrocinados por diversas marcas, fazendo com que sejam muito esperados, acontecendo a cada 4 anos no intervalo dos Jogos Olímpicos de Verão.

Inclusive, existem algumas modalidades como o conhecido Curling, Hóquei no gelo, Biathlon, diversos estilos de Esqui, como o estilo livre, alpino e Cross-Country, assim como a esperada patinação de velocidade sobre o gelo.

Porém, tudo isso pode ser comprometido pelo boicote promovido pelos Estados Unidos em decorrência com a forma que a China se preocupa com os Direitos Humanos, afinal, seja uma empresa de engenharia de avaliações ou um país, todos eles têm de ser respeitados.

Embora isso tenha acontecido, o Japão ainda não havia decidido aderir ou não ao boicote diplomático, deixando uma dúvida entre muitas pessoas: a nação iria ou não aceitar e agir a favor dos Estados Unidos nesse boicote?

Para saber mais sobre o assunto, os tópicos a seguir expressarão um pouco melhor sobre toda essa situação, o motivo pelo qual o Japão decidiu não enviar sua delegação governamental e contextualizar melhor sobre essa crise entre Japão, China e EUA.

Sem mais delongas, confira!

A crise diplomática: saiba mais sobre o tema

É um senso comum que todas as relações do mundo precisam de certa diplomacia. Uma empresa de serviços em TI precisa ser diplomática com seus parceiros e clientes para conseguir atingir seus objetivos. Quando pensamos em um país, não é diferente.

Por se tratar do bem-estar, boa relação e maneiras de agir entre duas nações, essa diplomacia deve ser levada ainda mais a sério, pois os resultados dela podem afetar tanto questões políticas quanto econômicas, atingindo pessoas dentro dos respectivos países.

É de conhecimento mundial que a forma como a China lidera seu país é questionável, privando seus habitantes de diversas coisas e impondo sua autoridade, privando a liberdade de muitos, prejudicando desde pessoas comuns até empresas que prestam serviços de laudo ergonômico.

E, quando se pensa nas pautas dos Direitos Humanos, alguns dos pilares que movimentam a organização são:

  • Dignidade;
  • Igualdade;
  • Liberdade;
  • Justiça.

Ou seja, em qualquer situação, tais pilares devem ser respeitados e colocados em prática, para que todo e qualquer ser humano seja tratado como igual. E por diversas situações e casos, a China não respeitou esses pilares.

Por esses e muitos outros motivos, diversas nações ao redor do mundo ficam com o pé atrás quando o assunto é a China e como ela priva a liberdade de seus habitantes. E os Estados Unidos é um dos principais que, junto ao Japão, se incomodam com isso.

Isso reflete também no modelo econômico do país. Se até mesmo uma pessoa comum não pode nem ao menos comprar uma caixa de passagem sem ter sua liberdade privada, isso tende a criar diversos problemas políticos internos.

Principalmente quando se sabe que os Estados Unidos e a China possuem uma forte ligação econômica, possuindo diversos importadores e exportadores entre si dos mais variados materiais e tecnologia.

O posicionamento do Japão

Com tantas questões sociais, econômicas e políticas que estão acontecendo, os Estados Unidos estava coordenando um boicote diplomático para os Jogos de Inverno em Pequim no ano de 2022, e muitos se perguntaram qual seria a posição do Japão em tudo isso.

Uma empresa de cabeamento optico, por exemplo, precisa tomar decisões que muitas vezes são difíceis e podem impactar tanto em futuros relacionamentos quanto em diplomacia e na própria saúde da marca. E novamente, com nações não é diferente.

As decisões que os líderes de um país devem tomar afetam e muito a forma como as pessoas dentro dele vivem, se comportam e como a sociedade e economia, assim como as questões políticas se desenvolvem.

Por isso, visando manter o bom relacionamento com a China, apesar dos pesares, e priorizar essa relação que pode envolver até mesmo como uma chapa expandida é comercializada entre as nações, o Japão decidiu encontrar um meio termo.

Apesar da cidade de Tóquio não enviar uma delegação governamental para Pequim nos Jogos de Inverno de 2022, através de um pronunciamento, foi decidido enviar outras autoridades envolvidas com as Olimpíadas.

Ou seja, apesar de não ser de fato toda uma delegação com as pessoas mais importantes do país, ainda serão enviados figuras de certa relevância para o Japão e que irão representá-los dentro da China, procurando promover uma boa relação entre as nações.

E isso engloba não só a comissão de Jogos de Inverno, mas também das paraolimpíadas. Uma das autoridades que irá se dirigir para Pequim é Seiko Hashimoto, a diretora do comitê organizacional dos Jogos Olímpicos que aconteceram em Tóquio no ano de 2020.

Apesar disso tudo, não significa que o Japão concorde com o que a China está fazendo. A decisão foi tomada como forma de ainda não extinguir a boa relação com a nação, visando sempre promover o diálogo 

Em contrapartida, a China também não ficou para trás e buscou melhorar sua relação com o Japão, entendendo o motivo e a posição da nação. Portanto, para garantir que esse elo continuaria intacto, a China tomou uma atitude.

Em Pequim, Zhao Lijian, que foi uma espécie de porta-voz da China, representando o Ministérios das Relações Exteriores, deu as boas-vindas aos colegas e aos representantes do Japão que tomaram iniciativa e, mesmo apesar de não concordarem, optaram por manter o bom relacionamento com a nação.

Porém, apesar de todo esse posicionamento, a China tomou uma atitude muito parecida, e não enviou sua delegação governamental para os Jogos Olímpicos de Verão de Tóquio. Em outras palavras, tomou as mesmas atitudes que o Japão.

Nesse caso, ela também enviou uma delegação esportiva comandada por uma pessoa que representa muito dentro do país, que nesse caso era o chefe do bureau esportivo. Parece que esse tipo de situação se manterá por um tempo.

Dessa forma, podemos dizer que ambas as nações, apesar de suas diferenças, conseguiram encontrar um senso em comum para garantir que a diplomacia fosse estabelecida e que ambas não fossem tão afetadas quanto a relação de outros países.

Não se sabe exatamente como permanecerá ou acontecerá o relacionamento entre China e Estados Unidos, além de outras nações que adotaram o boicote, mas é importante tentar entender como o elo e a diplomacia entre ambas continuará.

Embora muitos pensem que nada tem relação a isso, é sempre necessário entender como andam essas pontes diplomáticas do mundo, pois de uma forma ou de outra, isso pode acabar reverberando em países através da economia e da política.

Considerações finais

O texto de hoje abordou o que são os Jogos de Inverno e como eles são diferentes, em qual período ele acontece e como isso pode impactar nas relações e diplomacia entre outras nações, como o próprio Estados Unidos, China e o Japão.

Agora que sabemos o real motivo do porque o Japão não enviou sua delegação governamental para os jogos, é bom para refletir como isso pode impactar na economia e política das nações.

Afinal, muitas pessoas dependem disso e é através de algumas brigas e atritos como esses que as coisas podem melhorar ou piorar.

Utilize esse texto como guia e fique atento às notícias. Os Jogos de Inverno irão acontecer durante o período de Fevereiro de 2022. É uma ótima chance para acompanhar um pouco sobre o mundo e se divertir com modalidades de esportes bem diferentes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe Este Artigo: