Curiosidades / Japão

Keimusho – Como são as prisões do Japão?

prisões do Japão
Compartilhe nas redes sociais:


As prisões do Japão (刑務所 – Keimusho) surpreendem com sua competência e seus hábitos diferenciados de tratamento aos prisioneiros e administração. Diferente da ideia que temos de uma prisão, o Japão não sofre com prisões superlotadas ou mal cuidadas. No Japão os presos são tratados de forma igual, recebem a mesma quantidade de comida, usam o mesmo uniforme, e realizam trabalho braçal. Felizmente as prisões japonesas quase não têm violência entre prisioneiros; Sem assassinatos por vingança e sem estupros.

Os prisioneiros são classificados de acordo com gênero, nacionalidade, tipo de pena, duração da sentença, grau de criminalidade e saúde física e mental. O sistema penitenciário é dividido para adultos, juvenil e em casas de orientação para mulheres (para reabilitar prostitutas). Os prisioneiros usam uniformes e há uma maneira prescrita de andar, conversar, comer, sentar e dormir. Cometeu um erro é punido! O mais comum é a perda de privilégios, como tempo de recreação, acesso à TV e perda de trabalhos mais procurados.

Problemas nas prisões do Japão

Um dos maiores problemas nas prisões do Japão são as doenças, que são causadas com a chegada do inverno. Muitas cadeias não possuem aquecimento e isso causa vários problemas a saúde de um preso. Há também alguns problemas de saúde causados pelas condições sanitárias.

Além das prisões japonesas serem uma das mais rígidas do mundo, são bem mais rígidas com os estrangeiros que sofrem discriminação e ainda não podem falar seu idioma nativo, somente o japonês. Essa regra tem o objetivo de evitar desordem, como planejamento de matar alguém, fuga ou rebelião. Se não tivesse essa restrição os guardas não teriam a capacidade de compreensão do que estaria sendo dialogado entre os prisioneiros.

prisões do Japão



Curiosidades sobre as prisões no Japão

No Japão existem cerca de 60 prisioneiros por cada 100.000 habitantes ou cerca de 75.000 prisioneiros no total. Um valor bem baixo comparado com 1990 que era de 47.000. Uma das razões é o aumento do número de idosos que cometem crimes para irem presos devido a solidão ou falta de condições financeiras.

Os menores de 20 anos são levados para uma correção educacional. O numero de jovens presos é muito menor que adultos, principalmente por causa da baixa taxa de criminalidade. No Japão podemos dizer: Os jovens são o futuro da nossa Nação!

Voluntários são utilizados para supervisão de pessoas em liberdade condicional. A maioria desses voluntários costumam ser pessoas acima de 50 anos ou mais.

Entre 1990 e 2002 cerca de 1500 prisioneiros morreram em circunstâncias suspeitas. Apenas 2 mortes tiveram relação com abuso, outras 10 mortes foram devido a cuidados médicos precários. O restante das mortes foram declaradas não suspeitas.

Existe uma punição mais severa que envolve sentar-se de joelhos no chão para frente de uma parede por horas ou até dias. O confinamento solitário também é usado. No Japão ainda existe a execução por enforcamento desde 1873 para os crimes mais graves.

Quase todos os prisioneiros trabalham, quer na manutenção da prisão, quer como trabalho contratado para empresas privadas, seis dias por semana.

O que você achou das prisões japonesas? Conhece mais algum detalhes que ficou de fora? Deixe seus comentários e compartilhe com os amigos.

Compartilhe nas redes sociais:
Foto de perfil de Gabriel Sena
Adoro animes, games, comida e tudo relacionado a cultura japonesa, mas por ironia eu odeio sushi.