Outros

Rōmaji – A romanização da Língua Japonesa

Rōmaji – A romanização da Língua Japonesa

Hoje vamos falar um pouco sobre o rōmaji, que é um sistema de escrita usado para transcrever a leitura das palavras japonesas para o alfabeto latino, possibilitando a leitura de pessoas que não sabem o japonês.

Rōmaji (ローマ字) significa literalmente “letra romana”, assim chamamos a  transliteração da língua japonesa. Essa romanização está presente onde há mensagens destinadas a estrangeiros, como nas sinalizações de rua, em passaportes, em dicionários e em livros didáticos para os estudantes da língua.

A primeira romanização se originou da ortografia da língua portuguesa, e foi criado em 1548 por um católico chamado Yajiro. Esse sistema foi criado para que missionários pudessem pregar e ensinar sem ter de aprender a ler japonês. Existe uma grande semelhança entre as silabas japonesas com as silabas em português, facilitando bastante este trabalho.

Na era Meiji, alguns estudiosos japoneses tentaram abolir o sistema de escrita japonesa e usar apenas o rōmaji. Vários textos japoneses foram publicados totalmente em rōmaji, mas a ideia logo morreu, provavelmente por causa das inúmeras palavras de pronuncias iguais ou de apenas 1 sílaba. O kanji é um item muito necessário no japonês e nunca pode deixar de ser usado. 

Rōmaji facilita a vida de muitos que não entendem japonês. Vamos ver o exemplo de frase romanizada:

Japonês 俺の妹がこんなに可愛いわけがない
TraduçãoNão tem como minha irmã ser tão fofa assim
RoumajiOre no imouto ga konnani kawaii wake ga nai
Rōmaji Ore no imōto ga konnani kawaii wake ga nai

Como você deve ter notado, há 2 maneiras diferentes de escrever “rōmaji” ou “roumaji”, amas estão correta, tudo vai depender do tipo ou sistema de romanização que você usa. O sistema de romanização pode usar tanto uma vogal, um mácron ou acento para romanizar vogais longas. Vamos conhecer alguns tipos de Rōmaji. 

Tipos de rōmaji

Ao longo da história japonesa, varias versões da romanização foi criada, dentre elas:

Sistema Hepburn (ヘボン式 / hebon-shiki) – O sistema Hepburn foi criado por James Curtis Hepburn (1815-1911), um missionário americano da Filadélfia, que chegou ao Japão em 1859 e compilou o primeiro dicionário japonês-Inglês. O sistema Hepburn é agora o sistema de romanização mais amplamente utilizado.

Sistema Kunrei (訓令式 / kunreishiki) – O sistema Kunrei foi promulgada pelo governo japonês durante os anos 1930. Uma versão revisada foi emitida em 1954.  Veja abaixo as diferenças entre a romanização Kuntei e Hepburn:

Hepburn si, ti, tu, hu, zi, sya, syu, syo, tya, tyu, ty, zya, zyu, zyo
Kunrei shi, chi, tsu, fu, ji, sha, shu, sho, cha, chu, cho, ja, ju, jo

JSL – O JSL é um sistema de romanização baseado na fonética japonesa, ele é escrito conforme ouvido, e não possui acentuação nem traços. A grande diferença entre este sistema e o Hepburn é que o JSL usa vogais ao invés de acentuação para representar as vogais longas.

As vogais longas são pronunciadas alongando-se a vogal. Palavras como 東京 (Tóquio) e ローマ字 (rōmaji) possui vogais longas, veja como elas são romanizadas em cada sistema:

JSL oo outoukyou ou tookyooro-maji
Hepburnā, ē, ī, ō, ūtōkyōrōmaji
Kunreiâ, ê, î, ô, ûtôkyôrômazi

Nihon-shiki (日本式 / nipponshiki) – É um sistema pouco usado, e foi criado por Tanakadate Aikitsu, usado pela primeira vez em 1881.

Nihonda, di, du, de, do, dya, dyu, dyo
Kunreida, zi, zu, de, do, zya, zyu, zyo
Hepburnda, ji, zu, de, do, ja, ju, jo

Existe muitos outros detalhes sobre cada tipo de sistema de romanização, mas que deve ser pesquisado a fundo. É muito comum a pessoa fazer modificações, ou misturar os vários sistemas ao romanizar algum texto em japonês. Outras modificações acontecem na hora de romanizar uma palavra ou nome de pessoa de origem estrangeira, palavras que possuem o “L” mas que no japonês são escritas com “R” podem ser facilmente romanizadas com “l”.

Rōmaji é um inimigo

Se você é uma pessoa que costuma usar o romaji, ou gosta de aprender japonês usando o rōmaji, tenha muito cuidado. O principal motivo é as palavras homônimas e homófonas, existem milhares delas no japonês. Se você ler um texto em rōmaji e se deparar com a palavra “kami” como você vai saber se significa deus, cabelo ou papel?

O uso constante do rōmaji só vai atrapalhar seu aprendizado. Se você já sabe hiragana e katakana, fique longe o máximo possível do rōmaji. Caso você precisar converter um texto para rōmaji, basta colar ele no Google tradutor ou em algum site que converte kana para rōmaji.

Foto de perfil de Kevin
Sou criador de conteúdo na internet, e web designer. Gosto muito do Japão e seu idioma, por causa de sua cultura rica e unica. Curto animes, doramas e jogos clássicos e desconhecidos.

Senha perdida

Register

Bem vindo ao Suki Desu!

Olá aqui é o Kevin administrador do site e gostaria de convida-lo apenas uma vez a curtir nossa página do Facebook e convidar a conhecer o Japonês Expresso. Estamos sempre preparando conteúdo do Japão para você!

Conheça o novo curso de japonês expresso clicando aqui.