Explorando Locais / Japão / Outros

JAXA – Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial

JAXA – Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial
Compartilhe nas redes sociais:


A Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial, ou JAXA, é a agência espacial nacional do Japão. A JAXA atua em diversos projetos e em desenvolvimentos de grandes obras para a exploração aeroespacial tanto japonesa quanto mundial.

A JAXA é responsável por investigações, desenvolvimentos tecnológicos e lançamentos de satélites em órbita, estando desenvolvendo muitas missões complexas. Como, por exemplo, a exploração de asteroides e possíveis explorações com tripulação a Lua. Seu lema é One JAXA e seu slogan corporativo é Explore to Realize.

História da JAXA

A JAXA é a união de três organizações que foram fundidas para a formação de uma só, em 1 de outubro de 2003, para a formação da Nova JAXA: Institute of Space and Astronautical Science (ISAS), a National Aerospace Laboratory of Japan (NAL), e a National Space Development Agency of Japan (NASDA). A JAXA foi formada para ser uma instituição administrativa independente, porém, administrada pelo Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia (MEXT) e pelo Ministry of Internal Affairs and Communications (MIC).

Antes da fusão, a ISAS era responsável por pesquisas espaciais e planetárias enquanto a NAL era focada em pesquisas sobre aviação. A NASDA, fundada em 1 de outubro de 1969, desenvolvia foguetes, satélites e também havia construído o Módulo de Experiências Japonês. A NASDA também treinou astronautas japoneses, que chegaram a voar em Ônibus Espaciais dos EUA.

Em 2012, uma nova legislação alterou o mandato da JAXA para que a mesma possua o direito de, a partir de fins pacíficos, incluir desenvolvimentos espaciais militares, como sistemas de alertas precoce de futuros mísseis em terras e céus japoneses. Com o controle político da JAXA saindo do MEXT e indo para o Gabinete do Primeiro-Ministro com a inclusão de um novo Gabinete para Estratégia Espacial.

Foguetes

A JAXA usa o foguete H-IIA (H “dois” A) pertencente ao antigo corpo da NASDA junto de sua variante H-IIB para lançamentos de satélites para testes de engenharia, satélites meteorológicos e etc. Para missões científicas que utilizem de, por exemplo, a astronomia de raios X, a JAXA usa o foguete Epsilon.

O Japão lançou seu primeiro satélite, Ōsumi, em 1970, usando o foguete L-4S da ISAS. Antes da fusão, a ISAS utilizava de pequenos veículos para lançamentos espaciais com combustível sólido. Enquanto a NASDA desenvolveu veículos lançadores com maior capacidade líquida.

No início, a NASDA usava modelos americanos licenciados. O primeiro modelo de veículo para lançamentos foi feito a partir do uso de combustível líquido, o modelo H-II, de 1994. No entanto, no final dos anos 90, com duas falhas de lançamento do H-II, o Japão começou a ser criticado em relação a tecnologia dos foguetes japoneses.

A primeira missão espacial do Japão sob o nome da JAXA, foi o lançamento de um H-IIA, em 29 de novembro de 2003. Terminando em fracasso devido a grande pressão do momento. Após um hiato de 15 meses, a JAXA fez um lançamento bem-sucedido do foguete H-IIA, no Centro Espacial Tanegashima, colocando um satélite em órbita em 26 de fevereiro de 2005.

Sucessos da JAXA

Antes do nascimento da JAXA, a ISAS havia se saído muito bem em seu programa espacial sobre o campo da astronomia de raios-X durante os anos 80 e 90. Outra área bem-sucedida para o Japão foi Very Long Baseline Interferometry (VLBI) com a missão HALCA. Outros sucessos foram sobre a observação solar, pesquisas da magnetosfera, entre outras áreas.

A NASDA foi, principalmente, ativa no campo da tecnologia de comunicações por satélite. No entanto, uma vez que o mercado de satélites japonês está completamente aberto, a primeira vez que uma empresa japonesa ganhou um contrato para um satélite de comunicação civil em, apenas, 2005. Outro foco do corpo da NASDA é a observação do clima da Terra.

A JAXA foi premiada com o prêmio John L. “Jack” Swigert, Jr., da Space Foundation pela Exploração Espacial em 2008.

Programas Espaciais Humanos

O Japão possui dez astronautas, porém, ainda não fora desenvolvido uma nave espacial tripulada. Um projeto espacial HOPE-X para o lançamento de um H-II, sendo desenvolvido por vários anos, acabou sendo adiado. Diversos outros projetos foram propostos, alguns aceitos, mas sendo adiados ou não sendo aceitos.

O primeiro cidadão japonês a voar no espaço foi Toyohiro Akiyama, um jornalista patrocinado pela TBS, que voou no soviético Soyuz TM-11 em dezembro de 1990. Akiyama passou mais de 7 dias no espaço na estação espacial Mir, considerado pelos soviéticos o Seu primeiro voo espacial comercial, que lhes permitiu ganhar cerca de US $ 14 milhões.

O Japão participa de programas norte-americanos e internacionais, que inclui voos de astronautas japoneses. Uma missão para o ônibus espacial STS-47, em setembro de 1992, foi parcialmente financiada pelo Japão. Este voo inclui o primeiro astronauta da JAXA, Mamoru Mohri.

Os japoneses possuem planos de fazer um desembarque lunar tripulado, estando em desenvolvimento. Porém, os planos foram arquivados em 2010 devido restrições orçamentárias.

Em junho de 2014, o Ministério da Ciência e Tecnologia do Japão disse que considerava uma missão espacial para Marte. Em um documento, fora dito uma exploração não tripulada. Missões para Marte e assentamentos a longo prazo para a Lua é objetivo da JAXA, pelos quais procuram cooperação internacional.

Uchuu Kyoudai

Você pode conhecer muito sobre a estação espacial do Japão assistindo o anime Uchuu Kyoudai.

Uchuu Kyoudai conta a história de dois irmãos: Mutta e Hibito, sendo Mutta o irmão mais velho. Quando eram crianças, os dois presenciam um Ovni, e desde então prometem ir para o espaço. Os anos se passam e somente Hibito se torna um astronauta e está prestes a ir para a Lua. Já seu irmão Mutta acaba perdendo o emprego por ter dado uma cabeçada em seu chefe.

Mutta lembra de seu antigo sonho, que devido aos problemas do dia a dia foi esquecido completamente. Com a ajuda de seu irmão, tal sonho poderia ser de alguma forma ser alcançado. O Anime mostra todo processo que é necessário para se candidatar e virar um astronauta.



Compartilhe nas redes sociais:
  • Gabriel Pinheiro SmallWorlds

    Legal, não sabia que existia uma “NASA” japonesa, 😀

  • Igor Sakaguchi

    Eu descobri assistindo Robotics; Notes, mas não é focado nessa agência.

  • Wikisy

    Nossa, estou assistindo Uchuu Kyoudai, e estou amando esse anime. Vale muito a pena.