Experiência com MOFA – Bolsa no Japão

, ,
Post by //



[Total: 0 Nota: 0]

MOFA significa literalmente Ministry of Foreign Affairs (Gaimusho 外務省) que traduzido fica Ministério das Relações Exteriores. O nome já é autoexplicativo, o objetivo do MOFA é ampliar a relação de estrangeiros com Japão através de pesquisas, bolsas e estudos envolvendo politica e cultura internacional.

Neste artigo vamos ver a experiência de Kátia Kishi de 27 anos, uma jornalista especializada em ciência e mestra em divulgação científica e cultural pela UNICAMP. Ela me pediu para compartilhar a experiência com a bolsa que ela recebeu no início deste ano chamado de Programa de Convite ao Japão para Descendentes das Américas Latina e do Caribe”.

Lembrando que existem outros programas e bolsas de estudo para todos, não apenas para descendentes…

O objetivo desse programa oferecido integralmente em inglês é aumentar a compreensão do Japão e suas políticas nos países com maiores comunidades nikkeis, utilizando como ponte de diálogo os jovens descendentes engajados nas atividades nipo-brasileiras para disseminar o aprendizado em suas regiões.

Os bolsistas não tiveram custos com a viagem, mas, em contrapartida, devem divulgar os aprendizados amplamente. A Kátia Kishi também tem um canal no youtube onde conta alguns detalhes desse programa em vídeo:



Uma luta pela cultura japonesa

A visão geral que muitos brasileiros têm sobre o Japão se restringe ao que mais se popularizou no exterior, como as comidas exóticas, as animações de sucesso ou traços culturais que, muitas vezes, ficam restritos apenas ao passado. Porém, como todo país, o Japão tem mais a oferecer e isso é o que foram descobrir 10 jovens da América Latina e Caribe no início do ano através do programa mencionado no começo do artigo.

O “Programa de Convite ao Japão para Descendentes das Américas Latina e do Caribe” de 2018 foi o mais concorrido de todos, em especial na região atendida pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo, onde se concentra a maior comunidade nikkei (descendente de japoneses) fora do Japão.

Kátia Kishi foi aprovada depois de sua sexta tentativa no mesmo edital para se juntar a uma delegação formada por outros quatro brasileiros (de São Paulo, Londrina, Belém e Recife), uma peruana, um boliviano, uma argentina, uma dominicana e um mexicano para sete dias intensos de compromissos diplomáticos, culturais e tecnológicos no Japão, principalmente em Tóquio e Fukushima.



Os grandes privilégios do Programa

Entre as atividades, incluem-se diversas visitas com altas autoridades políticas e representativas do Japão, como a recepção do príncipe Akishino e da princesa Kiko na residência oficial da Família Imperial Japonesa. Também se destaca a reunião exclusiva dos brasileiros com o embaixador André Aranha Corrêa Lago e sua equipe que debaterem os desafios da embaixada brasileira no Japão.

Entre as atividades culturais e futurísticas, os jovens nikkeis também conheceram a cidade inteligente “Kashiwa-no-ha”, localizada em Chiba e que oferece espaços com tecnologias sustentáveis para integração da comunidade em forma de trabalho, comércio e atividades físicas para todas faixas etárias.

Em outro momento, também foram desbravar a história nipônica no Museu da Migração Japonesa da JICA (Japan International Cooperation Agency) em Yokohama, local que além da exposição mantém uma biblioteca com registro de todos migrantes, o que permitiu o resgate da história familiar de cada bolsista.

Em Tokyo, os bolsistas ainda visitaram os estádios em construção e o escritório dos jogos olímpicos e paralímpicos de 2020, os assessores explicaram as campanhas para engajar os japoneses nos Jogos, tendo como exemplos a votação nacional entre as crianças sobre quais deveriam ser as mascotes e o desenvolvimento de medalhas com material reciclado.

Durante a viagem à província de Fukushima, tiveram a oportunidade de conhecer e presentear o governador Masao Uchibori, que explicou os esforços de reconstrução da província.

O contato com os vilarejos de Fukushima, moradores e proprietários de uma tradicional pousada japonesa com águas termais, onde os bolsistas se hospedaram, também foi importante para aprenderem sobre a província com a boa receptividade japonesa e o tradicional saquê local, que ganhou pela 5ª vez como o melhor de todo o Japão.



Os problemas debatidos no Programa

Durante o debate sobre os desafios da embaixada brasileira no Japão, um dos maiores problemas relatados se refere à promoção de um melhor desempenho das crianças e jovens brasileiros na escola, sendo necessárias parcerias diretas com cada cidade japonesa que recebe imigrantes brasileiros; as ações se baseiam em estudo conduzido pelo economista da Universidade de Brasília (UnB), Maurício Soares Bugarin e entregue aos bolsistas pela embaixada brasileira.

Ainda sobre os pontos políticos abordados no programa, Kátia Kishi destaca como foi importante para sua experiência pessoal e profissional debater com especialistas como é desenvolvida a diplomacia japonesa para a América Latina, região que o governo japonês vê os nikkeis como pontes para uma boa relação bilateral com o Japão para promoção de novas parcerias, com base na política externa chamada “JUNTOS”, promovida pelo primeiro-ministro Shinzo Abe.

A agenda dos bolsistas estava lotada do início ao fim, com outras visitas de cortesias e debates com especialistas para uma ampla compreensão do Japão atual que vale ser explorada. Agora, de volta ao Brasil, a jornalista busca parcerias para compartilhar essas experiências a fim de mais brasileiros terem contato com esses conhecimentos e experiências sobre política, cultura e atualidade japonesa.

Esse foi o texto que a Kátia Kishi preparou para mim compartilhar com todos os leitores do site, espero que tenham gostado.

 Dia 20 de Abril de 2018 (sexta) às 12h vai acontecer uma palestra gratuita no IEL Unicamp com mais detalhes sobre esse programa do MOFA. No dia 21 de Abril vai acontecer outra no Nipo Campinas as 14hrs

OrganizaçãoSeinenkai do Instituto Cultural Nipo Brasileiro de Campinas, Seinenkai da Association Okinawa Kenjin de Campinas e JCI Campinas

Caso queira entrar em contato com Kátia Kishi para tirar duvidas, segue o E-mail:

Por Favor! Compartilhe Nosso artigo:



2 comentários sobre “Experiência com MOFA – Bolsa no Japão

  1. por só descente pode ir isso tá ficando meio chato

    • Mas essa bolsa é diferente, não é pra estudar é apenas para mestrados da comunidade NIkkei… Tanto que durou menos de um mês… As outras bolsas são para todos.

Comentários do site