Japão / Outros

Um pouco de Japão e suas curiosidades.

Um pouco de Japão e suas curiosidades.

O Japão traz em sua história um exemplo de como é possível dar uma reviravolta drástica na situação de um país. Para se ter uma ideia, basta levar em consideração que a Terra do Sol Nascente passou boa parte de sua história fechada para o comércio com o resto do mundo e com uma espécie de governo feudal, o xogunato (também escrito shogunato).

Foi somente após a abertura comercial dos portos japoneses em 1854 e o restabelecimento do poder centralizado do imperador em 1868 que o país deu início a um período de desenvolvimento econômico e militar, que também levou a práticas expansionistas que o colocaram em conflitos com muitos países, especialmente a China e a Rússia (ou a União Soviética).

Após os bombardeios nucleares em Hiroshima e Nagasaki e o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, o Japão deu início à criação de uma constituição pacifista, que enfatizou práticas democráticas liberais. Desde então, a Terra do Sol Nascente passou por períodos de recuperação e reafirmação, com um amplo crescimento que o levou a hoje ser a terceira maior economia do mundo e um dos países mais avançados tecnologicamente.

Tokyo

Luta contra a natureza

O território japonês é constituído por mais de 6.800 ilhas distintas, sendo as principais a de Hokkaido, Honshu (onde está a capital nacional, Tóquio), Shikoku e Kyushu. Com uma população de mais de 127 milhões de habitantes espalhada por uma área de cerca de 377 mil quilômetros quadrados, o Japão se configura como a 30º nação com maior densidade populacional do mundo, com cerca de 337 pessoas por quilômetro quadrado.

O clima na Terra do Sol Nascente apresenta uma forte diferença entre as quatro estações por conta das influências das massas de ar frias vindas da Sibéria no inverno e as quentes que vêm do Pacífico no verão. Tufões são comuns entre agosto e setembro. Além das variações ao longo do ano, as regiões japonesas também têm variações de temperatura, sendo o Norte a área mais gelada, o Centro ainda um pouco frio e o Sul com tempo mais ameno.

Por ter mais de 70% do seu território coberto por florestas e terreno montanhoso, as planícies costeiras são as áreas mais povoadas do país. O fato de o arquipélago estar situado no Círculo de Fogo do Pacífico faz com que ele tenha mais do que 200 vulcões, 80 dos quais ainda são considerados ativos – incluindo o famoso monte Fuji. Além disso, o posicionamento do território nipônico o torna propício a terremotos, registrando em média 1.500 abalos por ano.

 (Vulcão Kirishima, área de Kagoshima erupção em 2011)

Postura ancestral

Mesmo com todas as dificuldades climáticas e territoriais, o Japão se constituiu como um país próspero, com uma das maiores expectativas de vida e uma grande população de idosos – chegando ao impressionante total de mais de 50 mil pessoas acima dos 100 anos de idade. Ainda assim, os japoneses estão entre os povos com as maiores taxas de suicídio do mundo, sendo a principal causa de morte para os homens nipônicos entre os 20 e os 44 anos.

Famosos por suas regras rígidas de etiqueta, os japoneses possuem o hábito de se apresentarem primeiro pelo seu sobrenome e depois por seu nome próprio, sendo comum se referir a alguém pelo seu sobrenome enquanto não se adquire intimidade. Além disso, costuma-se acrescentar sufixos respeitosos como “san”, “kun” e “sama” na hora de se referir a outra pessoa. Usar o primeiro nome de uma pessoa, especialmente se for omitido o sufixo, é algo reservado para os amigos mais próximos e familiares.

Ao se entrar na casa de um japonês, é comum se deparar com uma elevação de cerca de 15 cm no piso, o que serve de indicação para a necessidade de trocar seus sapatos por um calçado mais apropriado para uso em ambientes fechados. Quando há um piso de tatame, uma elevação adicional de até 5 cm indica o ponto em que é preciso ficar sem calçado algum. Algo curioso para uma cultura tão recatada é o fato do fazer barulho ao comer macarrão ser considerado algo elogioso para os cozinheiros.


(área de Asakusa em Tokyo)

As guloseimas

A alimentação no Japão se transformou muito ao longo dos últimos séculos por conta das várias mudanças políticas e sociais de que falamos acima. A culinária tradicional japonesa tem grandes influências das culturas coreanas e chinesas, mas ela também recebeu alguns aspectos indianos e dos países mais ocidentais.

Um café da manhã comum na Terra do SolNnascente inclui arroz cozido no vapor, sopa de miso, chá verde e uma variedade de pratos adicionais, que podem incluir um mingau de arroz chamado nanakusa-gayu, omeletes enrolados conhecidos como tamagoyaki e o famoso tofu. Além disso, também é possível iniciar o seu dia nipônico comendo ovos, presunto, enguia grelhada, picles, salada, algas secas e natto, como é chamada a soja fermentada.

Os almoços costumam ser compostos por tigelas com vários tipos de macarrão ou arroz, conhecidas como donburi, acompanhadas de peixes, carne ou vegetais. Já na janta, a variedade de alimentos disponíveis é simplesmente enorme, com bolinhos de carne de porco chamados nikuman e frituras e grelhas de carne, aves e peixes de todo tipo, com nomes exóticos como teppanyaki, tonkatsu e yakitori. Obviamente, itens famosos como sushi, tempura e arroz frito não ficam de fora.

Festas, estrelas e peladões

A cultura japonesa vai muito além dos modos e da comida, obviamente. Ao longo do ano, o país é pontilhado por uma série de festivais e comemorações distintas, algumas das quais chegam a ser reproduzidas pelas comunidades nipônicas aqui no Brasil. Exemplo de uma das maiores festas do Japão que são reproduzidas por estas bandas é o Tanabata Matsuri (o “Festival das Estrelas”), que acontece sempre nas proximidades do dia 7 de julho.

O Tanabata tem origem em uma lenda japonesa na qual uma princesa chamada Orihime, filha de um deus poderoso, se apaixonou por um plebeu. O pai permitiu a união dos dois, mas, ao notar que eles não cumpriam suas obrigações, os condenou a ficar um de cada lado da Via Láctea. Os amantes só poderão se encontrar no sétimo dia do sétimo mês, mas apenas se realizarem os desejos feitos pelos humanos. Por isso, é hábito na época da festa escrever um pedido em um cartão colorido e prendê-lo a um bambu alto.

Há, no entanto, celebrações do Japão que não ganham sua reprodução no nosso país e, portanto, acabam soando bastante esquisitas para nós. É o caso do Hadaka Matsuri, que reúne milhares de homens vestidos apenas com um tecido – chamado fundoshi –, que cobre suas partes íntimas. A ideia é recolher itens sagrados em templos e santuários para atrair boa sorte.

Curiosidades e bizarrices

1) No Japão, há apenas dois homicídios envolvendo armas de fogo por ano;

2) A empresa mais duradoura do mundo, a construtora de templos Kongo Gumi, operou na Terra do Sol Nascente desde o ano 578 até 2006;

3) Os trens japoneses estão entre os mais pontuais do globo, com um atraso médio de apenas 18 segundos;
Melancias quadradas são cultivadas pelos fazendeiros do Japão por serem mais fáceis de empilhar e armazenar;
O país tem mais bichos de estimação do que crianças;

4) A taxa de natalidade por lá é tão baixa que as fraldas geriátricas vendem mais que as para bebês;
98% de todas as adoções no Japão são de homens adultos, que entram em uma família para que os negócios possam continuar passando de pai para filho;

5) O japonês que sobreviveu ao naufrágio do Titanic foi chamado de covarde dentro do seu país por não ter morrido com os outros passageiros;

6) Na Terra do Sol Nascente, 90% dos celulares são a prova-d’água porque os jovens os usam até no chuveiro;
Tanto na Coreia quanto no Japão há cafés onde você pode pagar para brincar com gatinhos enquanto toma sua bebida;

7) Há mais de 5,5 milhões de máquinas automáticas de venda no solo japonês, disponibilizando desde bebidas como chá frio, café quente e cerveja até itens como roupas de baixo;

8) Dormir durante o expediente é algo aceitável, já que é visto pelos chefes como um sinal de que o funcionário está dando duro no trabalho;

9) Há funcionários no metrô japonês, chamados oshiya, que são encarregados de fazer as pessoas caberem dentro dos trens – nem que seja na base do empurrão;

10) Durante a Segunda Guerra Mundial, o Japão bombardeou a China com pulgas infectadas pela peste bubônica;

11) Nas escolas japonesas, os professores e estudantes se unem para limpar as salas de aulas e a lanchonete;

12) O total de chineses mortos pelos soldados japoneses durante a Segunda Guerra Mundial foi maior do que os judeus executados pelos alemães no holocausto;

13) Carne crua de cavalo é um prato popular no Japão, cortada em fatias finas e chamada de basashi.

Créditos: Megacurioso

Foto de perfil de Vitor Takeda
Publicitário, Tradutor, Professor Particular de Idiomas, gosto muito de ensinar e analisar o comportamento humano. Sou gamer [não fanático], Asatruar, geek, comunicativo, extrovertido, analítico e honro minhas amizades. Gosto de manter minhas responsabilidades em padrão e diversões em segundo plano. Ademais sou alguém fácil de se conviver. ;) 宜しくお願い致します!

Senha perdida

Register

Bem vindo ao Suki Desu!

Olá aqui é o Kevin administrador do site e gostaria de convida-lo apenas uma vez a curtir nossa página do Facebook e convidar a conhecer o Japonês Expresso. Estamos sempre preparando conteúdo do Japão para você!

Conheça o novo curso de japonês expresso clicando aqui.